8.26.2011

Agora que o Verão vai acabando....

...aqui está um excelente programa para os próximos dias em Sines:
Jazz conquista Sines no final de Agosto
O Auditório do Centro de Artes de Sines recebe, nos dias 26, 27 e 28 de Agosto, a quinta edição do Sines em Jazz, evento organizado pela Associação Pro Artes de Sines e pela Câmara Municipal de Sines.
Num programa de oito espectáculos de entrada gratuita, a vitalidade do jazz feito em Portugal volta a estar em evidência.
O festival começa no dia 26, sexta-feira, às 21h30, com um espectáculo pelo Miguel Amado Group. O baixista Miguel Amado lançou recentemente o CD "This is Home", composto na sua maioria por originais do próprio. É este novo repertório que apresenta ao vivo em Sines com o seu quinteto.
Segue-se-lhe a cantora Carmen Souza, às 22h30. Nascida em Lisboa, em 1981, Carmen cresceu entre as culturas portuguesa e cabo-verdiana. A sua música absorve tanto essências das músicas e dos ritmos de Cabo Verde (coladeira, morna, batuque...) como aromas do jazz.
Às 23h30, sobe ao palco Extravanca!, um projecto de colaboração entre o acordeonista português João Frade e o quinteto francês Dites 34. Reunidos sob a direcção do contrabaixista Pascal Seixas, os seis músicos revisitam a rica música tradicional algarvia através do jazz.
O segundo dia de música, sábado, 27 de Agosto, começa às 21h30 com um concerto a solo pelo pianista Tiago Sousa. O espectáculo segue o repertório do disco “Walden Pond's Monk”, CD com edição internacional inspirado nas obras de Henry David Thoreau e nas suas ideias sobre o respeito pela liberdade e pela expressão infinita das potencialidades do Homem.
Às 22h30, é a vez do quarteto do pianista e compositor Diogo Vida. Depois de um período passado na cena jazz de Barcelona, este antigo acompanhante da cantora Jacinta apresenta em Sines repertório de “Alegria”, o seu primeiro álbum, composto essencialmente por temas originais, inscritos na tradição e diversidade do jazz contemporâneo.
No último concerto de sábado, às 23h30, Afonso Pais & JP Simões mostram o disco “Onde Mora o Mundo”. JP Simões, cantor, compositor e escritor, assina as letras. Afonso Pais, multi-instrumentista e compositor com formação musical na área do jazz, tratou da música, dos arranjos e da direcção musical. A canção brasileira e o cancioneiro norte-americano são as fontes inspiradoras.
Domingo, 28 de Agosto, arranca às 21h30 com o espectáculo Joel Xavier “Back to the Blues 20 Years After”. Nascido em Lisboa no dia 25 de Abril de 1974, Joel Xavier é considerado um dos mais prestigiados guitarristas mundiais, tendo já tocado com lendas da música como Toots Thielemans e Richard Galliano. Em 2011, comemora 20 anos de carreira regressando aos blues.
O último concerto do Sines em Jazz, às 22h45, é da responsabilidade do projecto Ibericae, uma colaboração entre o quarteto de Vasco Agostinho (professor da Escola das Artes de Sines e um dos mais prestigiados guitarristas portugueses) e o pianista catalão Albert Bover. Vai ouvir-se música original e improvisada de raiz jazzística.
Informações detalhadas sobre o evento no site
www.centrodeartesdesines.com.pt.

25 comentários:

Anónimo disse...

aqui em Sines é so lixeiras e estradas cheias de buracos e casas de meninas é o que á mais e barracas de madeiras velhas e resto de telhas de zinco é mais parecido com os campos da Somália

Anónimo disse...

parabéns para sines pela sua grande dinâmica cultural e qualidade dos seus espectáculos. Em tempos de crise é bom ver que há concelhos que continuam a fazer um esforço para terem vida cultural. Era óptimo que Santiago seguisse também o exemplo de Sines

Anónimo disse...

ainda bem que Santiago nao segue o exemplo de Sines, veja o contentamento do anomino do post anterior. Nao sabemos dar valor ao que se faz no nosso concelho e o que lhe posso dizer

Anónimo disse...

Se houvesse um ranking dos concelhos do Alentejo Litoral, analizando um a um em vários itens, Santiago Cacém fica em último lugar em muitos aspetos e o mais grave disso é que é o concelho que teria todas as condições para estar em primeiro lugar. Às vezes dou comigo a pensar como é que isto é possível, como é que isto chegou a este ponto, e não encontro respostas.

Anónimo disse...

sabe o que Sines tem de melhor que nos, e o bloque estaça~~o de sines e que aqui os que se dizem capazes de tomar conta de um concelho nem para manter um bloque como dever ser e capaz de informar e de se discutir assuntos s~~ao capazes,
por isso e que cada vez menos venho aqui, qualquer que seja o assunto os comentarios sao sempre os mesmo e dos mesmos,

Anónimo disse...

Volto a chamar a atenção para o cine-teatro Vitória de Ermidas-Sado que está em ruínas, em que a câmara de Santiago prometeu à população arranjá-lo e metê-lo ao uso da freguesia. Se Ermidas pertencesse ao concelho de Grândola já tinha sido arranjado. Esta administração comunista só tem olhos para Santo André porque sabem que é lá que se ganham e perdem eleições.

Anónimo disse...

Agora Ermidense, com as "vacas magras", nem que a vaca tossa, vão fazer obras no Cine-Teatro das Ermidas.
Só se aparecer o mecenas que queira investir no Concelho e o PC precisar de votos.

Anónimo disse...

Oh amigo ermidense, só você é que ainda não viu que o vosso teatro é mesmo para cair até à última pedra?
Você acha que a câmara vai gastar aí algum cêntimo, ainda para mais numa freguesia socialista? Acorde, homem, que o vosso teatro é só mais uma ruina a somar a muitas outros por este concelho afora, que um dia destes fica conhecido como o concelho das ruinas. Venha cá a santiago que eu levo-o a visitar mais ruinas.

Carlos Santos disse...

S. Domingos, Vale de Água, Abela, S. Bartolomeu, Ermidas, Alvalade, S. Francisco e Stª Cruz são freguesias abandonadas, envelhecidas, com problemas sociais, onde não há uma distracção, onde não chega a cultura, onde não há uma peça de teatro, onde não vai a biblioteca municipal, onde há muitas obras para fazer, promessas por cumprir, etc. Santiago com este poder comunista tem criado assimetrias enormes dentro do concelho, e municipes de primeira e municipes de segunda.
Portanto, amigo ermidense, não pense que o cine-teatro Vitória é o unico caso de abandono no concelho. Toda a parte rural do concelho de Santiago Cacém tem sido abandonada pelo poder comunista que manda na câmara.
E só há uma maneira de resolver isso, que é derrotar e mandar estes artistas para o mais longe possível de cá antes que eles destruam o pouco de bom que ainda resta no concelho. Ao contrário do que a máquina de propaganda politica comunista faz passar, Victor Proença é o pior presidente de câmara que alguma vez passou por Santiago. Pior ainda que o Cheis, pior que o Ramiro, e outros.

de cá disse...

É um facto que o interior do concelho se vai desertificando.
É só S. André!
Mas é incompreensível que as pessoas continuem a votar nesta gente, que os abandona!
Para quando uma lista de gente nova, independente?

Anónimo disse...

Parece que já começaram a notar a ruina a que estes empregados do PCP, transformaram o Concelho de Santiago...que foi SEMPRE o melhor do Litoral, até 1974...
Fora com esta espécie de "gente"...jáaaaaaaaaaaaa...!!!

Anónimo disse...

O governo da cãmara de Santiago é tipico nos partidos que colocam os interesses eleitorais por cima das necessidades das populações. Que é fazer obra que dê nas vistas onde ajam mais eleitores e mais votos para que isso possa dar reeleições atrás umas das outras. Onde as freguesias têm poucos eleitores e portanto dão poucos votos, gasta-se só o indispensavel para não se dizer que não fazem nada. O cine-teatro de Ermidas serviu como promessa eleitoralista muitos anos para alimentar a esperança dos ermidenses de forma a irem votando cdu. Como mudaram e votaram PS, sinceramente não acredito que o cine-teatro seja alguma vez restaurado. E a partir de agora até ao ano de eleições só vai aparecer obras e festas em Santo André, Santiago e Cercal que é onde à mais votantes.

Anónimo disse...

E a "maravilhosa" feira do monte deste ano...???
A pior de sempre...UMA VERGONHA.
Tirem estes GAJOS da Câmara...antes que eles acabem com o "resto"...!!!

Anónimo disse...

Sou da opinião que Santiago do Cacém nas próximas eleições autarquicas deve mudar de cor partidária porque penso que este modelo da CDU está completamente esgotado e ultrapassado e nota-se que os concelhos da região que sairam do espectro da CDU mudaram para melhor ao passe que Santiago está em queda acentuada. E está a cair não somente nas freguesias do interior mas também as freguesias de Santiago e St André não estão nada melhores para aquilo que deviam. A propria cidade de Santiago está praticamente morta e ao fim de semana nem se fala. Mais parece uma cidade fantasma. E quem tem tido a culpa disto tudo é quem tem governado o concelho e não o Socras e outros como a CDU quase sempre acusa, atirando as culpas para outros, sacudindo a água do capote como se não tivesse nada a ver com a administração do concelho.

Anónimo disse...

Realmente a feira do monte foi muito mazinha este ano. Será que as pessoas com ideias foram de férias e não voltaram?

Ermidense disse...

Embora possa ser o desejo de certa gente, o Cine-Teatro Vitória de Ermidas não será destruído e algum dia voltará a receber os ermidenses depois de ser devidamente arranjado. A cãmara de Santiago, ou melhor os comunistas de Santiago que tudo têm feito para matar as freguesias de menor dimensão, sabem que em Ermidas encontram uma população que não se verga nem se deixa intimidar.

lopes disse...

As pessoas não percebem que a Câmara Municipal quer acabar com a Feira do Monte, velha de séculos?

Anónimo disse...

A Câmara Municipal...não quer nada...é um edificio lindissimo que foi todo alterado por incompetentes e insensíveis...construindo autênticos "pombais", num edificio histórico...
Quem quer acabar com a feira e com o concelho é o PCP, através dos empregados que tem mandado para Santiago...
"Gente" incompetente e mal formada...O PÍORIO...!!!

Anónimo disse...

Oh amigo ermidense, se ficarem à espera da cmsc para recuperar o cine-teatro, bem esperar sentado a ver o imóvel cair a pouco e pouco. A prioridade da cdu é santo andré para lamberem os votos dos seus habitantes. Se o concelho está numa lástima, bem podemos agradecer aos habitantes de santo andré que são quem dá as vitórias á cdu.

Santiaguense disse...

Lamento bastante que o concelho de Santiago tivesse chegado ao ponto em que está. Sou natural de uma freguesia do interior do concelho mas por razões profissionais estou a residir em Santo André e nas minhas férias dei uma volta pelo concelho e vi um concelho triste, com pouca vida, ruas desertas, muitos problemas urbanos, etc, etc. Julgo que ao longo dos anos desde que foi implantanda a democracia, que o concelho podia estar numa situação melhor em muitos aspectos, porque houve dinheiro para isso. Deu-me imensa pena ver várias freguesias com tons muito cinzentos em termos de vida.

Anónimo disse...

Este blog deveria ter um outro nome, sobretudo relacionado com Santiago do Cacém, atendendo a que os comentários a qualquer post derivam sempre para os problemas, e que problemas, de Santiago Cacém.
A última. Sei que até pouco mais de um mês antes do seu início, a Feira do Monte, esteve para não se realizar. Bem melhor seria, qualquer mercado em Vale de Água tem mais gente que aquela feira.

Anónimo disse...

Para conhecimento de todos e até de quem nem quer saber:
- Há aldeias que nem ruas têm
- Aldeia dos Chãos tem nome de travessas que não existem (são caminhos de cabras em terra e pó)
- A Lagoa de Santo André, o Jardim Municipal, as Ruinas Miróbrida, as ruas da sede do Concelho incluindo a Avenida Principal, o interior do edificio da Câmara Municipal, todas as entradas à cidade de Santiago do Cacém, etc, etc, etc...ESTÃO PIORES DO QUE EM 1973...!!!
Até conseguiram este ano (2011) fazer a PIOR FEIRA DO MONTE de que há MEMÓRIA...!
Do que é que estão à espera para tirar estes destruidores COMUNAS do Concelho de Santiago...!!!???

Anónimo disse...

Santo André e Santiago do Cacém é onde a câmara mais dinheiro gasta. O resto das freguesia é para deixar arder até se transformarem em lares de idosos e centros de dia. Não admira que a juventude esteja a ir embora do concelho, pois não se criam condições para eles ficarem. Há quem diga que para o partido comunista até é melhor um concelho com mais idosos porque a esses é mais fácil de captar o voto e a maioria deles já são comunistas. Logo, há que lhes dar condições para viverem mais tempo e a juventude que vá à cata da sua vida para outro lado.

Anónimo disse...

Exactamente...o PCP alimenta-se politica e socialmente da MISÉRIA, DA FRAGILIDADE, DA DEPENDÊNCIA, DA IGNORÂNCIA E DO MEDO...que fomenta nas populações...
Até que enfim que alguém começa a COMPREENDER a verdadeira essência deste partido que só em Portugal (na Europa) tem alguma voz e força...
UMA VERGONHA...

Anónimo disse...

Mais uma vez faço lembrar: O PCP foi eleito por maioria para a CMSC com 26,7 % dos eleitores inscritos.