10.21.2009

Aldeia solar em Odemira

No Monte Cerro, próximo de Colos (Odemira) estão a ser experimentados vários protótipos tecnológicos para tornar uma comunidade de 50 pessoas auto-suficientes a nível energético.
A Aldeia Solar é um projecto da comunidade de Tamera e vai ser inaugurada amanhã.“A ideia é viver um ano inteiro com esta tecnologia, ver como funciona e encontrar os pontos fracos e fortes, para poder projectar um modelo para a Tamera inteira”, explica Barbara Kovats, coordenadora da Aldeia Solar. O campo de testes conta, por exemplo, com uma estufa multifuncional que, além de permitir o cultivo de alimentos com baixo consumo de água, também aquece óleo vegetal, que é armazenado num recipiente, permitindo assim captar e distribuir o calor entre um motor Stirling, que produz electricidade, e a cozinha. Outro protótipo em testes no Alentejo, região escolhida em parte por ser “rica” em exposição solar, é a bomba de água que funciona apenas com energia solar termal. Junto da cozinha, construída no âmbito do projecto, um grande espelho, com cerca de dois metros de diâmetro, desperta a curiosidade: “É um espelho de foco fixo, que vai reflectir o Sol para um tacho próprio, que aquece água em cerca de 30 minutos”.
O esclarecimento é dado por Fabian Deppner, também membro da Tamera e colaborador no projecto, que explica tratar-se de uma tecnologia antiga, mas ainda usada na Índia, num local onde se cozinha para 30 mil pessoas. Barbara Kovats garante que “estas tecnologias podem adaptar-se a todas as partes da Terra, possibilitando o desenvolvimento regional e a independência das grandes multinacionais da energia”. “É remar um bocadinho contra a maré, mas é exactamente essa a ideia, criar estes modelos alternativos”.
As tecnologias utilizadas na Aldeia Solar foram na sua maioria inventadas pelo alemão Jürgen Kleinwächter, que colabora com esta comunidade residente no Alentejo, a qual acaba por ser o seu “campo de ensaio”.
Até ao momento, em Tamera estão ainda a ser utilizadas as fontes de energia “normais”, à base de combustíveis fósseis, mas com que a comunidade “quer acabar”. Barbara Kovats assegura que, com a Aldeia Solar que vão testar, estão “a meio caminho” para se descomprometer, sendo que “o próximo passo” será encontrar “patrocinadores”, para desenvolver a tecnologia e planear a sua reprodução.
Mais informação em http://www.tamera.org/

29 comentários:

Vieira disse...

As energias renováveis são o futuro. Há que haver mais incentivos para projectos neste campo, e com as autarquias a darem o exemplo em algumas das suas infra-estruturas para fazer baixar a factura energética do país e do erário público. Temos que pensar, no Litoral Alentejano, em adquirir uma pequena frota de pequenos mini-bus electricos para o dia das pessoas, incluindo ao serviço do turismo. Porque não em Santiago um mini-autocarro eléctrico que faça um circuito pelo centro histórico, castelo, igreja matriz, romeirinhas, museu municipal, ruínas Miróbriga, Museu de Abela, etc. Ou para um circuito pelas igrejas do concelho?

Anónimo disse...

Será que o Vieira ainda não percebeu que já ocorreu um 11 de Outubro?Ou pensa ainda que estamos a viver aquele período em que ele e os seus amigos cegaram com criticas à gestão de Santiago?Ó amigo acorde que hoje vivemos um novo dia.O povo votou maciçamente nos da CDU e disse SIM à gestão desenvolvida e a desenvolver.Acorde rapaz,que o tema é aldeia solar em Odemira...Quanto ao mini-autocarro eléctrico dê o exemplo e troque a sua viatura por uma mais ecológica.

Anónimo disse...

Chiça, como isto está! Nem sequer se pode postar aqui uma ideia que caiem-nos em cima com sete pedras na mão!!!!!! Inacreditável!

Anónimo disse...

Então é assim:
O Sr. Vieira,resolveu e muito bem dar uma boa dica sobre energias renovaveis.
Apareceu um "camarada", a trocar alhos por bugalhos e como sempre a trocar as voltas.
Sr. anónimo das 11.53, será um mini-bus eléctrico alimentado por energia renovavelnão sera oprtuno , ou está espera que o "Grande Chefe",concorde.
Porque não haver uma viatura deste tipo a circular pelo concelho Em vez de gastarem "uma pipa" de massa, com a pimbalhada em "concertos" para o circo, não era melhor olhar para o ambiente.
Já agora, quando é que acabam com o "tanque de residuos fecais e outros" existente lá para os lados da discoteca "Alexander´s". Afinal "aquilo" vai prá donde!

A Lobo disse...

Toda a razão ao post das 11:09 .
O autor do post das 11:53 ainda não acordou da "bebedeira" colectiva que se apossou das forças vencedoras .
Ninguem tira o mérito aos vencedores , mas daí a que se caia em cima de quem tenha uma ideia diferente ou a veleidade de apontar uma critica , vai uma enorme distancia .
Mas vindo mais uma vez de um "coragoso" anónimo até nem é nada de admirar .

Anónimo disse...

Que se faça um decreto para silenciar todos os blogs, internet e cafés onde se reunam mais de 2 pessoas. Até um tema como energias renováveis dá polémica? Viva a democracia de alguns.

Anónimo disse...

Estamos a tentar discutir ideias que possam ser aplicáveis na região, a partir de um bom exemplo de Odemira, mas parece que há gente que não quer discutir nada e vem para aqui com comentários fora de tempo. Se calhar o melhor é encerrarem-se todos os locais de opinião livre ou meter-se uma rolha na boca das pessoas. Nem sequer estamos a falar de nomes, nem a beliscar quem quer que seja. Cada vez percebo menos desta democracia!
Sobre o tema em concreto, julgo que esta experiencia em Odemira é louvável e podia ser multiplicada em muitos locais. Não sei até se as serras do Cercal e de Grãndola não terão condições para pequenos parques eólicos, ou se isso iria agredir demasiado a paisagem, mas seria um bom tema para discutir.

Anónimo disse...

O CONCEITO DE DEMOCRACIA PARA CERTOS CONTERRÃNEOS, TEM MUITO QUE SE LHE DIGA. GOSTEI DA IDEIA DO VIEIRA, PORQUE A CIDADE DE SANTIAGO TEM INCLINAÇÕES GRANDES ATÉ AO CASTELO E UM MINI-BUS ELECTRICO ERA EXCELENTE PARA OS TURISTAS, NA ÉPOCA ALTA E CLARO, TAL COMO ACONTECE EM ALGUMAS CIDADES COM OS COMBOIOS TURISTICOS DENTRO DAS LOCALIDADES. NATURALMENTE QUE NISTO DAS ENERGIAS NÃO POLUIDORAS MERECIA TAMBÉM INICIATIVAS DAS AUTARQUIAS QUER USANDO MAIS PAINEIS SOLARES EM ALGUNS EQUIPAMENTOS, MAS TAMBÉM AO NÍVEL DE ALGUNS VEICULOS MUNICIPAIS, ONDE FOSSE POSSIVEL EFECTUAR CERTAS E DETERMINADAS SUBSTITUIÇÕES, E NA ILUMINAÇÃO PUBLICA DE JARDINS, ETC. ESTE ASSUNTO DAVA PANO PARA MANGAS TAIS SÃO AS PORTAS QUE SE PODEM ABRIR NESTE CAMPO.

F Lobo disse...

Uma questão que deveria ser aprofundada e que se insere nesta reflexão de sustentabilidade, racionalidae, paisagem, economia, etc é a Arquitectura em Terra.
Já existem muitos exemplo, muitos arquitectos e alguma percepção por algumas autarquias da nossa região do enorme potencial e interesse deste tema.

Anónimo disse...

São temas muito interessantes onde ainda faltam estudos e politicas efectivas. Energias renováveis e as possibilidades de serem adoptadas na especificidade de cada concelho da região, era um bom tema para conferências, coloquios, etc.
A Arquitectura em Terra, vulgo taipa, adobe, etc, tem vindo a ver crescer o número de adeptos na nossa região, em particular no concelho de Odemira mas não só. Era e é mais um tema muito pertinente para ser discutido tendo em conta as características climatéricas da região, os níveis térmicos das habitações face ao clima, etc, e, porque não, os municípios criarem projectos e incentivos também nesta área que é muito particular do Alentejo e da nossa região.

Anónimo disse...

Porque não divulgam coisas boas e só dizem mal?

Vão ver no blog da rádio.

....Há um músico de Santiago do Cacém que compôs uma canção para o novo disco de José Cid.
Num exclusivo da Miróbriga , vamos ficar a saber no Atlântico quem é este músico.
No próximo sábado, a partir das 7 da tarde, tudo será revelado e o próprio José Cid estará presente.....

Falam muito dos outros concelhos mas é daqui em Santiago do Cacém, um concelho da CDU e não do PS, que temos um músico que compõe para o famoso José Cid. Assim se prova que Santiago do Cacém é um concelho de cultura e música.

Anónimo disse...

Ao anónimo das 04:46, acho que está equivocado. O músico ou as muitas pessoas de mérito de Santiago do Cacém repartem-se por diversas simpatias partidárias, religiosas e clubísticas, entre outras. Nada tem a ver com o ser um concelho que por enquanto continua a votar CDU. Quase que aposto que o músico não é CDU e isso pouco importaria. Santiago é uma realidade muito mais vasta que os partidos políticos, que a Câmara e que a CDU então nem se fala. Há esta mania triste de meter a políticazinha em tudo, até nas artes e na cultura. É pena. Cumprimentos a todos.

Anónimo disse...

Devo ser miope porque estes artigos são coisas boas e exemplos que podem ser seguidos. A discussão está nisso, não vejo alguém a dizer mal. Não se pode já comentar nem falar? Voltámos ao tempo da ditadura, anónimo das 4.46 ?

Anónimo disse...

Bem, parece que vontade não falta a certas e determinadas pessoas de meterem rolhas na boca das pessoas ou porque não bloquear teclados para assim não se defenderem ideias nem pontos de vista. Ai esta Democracia, ai ai, que só tem olhos para o elogio fácil! Algns meninos que temos por aqui, Salazar ao pé deles era um menino de coro!
São os mesmos que branqueiam o sistema politico em Cuba, na China, e as monstruosidades e massacres nos países de Leste como na antiga União Soviética, onde quem ousava criticar o regime era hipotecar a sua vida e a da familia.
Propriamente sobre o tema, vejo aqui ideias bastante interessantes que precisavam ser bem discutidas e colocadas em prática sempre que fosse possível porque é nas energias limpas que está o futuro da humanidade, e também aqui neste tema as câmaras municipais podem ter uma importante palavra a dizer. Venham os projectos.

crescer disse...

Estes insultos de certeza não cairiam muito bem na comunidade tamera.

Que tal tirarem uns diazitos ou mesmo um só dia e visitarem o sítio, talvez refrescassem um pouco as vossas ideias e esses constantes sentimentos de raiva para com os outros.

O local até é bastante aprazível.

Anónimo disse...

Afinal estava enganado. Esse programa era uma acção reaccionária de certos individuos.

Anónimo disse...

Um programa onde entre o José Cid só pode ser reaccionário.

Anónimo disse...

Como podem ver foi um programa de rádio reaccionário da oposiçaõ ao concelho.
http://atlanticoradio.blogspot.com/

Anónimo disse...

Ui, a resvalar novamente da questão das energias alternativas. O José Cid reaccionário? ahahahahah. A ignorância é obtusa. E alguém usa ainda a palavra reaccionária em 2009? Esta burguesia PC de Santiago dos mercedes e bmw tem a mania da perseguição e sente-se no centro do mundo, pensa sempre que estão a falar deles. Não liguem, parabéns pelo blog alentejo litoral e também aos autores do programa, é por produções destas que estão onde estão lá em cima e são o orgulho do alentejo litoral e outros não passam da cepa torta. Quem nasceu para lagartixa...

Anónimo disse...

Parabéns pelo programa do José Cid à Antena Miróbriga, voltámos aos grandes tempos dos programas com as novidades antes de todos os outros! Também não admira, quem faz o programa é dos melhores profissionais do país inteiro. E sim, devemos apostar nas energias renováveis, assim as empresas e burocracias das câmaras não impeçam, força ao blog!

José Matias disse...

Quem quiser ver o impacto dessa emissão do programa Atlântico é ir a este endereço.

http://josecidcamaleao.blogspot.com/2009/10/coisas-do-amor-e-do-mar-madrugada-na.html#comments

Parabéns pelo programa e pelo blog e sempre pelas energias renováveis que o nosso litoral alentejano bem precisa.

JCT disse...

Julguei que andassem no gozo quando li que estavam a ofender o SR. JOSÉ CID. Apelidar o SR JOSÉ CID de reaccionário é próprio de, não há outro adjectivo, atrasados mentais. Sou fã do SR JOSÉ CID e que blog é este afinal que ataca o SR JOSÉ CID e um programa de rádio que está a ser elogiado por CENTENAS DE PESSOAS POR PORTUGAL INTEIRO?

JCT - AVEIRO

Olga disse...

Os portugueses são por vezes ligeiros e ignorantes. O que é ser reaccionário? Quem escreveu semelhante atrocidade porventura sabe que José Cid é dos músicos portugueses com mais canções que foram censuradas pela PIDE? José Cid é uma estrela na música portuguesa e nunca pactuou com gente inútil. Como não nasci ontem compreendo que existe certa animosidade pelo grande José Cid e pelas pessoas que fizeram o programa na rádio local. Reaccionário é quem exerce o anonimato para caluniar. Afinal que partido gere a vossa câmara em Sines? Escutem o novo e maravilhoso disco do José Cid e vejam se largam a politiquice bacoca e se tornam homenzinhos. José Cid reaccionário? Pois, tá bem, é ele e a Lenda d'El Rey D. Sebastião.

Mário disse...

O Litoral Alentejano tem o sortilégio de ter um músico que consegue receber rasgados elogios de José Cid que sempre foi conhecido por ser muito exigente nas suas avaliações e o que se verifica? Neste blog aparecem vozes a ofenderem tudo e todos, incluindo o próprio José Cid que parece que apenas pelo facto de ter incluido um tema do Ulisses no seu CD já é reaccionário. No blog da rádio aparecem mais de 14 comentários a elogiarem o programa e a pedirem a sua repetiçáo. O que faz a rádio? Nada! Não divulga a canção composta pelo Ulisses nem responde aos ouvintes e comporta-se como se fosse uma rádio com milhões de ouvintes. Como podemos evoluir se até nestas coisas somos uma miséria? Que se elogiem as pessoas pelo valor que têm em vez de se insinuar e ofender só porque podem pensar de maneira diferente de nós próprios. Até este blog agora é usado para atacar o José Cid.

Anónimo disse...

Lamentável. É o minimo que se pode dizer de certos comentários por aqui. Aliás não é por acaso que o concelho de Santiago está moribundo, porque com gente desta tacanhez pouco se pode ter. Este comunismo aburguesado e só com olhos para a sua barriga está a prazo e um dia também terá o seu final por cá.

Atlântico disse...

Para desfazer mitos e dada a impossibilidade do último programa ser de novo transmitido na Miróbriga devido a padronização da grelha dos dias úteis,o programa Atlântico resolveu disponibilizar a escuta em poadcast do último programa, com José Cid e Ulisses e onde está, em exclusivo nacional, a primeira versão de "Madrugada na Praia Deserta" antes da produção final, gentilmente cedida por José Cid.

Agradecemos ao Luís Silva do Ò e ao blog O Outro Lugar a disponibilização de espaço no seu servidor particular para tornar possível a nova escuta do programa a todos os ouvintes do Atlântico e da Miróbriga, bem como fãs de José Cid e K2O3.

faça download do programa em

http://atlanticoradio.blogspot.com


Atlântico, Um Conceito de Rádio

Anónimo disse...

Meus Senhores o PREC, voltou novamente à baila. Apelidar o Zé Cid de reaccionário, é confundir o cú com a feira de castro.

Anónimo disse...

olhem lá quem afinal é leitor do blog, o sr. bruno de quem tanto se tem falado neste blog. depois de ter metido os pés pelos braços sobre uma bandeira municipal fico com duvidas se será só leitor.......

Francisco V. disse...

Uns apresentam-se e responsabilizam-se pelo que dizem. Outros vêm para aqui falsos anónimos a denegrir a imagem deles e de muitos. Deturpação e maldicência, que coragem, hã? Cunhal deve dar voltas na tumba, ele sim era coerente, agora esta meia dúzia que aqui vem é o que se vê. Como dizia ali o outro... Quem nasceu para lagartixa... Saudações democráticas a quem o fôr.