1.14.2010

Fórum Urbano de Alcácer do Sal reúne pela primeira vez

Os parceiros do programa "Regeneração Urbana de Alcácer do Sal...do Castelo ao Sado", constituídos em fórum de discussão, reúnem hoje, pela primeira vez após a assinatura do protocolo de financiamento.
O programa de acção do Ruas vai mudar Alcácer do sal e envolve um investimento global de 8,5 milhões de euros, dos quais aproximadamente 2,3 milhões são comparticipados pelo FEDER, numa iniciativa QREN com apoio no INALENTEJO. O objectivo é valorizar o papel de Alcácer do Sal como a cidade histórica do Litoral Alentejo.Esta reunião, onde estará o núcelo operacional do projecto, constituído por técnicos da autarquia de diferentes áreas e o presidente da câmara municipal, Pedro Paredes, que também preside ao fórum, dá o arranque dos trabalhos que levarão à execução do plano. Periódicamente, o núcleo reunirá com os parceiros e prestará contas do andamento do processo.Os projectos de execução das intervenções de regeneração urbana têm que ser apresentados até Dezembro de 2010 e executados até final de 2012.
Entre os projectos financiados no âmbito da candidatura encontra-se a requalificação do espaço público na margem norte do Sado; a reformulação do Largo 25 de Abril, a requalificação do Largo dos Açougues, a requalificação da Torre do Relógio, a elaboração de um projecto de sinalética integrada, a implementação de sinalética na Frente Ribeirinha e no Centro Histórico e um plano de divulgação e comunicação.De acordo com o programa de acção, para a zona ribeirinha, está ainda programada a criação de uma ecopista contínua de ligação nascente-poente, a reabilitação e dinamização da escola de remo municipal e a ampliação do ancoradouro já existente na margem sul.No centro histórico estão previstas intervenções no Largo Francisco Gentil, bem como a criação de ums solução integrada de recolha de resíduos sólidos urbanos.
Na zona do Castelo, o programa prevê a requalificação do espaço público e a extensão das áreas arqueológicos a descoberto; e a elaboração de um estudo para a estabilização do morro e para a conservação da estrutura fortificada.Os acessos ao Castelo também não foram esquecidos estando programadas intervenções na Estrada de Santa Luzia, rua da Matriz e rua das Torres.Todas as intervenções deverão ser executadas até 2013, cabendo à Câmara encontrar formas de financiamento para as levar a cabo.A reunião decorre no auditório da Biblioteca Municipal de Alcácer do Sal, pelas 20h30 e visa apresentar todos os contornos da candidatura e o seu plano de acção, bem como recolher contributos.

12 comentários:

Alcarecense disse...

Salve, Salve! Até que enfim que vejo aqui algo de Alcácer do Sal, esse concelho-exemplo para o litoral alentejano que está a dar cartas na região, e já é a grande capital da cultura e do património da região aonde os outros concelhos podem vir ver e buscar ideias. Esta notícia é outro grande exemplo de como se trabalha em Alcácer do Sal. Salve Alcácer! Salve Paredes!

Anónimo disse...

Oxalá outras localidades históricas como Sines, Odemira, Santiago, Grândola, etc, façam também algo pelas suas zonas historicas que bem estão a precisar. Parece que Sines e Santiago já estão também perto de grandes obras nas suas zonas historicas e aos poucos isto vai melhorar bastante

Anónimo disse...

Conversando, discutindo propostas, recebendo contributos, criando um fórum, assim vai Alcacer mostrando aos vizinhos como se devem fazer estas coisas! Aprendam com a velha Salaccia, a cidade histórica mais importante do litoral alentejano!

lopes disse...

Essa de ser a cidade histórica mais importante é um bocado forçado.
Tem sim um passado muitissimo importante na idade romana, árabe e baixa idade média.
Depois morreu.
Mas parabéns porque parece estar a ressuscitar, ao contrário de muitas outras desta região!

Anónimo disse...

Custa muito engolir o passado de Alcácer do Sal para certos concelhos da região. Sines ao pé de Alcácer não é nada. Odemira ainda menos. Grãndola nem nos chega aos calcanhares. Santiago tem as ruinas Mirobriga, que pelo que vi um dia destes estão numa lástima. E Santiago pouco mais tem que isso. Portantos, vão começando a habituar-se a ver Alcácer ganhar protagonismo nesta área, porque depois da Cripta, das villas romanas que estão a ser tratadas, depois da pousada no Castelo, depois da recuperação do Museu Etnográfico do Torrão, vem ai este grande projecto de restauro da zona histórica e o museu municipal recuperado. Habituem-se amigos porque Alcácer está na moda e a mostrar como se trata a história e os monumentos do passado.

Anónimo disse...

Algum outro concelho do Alentejo Litoral tem na cãmara uma equipa como a de Alcácer só a trabalhar na história e na arquelogia? Nem sombras! Aprendam!

M Brito disse...

Bom...este pessoal de Alcácer anda cheio de vento!
Realmente tem sido feito muito e a Câmara Municipal tem tido um papel muito importante.
Mas dai a dizer que o passado de Alcácer do Sal é o mais importante da região é um pouco excessivo.
Acho que se cada localidade valorizar o que tem e não tentar evidenciar-se á custa de outros e mau...até porque cada localidade tem as suas caracteristicas e teve os seus periodos áureos.
Agora devem é trabalhar em conjunto!

Anónimo disse...

Nisto como noutras áreas, falta efectivamente uma estratégia conjunta na região com projectos intermunicipais que possam relançar a região como um todo, e fazendo dela um grande destino cultural, ao nível de eventos, património, museus, exposições, etc.

Anónimo disse...

Verdade seja dita, a CMAS tem trabalhado bem nos últimos anos e tem cada vez mais trabalho para mostrar na defesa do seu património e da sua história. Parabéns à CMAS, pelo excelente trabalho que está a desenvolver.

Anónimo disse...

Santiago Cacem terá também as romeirinhas arranjas, a tapada, e outras artérias da zona historica bem arranjadinhas este ano para também se relançar, não é só Alcácer que está a trabalhar bem. Sines também vai arranjar toda a zona histórica e ja arranjou a zona historica do Porto Covo.

Anónimo disse...

Santiago está a atrasar-se em relação a Alcácer nestes temas e já vem de mandatos anteriores. Penso que Santiago é um gigante adormecido, cheio de potencialidades mal aproveitadas e com dinheiro gasto em obras e actividades de gosto duvidoso, pelo que é com alguma expetativa que se aguardam as obras no centro histórico, que penso estarem prometidas para arrancar este mês se enganada não estou!

crescer disse...

Com que então nem Santiago, nem Sines têm PRU? Pelos vistos não. Ah deve ter sido por isso que o PRU da Zona histórica de Sines ficou em 1.º lugar no INALENTEJO. Também não têm qualquer vida cultural? O auditório de Alcácer uih, aquilo tem uma programação cultural, capaz de fazer corar de vergonha o CAS. E escolas de música como em Santiago ou clubes e associações desportivas e culturais de hóquei, andebol, ballet, basquetebol, surf, natação (sim natação, e com resultados)... isso também existe em Alcácer. Que grande terra esta a nossa!!!! Aprendam que Alcácer uih, tem tanta oferta, que nem sei o que fazer durante a semana e também ao fim-de-semana (talvez ver o atlético, com gente nova da terra).... Ah e património, coitadita da nobreza santiaguense, não tem mesmo nada... foram completamente espoliados