10.20.2009

Centro Cultural Emmérico Nunes


18 comentários:

Anónimo disse...

O CCEN é nesta altura a grande referência do Litoral Alentejano no que diz respeito à divulgação do nosso passado, papel que podia ser partilhado pelas câmaras municipais mas que infelizmente se limitam a actividades muito pontuais em vez de o fazerem de forma sistemática ao longo de todo o ano. Parabéns ao CCEN.

Marinheiros de Sines disse...

Importa realçar o papel do CCEN que ao longo do tempo tem mantido um percurso muito interessante e e importante.
Pena a guerra que a Cãmara de Sines lhe faz.
A Cãmara e Sines só tinhama ganhar com o apoio e a ligação entre ambas entidades

Anónimo disse...

Exemplos como o CCEN, Sociedade Harmonia, e outros, fazem falta na região. Mas com apoios a sério, porque toda a carolice não chega para nada

Anónimo disse...

AJAGATO, QUADRICULTURA, etc, ui tanta gente boa a fazer actividades pela região

Anónimo disse...

Direi que o blogger faz agora uma pirueta estratégica.Santiago já não está a dar,tamanha que foi a derrota que os da CDU pregaram a alguns "iluminados",Sines tambem não dada a grande oportunidade que o PS perdeu para vencer as autárquicas que agora se voltam para o CCEN.Não é aqui que está,entre outros o srºJoão Madeira nº 2 vencido à AM de Sines?Desafio o blogger a dar a cara e dizer quem é.

Anónimo disse...

Oh anónimo das 11.00, o que é que essa charela tem a ver com este post?
Desafio o bloger a não validar comentarios ofensivos, ou que não tenham nada a ver com os posts a ver se isto tem alguma ordem.

F Lobo disse...

Saudo o CCEN por mais esta iniciativa, desejando que em todos os concelhos do Litoral existissem mais CCEN.

Anónimo disse...

Fazem falta mais CCEN's na região que tem tido um conjunto de actividades muito diversas, inovadoras, criativas e também olhando às raizes do litoral alentejano o que não é menos importante. Com poucos ovos têm feito omoletes saborosas!

Adelaide disse...

Em breve Santo André também terá o seu Centro Cultural. Será a obra de despedida do nosso presidente e já se fala que ficará com o seu nome para perpetuar a sua obra.

Vieira disse...

Não estou muito dentro do plano de actvidades anual do ccen mas tenho ouvido falar bem desta actual direcção, porque tenho bastantes amigos em Sines. Embora também já me tenham dito que se trata de uma colectivdade cultural muito desprezada pela câmara de Sines.

Anónimo disse...

O centro cultural de santo andré talvez seja a obra do mandato em Santiago do Cacém. Para trás e abandonados ficam o Museu de Arte Sacra, no antigo Hospital do Espírito Santo, a recuperação do Cine-Teatro Vitória em Ermidas-Sado, e a necessidade cada vez maior de um museu municipal construído de raiz em Santiago dadas as evidentes limitações da antiga cadeia. Relativamente ao castelo de Santiago, só será devolvido à população ao serviço da cultura e do turismo no dia em que outra força politica vença eleições em Santiago. Serão seguramente mais 4 anos em que nada andará neste processo para mal de quem tem um pequeno comércio no centro histórico de Santiago que definha cada vez mais e carece de pólos de atracção, de chamamento, de actividades, ou seja de vida. Talvez uma sucursal do CCEN pudesse ajudar Santiago.

Anónimo disse...

O CCEN É O EXEMPLO ACABADO DE UMA INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA ADMINISTRADA PELA SOCIEDADE CIVIL, À BASE DE VOLUNTARIADO, COM APOIOS REDUZIDOS, QUE FAZ MAIS EM CERTAS ÁREAS DO QUE AS PODEROSAS CÂMARAS, QUE ESBANJAM MEIOS EM FUTILIDADES E ONDE NÃO EXISTE UMA LINHA COERENTE DE POLÍTICAS CULTURAIS!

F Lobo disse...

O anónimo das 11.24 deixou aqui algumas considerações sobre a questão dos museus em Santiago do Cacém.
Não concordando com o aqui foi dito, acho que urge uma reflaxão sobre os equipamentos culturais em santiago do Cacém e tentar definir um rumo.
Se os administradores deste blogue concordarem, enviarei uma reflexão mais alargada, procurando fomentar a troca de ideias neste tema particular.

Anónimo disse...

Há muito tempo que se ouviu falar do museu de arte sacra em Santiago, que tinha uma parceria entre a diocese de beja e a câmara, e já tinha inclusivamente projecto de um arquitecto de nomeada, mas faz anos que se deixou de falar nesse projecto. Quem souber as razões que as conte. Também se ouviu falar do centro de estudos jacobeus na antiga casa da câmara, pelos vistos não anda nem desanda. Também se fez alarde da recuperação da sociedade harmonia, apresentou-se o projecto com pompa e circunstância, mas até agora não se viu mais nada. Também se tem prometido retirar o cemitério do castelo, mas até agora não se viu nada. Tem-se prometido tanta coisa, mas afinal ou são só promessas ou não passam de projectos e de projectos e promessas está a população de Santiago farta. Agora ainda vêm para aqui com um museu municipal novo! De facto acho que seria bem vindo e faz falta sim senhor, porque Santiago precisa urgentemente de factores de atracção turistica para dinamizar a cidade, o comercio, etc.

Anónimo disse...

Não há qualquer coisa para discutir, porque o programa eleitoral da CDU é inequívoco. Só vai haver o Centro Cultural de Santo André neste mandato e ponto final. O resto do concelho não é contemplado com equipamentos culturais.
Santiago e Santo André, e o resto do concelho é apenas mera paisagem

A Lobo disse...

Agora é um Hotel no Palácio do "Condinho" ?
Com o estacionamento na Tapada ?
Ou a Tapada vai ficar eternamente esquecida e paredes meias com o Cemitério ?

Anónimo disse...

NO DIA EM QUE ESTA REGIÃO FUNCIONAR COMO UM TODO, SEM FRONTEIRAS ENTRE CONCELHOS, COM PROJECTOS COMUNS EM TODAS AS ÁREAS, SERÁ IMPARÁVEL. ASSIM COMO AS COISAS ESTÃO, CADA CONCELHO FUNCIONANDO COMO CAPELINHAS ISOLADAS, SEM TER EM CONTA A REGIÃO NO SEU TODO E NAS SUAS DIVERSIDADES, É A POPULAÇÃO QUE FICA A PERDER. É UMA INCÓGNITA O CASO DE SANTIAGO, O UNICO CONCELHO CDU DA REGIÃO, E OS PRÓXIMOS 4 ANOS. NÃO SE AUGURA NADA DE BOM, MAS VAMOS VER.

Santo Andrino Devoto disse...

Ó Dª. Adelaide, fico enaltecido que estas palavras sobre o nosso presidente.
Finalmente o Senhor conseguiu arranjar uma parceria público-privada para nos oferecer um Centro Cultural.
Bem Haja.