9.23.2009

As pessoas esquecem-se...

A candidatura do PS à Câmara Municipal de Santiago do Cacém, na pessoa de Arnaldo Frade apresentou queixa à CNE por um suposto abuso e recorrer a «meios públicos para promoção de candidatos partidários».
http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=148684
Todos nós sabemos que, infelizmente, é pratica comum e pelo que se viu, não nos parece que seja pior ou melhor do que muitíssimas iniciativas semelhantes em diversas autarquias do país.
E em Santiago do Cacém as pessoas já deveriam estar habituadas porque os boletins municipais não são mais do que campanha, em estado continuado, parecendo, os ditos boletins, mais um album de fotografias de Vitor Proença.
O que aguardamos é que o mesmo Arnaldo Frade tenha a mesma iniciativa em relação ao governo do seu partido e ao despudorado abuso e utilização de bens públicos na propaganda de promessas e acções que nunca foram nem serão cumpridas.
As pessoas, ou antes, os politicos esquecem-se...

P.S. D. Carlos dizia que os chefes de estado tinham mais uma doença que as restantes pessoas: o atentado. Nòs acrescentamos: o atentado e a falta de memória, esse sim, um verdadeiro problema de saúde pública que afecta os politicos!

25 comentários:

Anónimo disse...

A minnha opinião é que acho a revista imoral, e mais grave porque a cãmara tá xeia de dividas e sempre a dizer que tem falta de dinheiro pra isto e pra aquilo e depois faz uma despesa destas pra fins eleitorais. Realmente tanto o boletim municipal como a revista são verdadeiros albuns de fotografias do presidente, parecendo uma estrategia de culto da personalidade do presidente, onde as outras forças politicas não podem meter nenhum artigo, fazendo de conta que o boletim está apenas ao serviço da CDU e dos seus interesses, o que dá bem a entender o conceito de democracia destes cromos.

lopes disse...

Pois é, mas em Sines o Sineense tb (com menos fotografias do Coelho), em Grândola a mesma coisa: é só glorificação pessoal.
O que irrita é esta acção de marketing do Frade. O PS que faça o mesmo em Grândola.
Nós temos bom remédio: e não votar nem um nem noutro.
Força Pereira Dias.

Anónimo disse...

Já agora a CDU de Sines fez a mesma queixa contra Manuel Coelho, mas não vejo aqui nenhum artigo sobre isso! Curioso! O litoral alentejano não é apenas Santiago!
Em Sines a CDU critica o que a CDU faz em Santiago. Conforme os interesses e a sede de poder! Esta CDU e o partido comunista, surpreendem sempre pelo seu elevado grau de "democracia" conforme vai dando jeito. Ora bem!

Alentejo_SW disse...

Só tivemos conhecimento da queixa da CDU de Sines em relação ao candidato Manuel Coelho após a publicação da notícia sobre Santiago.
Mas no essencial mantemos as ideias principais: que todos, infelizmente, fazem este tipo de acções e que o esquecimento é um mal comum, até já acontece entre concelhos limítrofes, ou seja, atravessam os limites administrativos e "contraem" esta "doença".
E o que vale num já não vale no outro.
Ainda outro comentário: esta "doença" dos esquecimento afecta normalmente a coluna vertebral dos políticos!

Anónimo disse...

Alto lá, em Sines não pode ser. O presidente da cãmara não pode usar os meios da cãmara para fins politicos, incluindo o boletim municipal e vai daí a CDU de Sines apresentou uma queixa na comissão nacional de eleiçoes contra o Manel Coelho.
Mas em Santiago a CDU acha que sim, sim senhor, é normal fazerem-se estas revistas com os meios da cãmara para fins eleitorais.
Resumindo: em Sines NÃO, alto lá, não pode ser.
Em Santiago, SIM pode ser e é normal.
Esta CDU é mesmo anedótica e o pior é que há gente que vai atrás disto e vota neles.

Anónimo disse...

o boletim municipal de santiago em cada 4 fotos 3 são do presidente vitinho desde que dirige a câmara. Até enjoa também propaganda ao artista, mas não admira já que o homem tem uma grande máquina de propaganda só a trabalhar a sua imagem. E esta revista é do mesmo genero, só de pensar que está ali dinhero dos meus impostos me roio toda!

Anónimo disse...

Todos fazem o mesmo. Admira-me que o Frade pegue em coisa pouca para atingir o Proiença. Se calhar quando ele faria o mesmo. Aliás, se repareare, aparece sempre o frade em comunicações do PS no Concelho e ao que eu sei o PS no concelho são várias pessoas, pelo menos assim o determina os estatutos do PS. Mas o frade não coloca mais nimguém a não ser ele, e o meu mentor o Rosas.
Pretendo dizer que ainda não é poder e desde que é Presidente da Concelhia não aparece mais nimguém a não ser ele ou então alguém que não o enfrente. ès pior que os comunas frade.!! Quem não te conheça que te compre. Em ti não voto eu,

Anónimo disse...

ele paga em coisa pouca pois ele só por si já é pouco. Ele não sabe como pegar no Proença, não tem ideias para combater a CDU.´É pena eu não sou da CDU mas o PS com o Frade oferece muito pouco, muito pouco e a acumular com o Sr. Jorge Nunes e o homem que vive no Cercal mais os deerrotistas de outras eleições do Ps, como o óscar a Dr. Rito e mais uns desconhecidos, a coisa é realmente fraca. Não haverá no PS gente mais capaz?

Anónimo disse...

Estas atitudes já passaram a ser corriqueiras que as pessoas já nem ligam porque sabem que estas queixas não passam sequer de mera informação jornalistica.
Todos nós aqui no Litoral conhecemos o Victor, especialista em Marketing ( em tempos teve uma empresa), logo a sua vocação está há vista.
Não se esqueçam que os Partidos Comunistas defendem "encapotadamente" o culto da personalidade.

Anónimo disse...

Não sei se é desta que perdem a câmara mas tenho vários amigos comunistas que não apreciam nada a forma como o partido tem sido gerido em Santiago, mas infelizmente pouco ou nada podem fazer porque estão de mãos atadas. Malta que pensa o que disse o zé ferro há muitos, mas não têm os tomates que ele teve. Ninguém tem dúvidas que o PCP em Santiago está em decadência e não fosse a base eleitoral com pouca instrução e poucas habilitações literárias que é fiel cegamente com o voto, já a câmara tinha sido perdida. Pessoas que não simpatizam com o presidente nem com certa vereação são às carradas, mesmo entre comunistas.

Anónimo disse...

Alcácer, Odemira e Grãndola já deixaram de ser concelhos geridos pela CDU. Sines será o próximo. Se o trabalho de 30 anos de poder da CDU fosse do agrado dessas populações, elas estariam satisfeitas e não tinham razões para mudar o seu sentido de voto. Santiago é um concelho cada vez mais atrasado, tacanho, que tem perdido importância e centralidade, onde se esbanjam meios e dinheiros importantes em festas e futilidades, e se ignoram necessidades básicas que estão por resolver há dezenas de anos. Há pequenos povoados no concelho de Santiago sem uma única rua pavimentada! Parece mentira, mas é verdade! Porquê? Porque a câmara está apenas com os olhos na cidade de Santiago (e mesmo assim mal) e em Santo André (também mal, que até aquela população quer ser concelho e deixar Santiago). Só não vê quem não quer, que este concelho está sem estratégia, sem visão de futuro, e a atrasar-se a cada ano que passa, incluindo cavando um fosso cada vez maior entre o litoral e o interior do concelho. Se isto é estar no bom caminho, eu vou ali e já venho!

Anónimo disse...

Deve ou não deve ser punido este tipo de propaganda com os nossos dinheiros?Esta é a questão...

Anónimo disse...

Estes comportamentos e o uso de dinheiros e meios dos municípios em favor das estratégias partidárias devia ser prevenido e punido. Porque estamos a falar de erário público e meios públicos. Punido contra quem o fizesse independntemente do partido que seja. Mas não deixa de ser um caso curioso, este entre Sines e Santiago. Para uma situação semelhante, a CDU faz avaliações diferentes tendo como único critério o seu interesse partidário. Disso não ficam quaisquer dúvidas e a leitura que se pode fazer desta situação concreta não favorece em nada a CDU.

Anónimo disse...

Dificil será existir um concelho como o de santiago do cacém onde a cada mandato crescem as assimetrias entre os grandes centros urbanos e toda a faixa interior e rural do concelho, onde é vísivel em diversas áreas os diferentes tratamentos entro o urbano e o rural, entre o litoral e o interior. A CDU tratou de 35 anos de poder em Santiago, através de uma gestão meramente de interesses politicos, criar dois tipos de municipes. Uns são de primeira, e têm à sua disposição piscinas, bibliotecas, auditórios, escolas de música, gabinetes municipais, espectáculos variados, etc, e depois, do outro lado, os municipes de 2ª categoria, no interior do concelho, que nem sequer uma rede de transportes públicos têm à sua disposição para se poderem deslocar aos centros urbanos e tornar mais acessível o que não têm nas suas freguesias. Um concelho profundamente injusto, desigual, sempre tendo no horizonte fazer mais obra onde existem mais eleitores e assim a CDU manter-se no poder. É pena que assim seja e tem que se meter um ponto final nisto de uma vez por todas. Por isso votarei no PS, que é a única força politica com condições de derrotar a CDU e dar uma volta a tudo isto.

Anónimo disse...

Mas o mais engraçado da revista é a CMSC dizer que está a fazer obra, quando são outro a fazê-la. É ocaso do saneamento e águas do bairro do Carrusca em Ermidas-Sado. Essa obra está a ser feita pelo dono do loteamento a seguir aquele bairro.

Anónimo disse...

O QUE PASSA COM O CINE-TEATRO DE ERMIDAS É UM DOS MAIORES ESCANDALOS DA GESTÃO CDU DE TODOS OS TEMPOS. QUER DIZER EM SANTIAGO DÃO UM PROJECTO DE 100 MIL EUROS À SOCIEDADE HARMONIA E FIZERAM UM AUDITÓRIO COM O PATRONO ANTÓNIO CHAINHO, E EM ERMIDAS PROMETEM PROMETEM MAS O CINE-TEATRO ESTÁ A CAIR PARA O CHÃO AOS BOCADOS. FREGUESIAS PEQUENAS É UMA VERGONHA COMO SÃO TRATADAS EM ASSUNTOS IGUAIS AOS DA CIDADE DE SANTIAGO.

de cá disse...

Esta situação do cine teatro da Ermidas está sempre a aparecer aqui
A minha pergunta é:
Quem gere, quem mantém, quem faz a programação?
Vai ser como o "cine teatro" Chaínho, que só passa cinema?
A minha pergunta é: quem vai gerir tudo.
Também tenho algumas dúvidas sobre o novo museu de Alvalade.
Quem pede as coisas tem de pensar que custam dinheiro a fazer e custam dinheiro a manter.
Acho bem que se recupere o cine teatro, e que todas as freguesias tenham cine teatros.
Mas é exigivel que a programação seja intensa, que a manutenção seja um encargo de todos.
É facil pedir e depois as coisas ficarem fechadas, e que alguém venha e pague a conta.
A gestão CDU não tem sido inteligente e a programação dos vários equipamentos é vergonhosa: Auditório, bibliotecas, os museus.
Ainda sobre o cine teatro: alguém se preocupou em saber quanto vai custar essa recuperação, quanto vai custar a manutenção, qual vai ser a programação, se a população das ermidas vai encher todas as semanas, a pagar bilhete e ver espectáculos de teatro, cinema, musica etc?
E quantas pessoas vão ver o museu de Alvalade?
E quantos espectáculos (tirando o cinema) houve no Auditório Chaínho?

Anónimo disse...

Mas isso é tudo falta de estratégia e de uma politica cultural para o municipio, minimamente coerente e homogénia. Se nem em Santiago que é a sede do concelho, existe uma politica cultural coerente e estruturada, como é que isso pode acontecer nas freguesias? A situação do cine-teatro Vitória, em Ermidas, é a prova disso mesmo. Para além de ser um equipamento cultural, é património do concelho e que podia representar muito para toda uma faixa da população daquele sector do concelho e não se compreende como é que o edificio está naquele estado, quase em escombros depois de tantos anos de promessas.

Anónimo disse...

A situação do cine-teatro de Ermidas-Sado está sempre a aparecer porque a CMSC teve possibilidade de o adquir por um preço justíssimo, 11.000 contos há mais de 10 anos, e NÂO QUIS ter arte e engenho para o fazer, quando da existência do Programa do Centro Rural das Freguesias de Ermidas-Sado e Azinheiras dos Barros.
Creio que uma rede completa e descentralizada desse tipo de infraestruturas, transformaria este concelho numa referência cultural. O que se lamenta é que a CDU sá tenha olhos para Santiago e Santo André.

Anónimo disse...

Esse cine-teatro de ermidas não teve a mesma sorte que a sociedade harmonia, onde a CMSC ofereceu o projecto avaliado em 20 mil contos. Porquê? Simples. Porque Ermidas é Ermidas e Santiago é Santiago. Estes artistas que estão à frente da câmara sempre trataram o interior do concelho como os parentes pobres e passados estes anos todos de gestão CDU observe-se bem as diferenças entre as grandes e as pequenas freguesias. O meu voto vai ser de protesto contra isso porque não admito discriminações de qualquer especie entre freguesias.

Anónimo disse...

Ninguém pode almejar ter um cine-teatro ou um centro cultural em cada freguesia nem isso seria viável. Mas almejar uma politica cultural do municipio que chegue a todas as freguesias é um dever e uma obrigação da câmara municipal de Santiago aproveitando todos os espaços existentes em cada uma delas, e avaliando em cada um quais as suas capacidades para receberem determinado tipo de actividades, e não apenas concentar as politicas culturais do concelho nas freguesias de Santiago e de Santo André. Naturalmente que nas freguesias onde existem equipamentos com esse fim, é também obrigação da câmara fazer o seu aproveitamento e colocá-los ao serviço das populações, mas infelizmente em Santiago, em Ermidas, e em Alvalade Sado a câmara em vez de assumir a reabilitação da Sociedade Harmonia, do Cine-teatro de Ermidas e do Cinema de Alvalade, a única coisa que fez até agora foi oferecer o projecto de recuperação da Sociedade Harmonia. Em vez que apostar e investir na recuperação da Sociedade Harmonia, preferiu construir o auditório António Chainho, quando deveria sim ter feito um equipamento mais modeste de apoio ao parque de feiras, e canalizar o dinheiro gasto ou para a recuperação da Sociedade Harmonia, ou para a recuperação de um dos espaços anteriores, ou mesmo para a construção do Centro Cultural de Santo André que tanta necessidade faz, sendo Santo André a freguesia do concelho com maior dinâmica cultural. Infelizmente não é apenas nesta questão que se vê a falta de estratégia da CDU em matéria de poltica cultural. Outra questão incompreensível, e prejudicial para Santiago, é a manutenção do cemitério no castelo. Não podemos aceitar nem compreender que esta questão passe pelo tempo de anos e anos sem qualquer solução. Em Sines e em Alcácer ambos os castelos estão ao serviço da cultura e do turismo, enquanto em Santiago o castelo está ao serviço dos mortos e da morte do nosso centro histórico. Este comentário não tem nada a ver com o post, mas como estão a comentar a politica cultural do concelho e o blog não tem tido a dinâmica que seria de esperar neste período eleitoral, preferindo trazer temas que de momento pouco ou nenhum interesse terão para estas populações, que ainda vivem desinformadas, ou bombardeadas por propaganda distorcida, quis deixar a minha opinião.

Anónimo disse...

Realmente este blog com a "marca registada" de Alentejo Litoral, é muito limitado nas sua aspirações, sobretudo neste período eleitoral.
Motivos para debater não faltam.
Na sequência do post anterior que aborda o tema do cemitério de Santiago do Cacém, sou a reforçar a opinião do mesmo e creio que seria um bom motivo para debater e opinar neste blog do Alentejo Litoral a partir das idéias que os candidatos teêm sobre o assunto.

Santiaguense disse...

É de lamentar que em tantos anos à frente da câmara de Santiago a CDU não tenha querido retirar o cemitério do nosso castelo, porque mesmo sendo algo que não pode ser feito de um dia para o outro já tiveram tempo mais do que suficiente para resolver este caso e devolver o castelo à população, o que seria óptimo para trazer mais turistas ao centro histórico desde que tivesse animação constante, tipo exposições, feira medieval, e outras coisas mais. É de lamentar também que o centro histórico de Santiago esteja praticamente morto, com mau aspecto, e com o comércio praticamente morto. Acho que já deu para ver que a CDU não tem tido vontade nem estratégia para dar a volta a todas estas questões, logo é preciso mudar de politicos na câmara quanto antes para bem de Santiago.

Anónimo disse...

O QUE EU SEI É QUE SE SANTIAGO CONTINUAR COMUNISTA, FICAREMOS A VIVER NUMA ILHA "SOVIÉTICA"...

SEM "BARCOS"(para "fugir"), SEM FUTURO, SEM LIBERDADE, SEM "FIDEL", (mas com médicos cubanos), SEM "JARDIM" - ENFIM UMA "ILHA" CDU - COM PARQUES DE CAMPISMO, COM "RECOLHER" OBRIGATÓRIO ÀS 19 HORAS, COM ESCOLAS DE MÚSICA DA CÂMARA, QUE NÃO "DÃO" MÚSICOS, COM NOVAS RUINAS PARA VISITAR: SOCIEDADE DA "MÚSICA", CINE-TEATRO DAS ERMIDAS, PARQUE CENTRAL EM VILA NOVA DE SANTO ANDRÉ, PASSEIO DAS ROMEIRINHAS, SEDE DA UNIÃO SPORT CLUB, JARDIM MUNICIPAL, ETC.
DENTRO DE POUCO TEMPO TEREMOS UMAS NOVAS "RUINAS" PARA OS NOSSOS TURISTAS PODEREM VISITAR - O "PARQUE DO CHAFARIZ" - É UMA "PROMESSA"...

Anónimo disse...

Acho piada o pessoal de Santo Andre querer ser concelho porque a cãmara só olha para Santiago!!! Eles que venham ver Santiago, mas com os olhos bem abertos, e vão ver que estamos iguais ou piores que Santo André. Por isso é que vou votar no PS porque pior do que isto é impossível.