3.12.2013

Começam a desvendar-se os "mistérios"...

...que são as candidaturas autárquicas.
Provavelmente nunca houve uma tão grande mudança nas câmaras do Alentejo Litoral!
Três dos cinco municípios vão ter, obrigatoriamente de mudar de presidente, mas não necessariamente de cor politica.
A "incompetente" lei da limitação dos mandatos assim o obriga e, se calhar, talvez dor causa  da duvida ainda existente acercada recandidatura no concelho vizinho, tem obrigado ao silêncio táctico do PCP em relação ao "posto" onde irá colocar Vítor Proença, autarca em fim de mandato em Santiago do Cacém.
No entanto já apresentou o seu candidato, o vereador Álvaro Beijinha, um "independente", seja lá o que isso é, no conceito do PCP.
Igualmente o PSD apresentou o seu candidato, Pedro Gamito e está a resistir a uma coligação com o PP.
No PS, surgem nomes, mas também surgem zangas entre os socialistas, ou seja, nada oficiola até ao momento.
Zangas entre os socialistas parece ser comum, como em Alcácer do Sal e Grândoila.
Em Alcácer do Sal, existem divergências com os nomes de Torres Couto (alguém sabe porquê?) e Pedro Paredes, que, ao que parece, que não quer sair.
Esta zanga toma proporções "homéricas" em Grândola, onde já são três os candidatos ou proto candidatos: Candeias, Campaniço e Cordeiro...mas sabe-se que Beato ainda terá uma palavra a dizer e designar o seu "delfim".
Das outras forças partidárias nada se sabe, mas ventila-se Vítor Proença, do PCP, que também é apontado em Alcácer...talvez a sua aproximação aos grupos financeiros que dominam Grândola e Alcácer seja determinante.
Sines em total silêncio, apesar de ter sido apresentado um candidato PS, Nuno Mascarenhas.
Mesmo sabendo que Manuel Coelho talvez preferisse um estilo "chavista" e continuar no poder, será determinante na escolha do seu sucessor.
A Sul, nada de novo e será, talvez, o único concelho onde tudo se deverá manter.