2.06.2012

Existe alguma lógica?

Existe alguma lógica na gestão corrente de algumas autarquias da região?
Por exemplo em Sines, não se pagam a fornecedores e pode-se dizer que o centro de Sines é pasto de vendedores de droga, de marginalidade, de sujidade e decadência, mas constrói-se um elevador sumptuoso e desnecessário, "várias " casa da musica, etc, etc....
Em Santiago do Cacém não se acaba a estrada das Cumeadas/Ruínas Romanas de Miróbriga, não se renova o contrato com a única arqueóloga (depois de terem disto que sim), não há dinheiro para o Festival de Musica Terras sem Sombra, e como tal, não se irá realizar nenhum concerto este ano em Santiago do Cacém, mas gastam-se 60 000 euros em concertos na Santiagro ( que também esteve para acabar por falta de verbas!).
Isto são apenas alguns exempos ao acaso, para não entrarmos em nomeação e mudanças de pessoal, perfeitamente inéxplicáveis.
Será que estes dois autarcas, em fim de ciclo, como não serão reeleitos, apenas olham para a vaidade pessoal, para o seu umbigo, esquecendo-se do todo o resto??
Consta que os "ambientes" na Câmara Municipal de Santiago e de Sines estão de "cortar à faca"!

31 comentários:

Pedro Gamito disse...

Realmente as coisas não andam nada bem em Santiago do Cacém. O final do reinado do Vítor Proença está a ser uma agonia. Como é que se deixa abalar a competente arqueóloga Sofia Tereso? Como é que se deixa sair para Sines o concerto de abertura do Festival Terras sem Sombra, algo que encolerizou a Igreja Católica, que tem ajudado muito Santiago, e está a provocar a reacção dos amigos da música e do património? O Vítor Proença anda a colidir com um círculo de gente que tem feito muito pela terra e de que faz parte a pessoa mais influente da região, gente tão discreta quanto activa, ouvida em Lisboa e em Bruxelas, e ainda não se apercebeu disso. Anda demasiado entretido com "saias". Não me espantaria que o erro lhe saísse caro. É tempo de um "camarada" mais sensato subir ao comando de um barco já a naufragar.

Anónimo disse...

Não sabia que o Festival terras sem sombra ia sair de Santiago. É um golpe pesado na visibilidade de uma terra em que a hotelaria e a restauração muito beneficiavam com as muitas centenas de participantes nos concertos desse belo festival, que traz muita gente da região e de fora. Em Santiago estamos cada vez mais isolados!

Isilda G. disse...

Qual deles os dois, o melhor! Os dois deixam os dois concelhos endividados por muitos anos para além do esbanjamento que foi sendo feito em banalidades, festas, concertos e fogo de artificio. Mas o povo é soberano e foi quem os elegeu e se o dr. manuel coelho e o victor proença estão a estroncar Sines e Santiago é porque o povo os meteu lá e deu luz verde para eles fazerem tudo o que têm feito, logo ninguém se pode queixar. Siga a festa que já falta pouco para estroncarem o resto dos dois concelhos!

Anónimo disse...

Não há novidade nenhuma nestas questões...
Tem tudo a ver com a passividade das populações e a incapacidade e mediocridade dos empregados do PCP, em comissão de serviço na Câmara de Santiago...
38 anos a destruir...só espero que as pessoas acordem e acabem com esta "ilha de Cuba" no Alentejo.

lopes disse...

Esta situação do Festival é grave e muito marca negativamente esta Câmara!
Cada vez mais Santiago se afunda!
Faz-me lembrar aquele navio italiano: o comandante entretido com uma amiga, mal aquilo correu mal fugiu, quiz fazer um "floreado" e o barco foi ao fundo, com graves consequências e existem sempre alguns que lá vãop safando as coisas.
Em Santiago passa-se o mesmo: o Comandante Proença ocupado com "amigas", já deu o fora (está na CMSC só para cumprir calendário), quer fazer "flores" com o trabalho dos outros mas só faz é rombos e existem sempre alguns funcionários (uns por amor á terra, outros por obediência política) que lá vão limpando as asneiras.
Os que fazem algumas coisa também ja deve ter dores nas costas de levarem o senhor ás cavalitas!

Anónimo disse...

Incrível como é que Santiago deixa de ter o festival terras sem sombra que todos os anos era a terra de abertura do festival de musica sacra mais importante do país e um dos melhores da europa. Não digam que o proença e a sua trupe de destruidores do concelho estão a fazer poupança para no ano de eleições trazerem cá mais Zés Malhoas, Tonys Carreiras, Ritas Pereiras e o zé povinho vai atras destes engodos para lhes enttregar o voto. Está na hora de acabar com isto de uma vez por todas antes que eles acabem com o concelho porque assim não vamos a lado nenhum e um dia destes santiago é o concelho mais patético da região.

Anónimo disse...

Desculpem lá o desabafo, principalmente para os amigos do V.Proença. Só agora é que descobriram a personalidade de tal pessoa!
Toda a gente sabe da parte sentimental do homem ( não te rias Vitor!), andam todos a chutar para o lado. Até os camaradas mais sérios e que trabalham ele conseguiu enganar.
Tudo o que ele não é o principal chefe, não avança, até o pobre Ferro um militante de base, utilizou com o seu cinismo.
Se inventariarem o património deixado por tal personagem, resume- a feiras, festas, concertos, passeios a idosos e worshopings complementando com a tal rotunda da Torres (autêntica brindaceira de cacique brasileiro).
Quanto ao Sr. M. Coelho de Sines para acabar com brilharete arranjou um elevador da praia!

JJ Soares disse...

O não apoio à presença do Festival de Música Sacra em Santiago do Cacém soa-me a "harakiri". Como é possível desperdiçar-se uma oportunidade destas e ir contra a corrente? os deuses devem estar loucos!

Leonel Martins disse...

o querido líder Proença tem sido o grande coveiro do concelho de Santiago e da CDU, mas vai embora com uma boa reforma que era principalmente o que ele queria porque só veio para cá para trabalhar para isso e para o seu partido, mas desde que passou de vereador a presidente inchou de arrogância e vaidade de tal forma que mal cabe dentro dos paços do concelho. É o mais triste e anedódito presidente de cãmara do litoral alentejano, e o pior que já passou por Santiago depois do 25de Abril.
E os que lá estão com ele na cãmara, não se aproveita um só. É tudo farinha do mesmo saco. Agora lembraram-se de poupar dinheiro à custa do Festival Terras Sem Sombra que já era uma marca no concelho, mandam embora a única arqueóloga que tinham, logo por sinal uma pessoa extremamente competetente e educada, para não despedirem camaradas e os boys que se arrastam pelos corredores da câmara sem produzirem nada de útil para o concelho. Só mesmo em Santiago onde manda a arrogância, a vaidade, o quero posso e mando e a incompetência.

B Varela disse...

Estas noticias deixa-me estupefacto.
E existem dois motivos para aumentar a esta minha surpresa.
Por um lado, esta atitude serve para enterrar ainda mais o PCP e o sucessor(a) do Proença. Ele está a cavar a sepultura de quem vier a seguir.
E, por outro lado, o silêncio da oposição, seja ela partidos ou pessoas.
Já se viu que o Frade não vai lá!
E outros???

Anónimo disse...

Porque é que quando se fala em oposição se fala sempre em partidos politicos...Então o que é que são os mais de 50% que não votam...!!!???
É aqui que está a solução...Com politicos corruptos e partidos protectores de "rebanhos", tornámo-nos num dos piores países de toda a europa e numa espécie de povo...
Quem se tem que mobilizar e motivar são os tais 50%...
Os que têm estado principalmente em Santiago - peço desculpa - só têm feito MERDA.

Uma santiaguense disse...

Santiago e Sines andam a precisar de sangue novo, já se vê. Com todo o respeito para com quem também fez coisas positivas e cuja vida pessoal não deve ser exposta, o Sr. Vítor Proença deu um grande tiro no pé. Até a Confraria de N.ª Sr.ª das Dores, que se tinha associado ao concerto na igreja matriz de Santiago, por coincidir com a sua festa e se tratar de um belo concerto de música sacra, ficou danada pela decisão que se tomou. Estas coisas deixam um rasto feio. Oxalá o festival terras sem sombra possa voltar um dia, depois deste executivo passar à história, a Santiago do Cacém. Agora, como diz o provérbio, "não há condições". Quem perde? A terra e os seus munícipes.

Anónimo disse...

Pelo que se ouve um pouco por todo o concelho, o Vitor Proença para além de deixar uma herança muito pesada para quem vier a seguir, está e afundar a imagem de credibilidade que a CDU tem tido no concelho, por todos os seus desvarios pessoais e pela postura que tem tido. Nunca tinha havido em Santiago um presidente com tão má fama e não me admirava nada que o PCP o mandásse embora antes do fim do mandato antes que faça mais estragos, aliás esse é o desejo de muitos comunistas até para lançarem o próximo candidato. A sorte do Vitor é que o próximo cabaça de lista da CDU em Santiago é o Jaime Cáceres e por isso o concelho vai ter que o aguentar até ao fim do mandato, mesmo contra a vontade de muitos comunistas que estão ansiosos de o ver pelas costas.

Santiaguense com orgulho disse...

Adivinha-se um fim de mandato horrivel para o Proença e companhia a ver pelas ultimas decisões da cãmara e pela lástima em que está o concelho, de uma ponta à outra. Nunca imaginei que Santiago pudesse vir a ter uma gestão tão ruinosa e com tanta falta de critério para estamos a assistir, e tenho muita pena dos autarcas que vierem a seguir a este grupelho de politiqueiros de 3ª que estão na cãmara de Santiago.

lopes disse...

Mas a mim o que espanta e que esteja tudo em silêncio: as oposições, a população.
Eu não dei mandato a este senhor para desbaratar 60 000 euros em cantores pimba e recusar algo que projecta a minha terra além fronteiras, como o Festival, decisões baseadas em critérios pessoais.
Este senhor deve explicar a todos nós estas decisões absurdas!
Mas volto ao inicio: desgosta-me o silêncio e o adormecimento dos meus conterraneos.
Parece que é só aqui que se pode exprimir livremente a opinião.

Anónimo disse...

Deixem-nos levarem o concelho ao fundo, pode ser que assim as populações abram os olhos de uma vez por todas. Esta de a câmara abandonar o festival terras sem sombra é só mais uma ajuda para isso, esperto foi o Manuel Coelho que soube aproveitar a oportunidade e não é por acaso que sines tem maior projecção cultural que santiago, onde em vez de cultura só sabem dar pimbalhadas e fogachadas. Para as festas do 25 de Abril não dever haver falta de verbas ou para festejar o dia do concelho em Santo André. Continua assim vitinho, que estás no bom caminho para levar a cdu à primeira derrota no concelho e depois vai-te embora para bem longe daqui que não fazes cá falta nenhuma!

Anónimo disse...

Neste momento a maioria que desgoverna o concelho de Santiago é o maior câncro do concelho. Olá Vitor! Então o tal centro de estudos jacobeus, no prédio onde era a câmara velha? Então o museu de arte sacra? Então a candidatura do centro histórico de Santiago a património mundial? Como é que isso vai? Grande fiasco me saiste, tu e os outros da maioria CDU. A mim nunca me enganaste, mas tens sido esperto porque conseguiste enganar o concelho todo com 3 eleições, à base de promessas que sabias que nunca ias cumprir. Faz um favor ao concelho e ao povo que tens enganado e some-te de cá de uma vez por todas porque mais mal do que tens feito a Santiago é impossível!

cercalense em lisboa disse...

Realmente estamos a afundar-nos, no nosso querido concleho, sabem que o Hotel Caminhos de Santiago, que tinha reservas quase até ao último quarto para o Festival Terras sem Sombra, teve logicamente essas reservas anuladas? Para onde foram elas - para Sines! É assim que se defende a economia local. Já não falo dos restaurantes e de outros serviços locais (comércio de produtos regionais, artesanato, táxis, etc.)

Anónimo disse...

Os suspeitos do costume....
Com o aproximar das eleições começa a mesma estratégia já vista, gasta mas felizmente sem qualquer resultado prático, pois as pessoas continuam a saber quem é que trabalha com honestidade e em prol de toda a população.
Curioso que estes pseudo intelectuais e eroditos que agora vêm defender este feslival que segundo me disseram, porque não assisti, mete apenas algumas dezenas de pessoas na igreja, com público orindo fundamentalmente de fora do concelho e que custa muitos milhares de euros ao erário publico, critiquem os concertos ditos "pimbas", como foi exemplo o do ano passado na Santiagro com os Buraka Som Sistema, que teve uma plateia de milhares de jovens, fundamentalmente do concelho e que tiveram a oportunidade de assistir a uma das bandas portuguesas com maior sucesso e notariedade internacional, e certamente com menores custos.
Esta oposição e estes reçabiados do costume com o seu veneno e maldicência vão continuar a contribuir para que o projecto político da CDU continue vencedor, pois certamente que o novo cabeça de lista da CDU vai continuar, com a honestidade que é caracteristica na CDU, dar seguimento ao trabalho de desenvolvimento e progresso deste concelho.

Maria Joaquina Fernandes disse...

A população do concelho de santiago tem na câmara as pessoas que merece, e se estamos como estamos, podemos agradecer à população do concelho porque foram quem os meteu lá e deu carta branca para fazerem o que têm feito. Agora é tarde para lamentações, porque foram mais de 30 anos de administração mediocre da CDU e tendo tido muito dinheiro para que hoje o concelho de Santiago Cacém fosse um dos mais desenvolvidos do país. Isto com a ajuda do PSD, do PS, do Bloco, e do CDS que não têm sabido ser oposição à séria e praticamente cairam todos num silêncio ensurdecedor completo como se estivessem tranquilamente sentados numa poltrona a assistir ao descalabro total do concelho.

Anónimo disse...

Para juntar, às ruinas de muitas casas nas várias entradas da cidade de Santiago, ao hotel em ruinas na Costa de Santo André, às aldeias sem ruas nem travessas e, outras "brilhantes" obras dos empregados do PCP que têm estado à frente do Concelho, podemos juntar agora, a estrada de acesso ao nosso ex-libris turistico - as Ruinas Miróbriga.
Do que é o Povo deste concelho em ruinas, está à ESPERA...!!!???

Anónimo disse...

Foi aqui falado no próximo cabeça de lista do PC/CDU para a presidência da Câmara.
Ora bem, quem será tal personagem !
Estão todos à espera do "tal messias", salvador da pátria.
Mas quem será. Já deve estar bem escolhido!
Afinal, não precisam de se "ralar" com a escolha.
Desde que levem a "rapaziada" nova e velha lá ao voto ganham com uma limpeza.... é como limpar @ a meninos!

Anónimo disse...

Ruína é o concelho todo, basta irem dar uma voltinha que conseguem ver a miséria que vai por esse concelho. Obras que eram para estar feitas há uma porrada de anos, ainda as populações esperam por elas.
Na minha amada Ermidas Sado há o Cine-Teatro Vitória que é outra ruina, e que a câmara voltou as costas depois de muitos anos a prometer que o comprava e arranjava. Enquanto o concelho de Santiago estiver nas mãos do PCPO/CDU vão nascer ainda mais ruínas para além das de Miróbriga e outras mais que já temos em todo o concelho. Querem mais ruínas, votem na CDU que eles tratam disso porque são especialistas.

Anónimo disse...

Ouvi dizer que o Dr. Carlos Sobral, técnico superior, historiador, está como vigilante numa qualquer exposição em Alvalade.
È verdade?

Anónimo disse...

Realmente se for verdade não haja duvida que meter um técnico superior a tomar conta de uma exposição é o fim da macacada! Mas deste executivo mediocre,já não nos podemos surpreender com nada. É uma pena porque Santiago merecia outras pessoas melhores à frente do concelho, mas dadas as circunstancias teme-se que a CDU ganhe mais um mandato para exterminar com o pouco de bom que o concelho de Santiago ainda tem. Só falta saber-se quem será o próximo empregado que o PCP vai mandar para cabeça de lista em Santiago.

Anónimo disse...

É verdade que o Dr. Carlos Sobral está com funções de vigilante. Ele que fez o inventário do património imóvel de Santiago do Cacém... E nem um telefone lhe arranjaram, num sítio que nem visitas tem.

Vergonha!

Anónimo disse...

Fiquei estupefacto ao ter conhecimento que este ano o concelho de Santiago não irá receber nenhum concerto do Festival Terras Sem Sombra, e que a abertura é em Sines. Para mim isto é a gota de água, e revelador que a câmara de Santiago é governada sem qualquer critério e que chegou a um ponto em que não tem dinheiro nem para mandar cantar um cego. Para os santiaguenses é uma vergonha ver o Festival que abriu sempre em Santiago, ir agora abrir no concelho rival do nosso.

Anónimo disse...

O Festival Terras Sem Sombra abriu sempre em Santiago desde a primeira edição. Lamento muito que esta cãmara municipal não saiba aproveitar esse capital que foi criado ao longo dos anos, e desperdice uma das poucas oportunidades que tem ao longo do ano para se promover a nível nacional e internacional. Mas em Santiago, enquanto o concelho não naufragar, tudo vai continuar na mesma.

Anónimo disse...

É uma vergonha deixar fugir o concerto de abertura do Terras Sem Sombra para Sines, oxalá o Dr. Falcão aprenda de vez que estes artistas que desgovernam a câmara não merecem a ajuda dele e a sua capacidade de organizar grandes eventos.

Anónimo disse...

Não ha dinheiro para apoiar financeiramente a construção do Lar de Alvalade e do Lar de Abela, a exemplo das Câmaras vizinhas de Aljustrel , Odemira, Castro Verde, Alcacer do Sal que apoiaram as instituições com milhares de euros e depois... é isto, em tempo de crise!Carlos do Carmo - Paulo Gonzo- GNR - Chave d'ouro e...Chave da Cidade! E viva a festa!

Anónimo disse...

Ha seculos os cemiterios eram geridos pelas comissões paroquiais se não estou em erro.
Mas agora em pleno 2012, ALVALADE, do concelho de Santiago do Cacém e o seu presidente da Junta, resolve novamente entregar as chaves do cemitério aos padre. è ele ou alguem a mando dele abre o cemiterio e fecha...quando fecha no horario estipulado. Chega a ser 22 horas e a porta do cemiterio esta escancarada.. Por este andar teremos o Papa qualquer dia a canonizar o Rui Madeira e colocá-lo nos altares!
Que mais nos podera acontecer?