4.26.2011

Projecto Rota Vicentina liga Santiago do Cacém a Sagres em dois caminhos pedestres

O projecto Rota Vicentina, que consiste numa rota pedestre de 300 quilómetros ao longo da Costa Alentejana e Vicentina, baseado numa forte parceria público-privada da região, vai ser apresentado oficialmente esta sexta feira, 23. Trata-se de um projecto promovido pela Associação Casas Brancas, em parceria com a Associação Almargem, que consiste numa grande rota de percursos pedestres, a implementar entre Santiago do Cacém e Sagres. São cerca de 300 quilómetros, repartidos por dois trajectos que se complementam: o traçado histórico, que recria o antigo caminho e que atravessa as principais localidades, e o caminho dos pescadores, junto ao litoral e percorrendo todo o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. “Numa aposta unânime entre agentes públicos e privados da Costa Alentejana e Vicentina, o projecto pretende afirmar esta região como um destino europeu de turismo de natureza, oferecendo uma infra-estrutura transversal que promete viabilizar o usufruto de um dos mais belos trechos pedestres do país e da Europa”. A homologação internacional permitirá integrar a GR11, que liga Sagres a S. Petersburgo, percorrendo toda a Europa e integrando os Caminhos de Santiago. Para além da sinalização do percurso, o projecto prevê uma forte campanha de sensibilização das populações locais para a importância de um projecto estruturante como este, para um desenvolvimento mais sustentável, e também para incentivar a criação de projectos complementares e de suporte. A Rota Vicentina deverá ser inaugurada no final de 2011, seguindo-se uma estratégia de promoção internacional dirigida a operadores e imprensa especializada em turismo de natureza. Para além da associação de turismo Casas Brancas, que coordena o projecto, a parceria conta também com a Associação Almargem, que assumirá a implementação do projecto a sul de Odeceixe, e também os municípios de Santiago do Cacém, Sines, Odemira, Aljezur e Vila do Bispo, o ICNB, o Polis do Alentejo Litoral, as Entidades Regionais de Turismo do Alentejo e do Alentejo Litoral, entre outras entidades. Trata-se de uma iniciativa QREN, apoiada no Alentejo no âmbito do INALENTEJO, cujo investimento ascendeu a cerca de 400 mil euros, com co-financiamento FEDER de cerca de 244 mil euros, e no Algarve no âmbito do PO ALGARVE 21, com um investimento de cerca de 140 mil euros e co-financiamento FEDER de cerca de 90 mil euros.

Sem comentários: