1.18.2013

Refinaria da Petrogal


A nova unidade da refinaria de Sines iniciou a produção de gasóleo, abrindo caminho para que Portugal deixe de importar e passe a ser exportador deste combustível, divulgou a Galp Energia.
A unidade de hidrocraqueamento tem capacidade para processar diariamente 43 mil barris de gasóleo de vácuo pesado, "tendo já atingido um nível de produção comercial com uma carga superior a 60%", referiu a empresa em comunicado.
Segundo a Galp Energia, a nova unidade de refinação "encontra-se actualmente a operar em condições processuais normais", sendo de prever "a estabilização da produção à carga máxima" até ao final de Março.
Apesar de ser uma boa noticia para o País, será que não irá aumentar a poluição?

1.10.2013

Também boas notícias

Foi finalmente publicado no diário da republica o diploma da classificação da Quinta dos Olhos Bolidos e do Palácio da Carreira como Imóveis de Interesse Público.
Santiago do Cacém e o Alentejo Litoral ficam mais reconhecidos com estes dois monumentos que representam o melhor desta nossa região: as quintas históricas, tão ameaçadas, mas um património único do ponto de vista histórico, patrimonial e ambiental e que correm o risco de desaparecer e o palácio da Carreira, um dos mais notáveis exemplos do Alentejo Litoral e que valoriza todo o centro histórico de Santiago do Cacém.
Esperamos que esta noticias motive os responsáveis, e todos nós, para este enorme potencial regional!


Também digna de nota é a homenagem que a Câmara Municipal de Santiago do Cacém fez em memória dos dezassete pescadores que morreram na Lagoa de Santo André, em 1963,  numa onda gigante que varreu aquela povoação costeira!


1.03.2013

Ainda as entidades culturais privadas da região

Fomos surpreendidos, nas actas das reuniões da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, com a atribuição de uma verba à Associação Cultural de Santiago do Cacém.


Esta entidade, que tem estado dormente estes anos todos, nada tem feito de relevante em Santiago do Cacém, em prol da cultura, do desenvolvimentos, da divulgação, da formação.
Não se lhe conhece, nos últimos anos, qualquer actividade, qualquer plano de acção, qualquer orçamento e contas, eleições, enfim...nada.
Sabe-se que é presidida pelo pintor Charles Hejnal, mas não se conhecem os outros membros dos órgãos sociais.
Não seria mais adequado esta entidade mostrar serviço, antes de receber algum apoio da CMSC?
Não será um pouco discricionária esta distribuição de verbas?
O que motivou este subsídio, do nosso dinheiro, à Associação Cultural de Santiago do Cacém?
Por quê agora?
É estranho, especialmente quando se sabe que outras entidades culturais não receberam, nem recebem, um cêntimo da CMSC, que sobrevivem com grandes dificuldades e lá vão conseguindo executar os seus programas de actividades, que são públicos e conhecidos!
E para terminar, não é já o pintor Charles Hejnal beneficiado com a cedência, a título gratuito, de instalações, no antigo liceu, para proporcionar cursos de pintura, de onde retira proveitos?
Nada nos move contra o pintor Charles Hejnal, mas ganhar dinheiro à nossa custa, não achamos justo!
Todos nós, se quisermos exercer a nossa actividade, temos de pagar instalações, ou a CMSC vai começar a ceder instalações a título gratuito a todos que queiram dar cursos, ou aulas, ou exercer outra actividade qualquer...paga?
Aqui está uma discussão interessante...quem tem o direito a usufruir de instalações públicas?