8.25.2009

Câmara Municipal de Sines compra edifícios no Centro Histórico

O município de Sines aprovou a compra de dois dos edifícios mais importantes do centro histórico da cidade e o inicio da obras de requalificação da estrada de Porto Covo.
Trata-se do edifício dos antigos correios, na Praça Tomás Ribeiro, e do edifício do antigo Museu Arqueológico de Sines, na Rua Francisco Luís Lopes.
O edifício dos antigos Correios, foi adquirido pelo valor de 260 mil euros enquanto que o o antigo Museu ( a casa do José Miguel da Costa, criador e grande impulsionador do Museu, e a quem siens muito deve) custou aos cofres da autarquia 319 400 euros.
A aquisição dos antigos Correios permitirá a instalação dos serviços do Julgado de Paz e da Loja do Cidadão e o segundo integra-se nos objectivos do Plano de Pormenor de Salvaguarda da zona histórica. A importância da reabilitação do edifício para equipamento colectivo encontra-se sinalizada no programa de Acção para a Regeneração Urbana de Sines, cuja candidatura foi aprovada em Julho.
Foi também aprovado o lançamento do concurso para a reabilitação e reperfilamento da Estrada Municipal 554, que liga a estrada nacional entre Morgavel e Porto Covo,.
A Câmara decidiu atribuir “prioridade máxima” à empreitada depois de ter sido aprovada a candidatura a fundos comunitários.A nova estrada terá um perfil de 8m de largura e capacidade para a circulação de veículos ligeiros e pesados, prevendo-se a sua conclusão antes do início da próxima época balnear.
Consideramos que são boas iniciativas, apesar da função do antigo Museu não estar ainda definido, mas é um edifício de qualidade e que representa bastante na história de Sines.
Esperamos que a nova função dos antigos Correios venha trazer mais vitalidade e pessoas ao centro histórico e que sirva para motivar e modernizar o comércio nas imediações, que se encontra parado no tempo, e que sendo uma das zonas mais centrais e mais visitadas de Sines, não se compreende esta letargia e desinteresse dos lojistas.
Sobre a questão da estrada, que liga Porto Covo à EN 120-4, peca por tardia, pois liga a um dos destinos turísticos mais visitados do Concelho de Sines e do Litoral Alentejano, e que desde há muito tempo apresentava um estado de degradação e perigosidade vergonhoso para o Concelho e região.