11.30.2009

Dá que pensar

A População portuguesa estagnada com o interior cada vez mais desertificado!
O Instituto Nacional de Estatística (INE) conta 195 municípios que perderam população no último ano. Quase todos estes casos ficam no interior do país. Na grande maioria, a perda de pessoas deve-se a resultados negativos na taxa de crescimento natural, ou seja, mais mortes do que nascimentos.
Ao contrário do interior, a maioria dos municípios do litoral viram a população aumentar em 2008 - o litoral alentejano é uma excepção!!!
Dá que pensar que uma região com estas potencialidades, com uma relativa qualidade de vida, onde foram ( e são) feitos grande investimentos para criar industria e serviços, aumentou o turismo e o resultado é o descréscimo da população!??
Algo se passa, algo está mal explicado, algo merece uma reflexão profunda.

4 comentários:

Anónimo disse...

Não é dificil perceber porque razão está o litoral alentejano como está. Basta ver o tipo de pessoas que durante anos a fio comandaram os concelhos, e estão encontradas as razões. Até isto entrar na rota do progresso ainda há muito atraso para resolver.

Anónimo disse...

Perante estes dados preocupantes, deviamos ver os nossos autarcas interessados em debater e tentar encontrar as razões que levam a estes números. Até a nossa comunicação social poderia igualmente promover um debate alargado, com autarcas, sociólogos, técnicos sociais, etc, que pudessem ajudar a perceber este declinio e a encontrar soluções para inverter estes números.
Infelimente não vemos ninguém preocupado nem interessado em perceber as causas muito menos encontrar soluções para a real situação da região, sempre na boca dos politicos como uma com as maiores potencialidades mas que se vê agora que cada vez mais vazia de pessoas.

Anónimo disse...

Dá que pensar e muito.
Bom post

Anónimo disse...

Não está mal explicado. As estatísticas, quando mal analisadas, enganam. É verdade que em 2008 a população do Alentejo Litoral aumentou mas alguém se preocupou em comparar com os dados dos Censos de 2001? Então aí não há que pensar. Todos os municípios, com excepção de Sines, perdem população e não é pouca coisa. É que, de 2001 a 2008, muita coisa se passou e não podemos apenas nos ludibriar com os dados de um só ano e sem uma análise evolutiva mais abrangente. No entanto, o título do post também é adequado. Dá que pensar esta regressão populacional. Em Sines percebe-se o porquê. Em Santiago do Cacém nem o "bom" desempenho de Vila Nova de Santo André permitiu estancar a sangria das freguesias mais rurais. Esperemos pelos Censos de 2011...