11.11.2009

Via Algarviana ruma a Norte, a Santiago do Cacém

A Via Algarviana (VA) prepara-se para se expandir e servir de ligação a outras rotas pedestres nacionais e europeias.
Além de continuar a trabalhar com a Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal para fazer a ligação a Espanha, a Almargem, entidade gestora da VA, tem agora em carteira um novo projecto com a associação Casas Brancas.
A ideia passa por associar VA às rotas vicentinas, num percurso que ligará o Cabo de São Vicente a Santiago do Cacém. O projecto está integrado no Provere e deverá ter início em 2010. À Almargem competirá a marcação do terreno em território algarvio, enquanto a parte alentejana ficará a cargo da Casas Brancas.
Mais notícias em http://www.barlavento.online.pt/index.php/noticia?id=37289

3 comentários:

Anónimo disse...

Louvo este projecto revelando grande visão da associação "Casas Brancas" e do municipio de Santiago do Cacem.Ou muito me engano ou a ideia dos promotores é lançar o embrião do reconhecimento do Caminho de Santiago no troço vicentino.Conheço o trabalho que a associação "Casas Brancas" desenvolve aqui em Odemira e Aljezur e tenho tomado conhecimento das dificuldades que têm enfrentado.Parabens tambem à ADL e claro à vossa câmara de Santiago.

Anónimo disse...

A questão das eleições autárquicas terminou?
Não terá interesse debater o facto de a CDU, eleita em Santiago do Cacém por maioria, ser uma "ilha" no Baixo-Alentejo?
Que méritos e deméritos para quem respectivamente ganhou e perdeu?
Parece-me que o assunto em questão não deveria ser debatido sómente durante a campanha eleitoral, mas sim prolongar-se no após eleição, onde cada um poderia alvitrar as suas respeituosas idéias sobre os resultados obtidos por cada força política.

Anónimo disse...

Penso que este projeto pode ser positivo para o concelho de Santiago, mas faltam-me informações para poder ter uma opinião mais consistente. Devia-se explicar melhor o que é a via algarviana, o caminho de Santiago, o que é que está em causa, que projectos estão na calha, de que forma é que isso é benéfico para o concelho ou região, etc. Tenho ouvido muito pouco sobre estes projectos, e penso que devia haver mais informação.