6.29.2012

Petrogal investe na região

...mas desta vez em investigação, com a criação de um centro de investigação na refinaria de Sines.
Sines vai receber novo pólo de investigação e desenvolvimento, que foi inaugurado pela Galp Energia na terça, 26 junho 2012.
O Centro de Investigação Professor Ramôa Ribeiro, na refinaria de Sines, é uma estrutura que integra unidades-piloto que replicam à escala laboratorial o funcionamento das principais unidades da própria refinaria , o que poderá representar ganhos significativos na melhoria dos processos, bem como poupanças importantes pela possibilidade de avaliação dos novos processos em ambiente controlado de laboratório.
A unidade-piloto presente nesta nova infraestrutura de investigação e desenvolvimento permitirá mimetizar o funcionamento da unidade de hidrocraqueamento de gasóleo pesado, actualmente em fase final de construção no complexo da refinaria de Sines. A peça central do projecto de conversão do aparelho refinador da Galp Energia, que representa um investimento superior a 1,4 mil milhões de euros, é um reactor com 42 metros de altura e cinco metros de diâmetro onde, em condições extremas, as partículas de petróleo mais pesadas são fraccionadas através da injecção de hidrogénio e por acção de catalisadores, o que permite converter fracções petrolíferas com elevado ponto de ebulição e pouco valorizadas em fracções leves, mais valorizadas.

6.27.2012

Mais uma praga

O Alentejo Litoral está, mais uma vez, debaixo de uma praga.
Primeiro foram os pinheiros bravos, afectados pelo "nemátodo"...as autoridades florestais nacionais e locais actuaram tarde, e mal, o que levou a que fossem (e ainda estão a ser) dizimados milhares de pinheiros.
Depois seguiu-se o escaravelho do Egipto nas palmeiras, que ainda está a afectar todo litoral portugês, incluindo o alentejano.
Agora temos a "limantria", que tem atacado uma das maiores fontes de rendimento do nosso país e de toda a nossa região.
As consequências já são visíveis, desoladoras e tem afectado especialmente os concelhos de Odemira e Sines, mas havendo já notícias de casos em Grândola e Alcácer do Sal.
Esperemos que as autoridades actuem rápida e eficazmente, de modo a não se perder esta fonte de riqueza ambiental, paisagística e económica tão importante para todos nós.
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/sociedade/praga-de-lagarta-ameaca-sobreiros

http://www.confagri.pt/Floresta/pragas/Pages/praga19.aspx


http://www.tvi.iol.pt/videos/13648142