5.31.2010

Será que devemos acreditar neste "eldorado"?

As receitas turísticas do primeiro trimestre deste ano aumentaram 6,3 por cento, comparativamente com o mesmo período do ano passado, com destaque para a região do Alentejo que no último ano foi a única com resultados positivos.
Estes valores foram apresentados por Bernardo Trindade, secretário Estado do Turismo na abertura da Conferência Turismo, Ambiente e Biodiversidade, que decorreu no Centro de Congressos de Tróia.
Aquele responsável referiu ainda a importância dos empreendimentos turísticos do Litoral Alentejano e o esforço de afirmação dos investidores e das autarquias locais. A Conferência Turismo, Ambiente e Biodiversidade, organizado pela Região de Turismo Alentejo Litoral propõe-se debater as relações entre a indústria do Turismo, a conservação da Natureza e a Biodiversidade, tendo como pano de fundo a emergência de um novo destino turístico no litoral alentejano.
O presidente do Turismo do Alentejo Litoral e da Câmara de Grândola, Carlos Beato, lembrou que já estão investidos no litoral alentejano cerca de 400 milhões de euros em projectos turísticos havendo ainda a necessidade de se investir na área de congressos, desporto, golfe e náutica, entre outras, como forma de fomentar cada vez mais o turismo de qualidade.
Não deixa de ser curioso que seja o Presidente Beato, que tem já aprovados muitos milhares de metros cúbicos de betão e milhares de metros quadrados de construção, venha agora falar em Ambiente e Biodiversidade.
Como se pode promover turismo de qualidade com os acessos que existem, com mais de 30 000 camas, com a maos de obra inexistente e desaqualificada, com a magra oferta cultrural, com a destruição de ecosistemas, paisagens sistemas culturais?
Mais uma vez o Alentejo Litoral será sacrificado em prol de algo que não existe!