7.29.2009

Sessão sobre os impactos negativos da Ferrovia Sines_Grândola Norte

Vimos convidar todas as pessoas que se interessam pela nossa região, pelo seu desenvolvimento, pela sua paisagem, pela sua riqueza, pelo seu ambiente e pelo seu dinheiro a participar numa sessão-debate sobre "Os Impactos Negativos do Novo Traçado da FerroviaSines-Santiago-Grândola no Alentejo Litoral" que se realiza no próximo dia 29/07/2009, pelas 21h30 no Auditório Municipal "António Chainho" em Santiago do Cacém.
Trata-se de uma iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém e que na qual estarão presentes, entre outros, Vítor Proença - Presidente da Câmara Municipalde Santiago do Cacém, Carlos Beato - Presidente da Câmara Municipal de Grândola,Francisco Santos - Presidente da Câmara Municipal de Beja, Professor Manuel CostaLobo - Instituto Superior Técnico, Professor Fernando Nunes da Silva - Instituto Superior Técnico e Especialista em Transportes e Acessibilidades, Professor Augusto Mateus - Consultor em Estratégias de Desenvolvimento, bem como a AssociaçãoProtectora do Montado Contra a Ferrovia Relvas Verdes - Grândola Norte.
Sendo urgente a concretização desta Ferrovia para mercadorias em velocidade alta, pretende-se com esta iniciativa discutir as alternativasde traçado aos corredores de atravessamento propostos pela Refer e no entender de muitos prejudiciais ao desenvolvimento da Região do Alentejo Litoral e sua complementaridade com Beja, bem como nos dois municípios mais afectados: Santiago do Cacém e Grândola.

11 comentários:

Anónimo disse...

Sou a favor de arranjarem a linha antiga como deve ser e não estragarem mais a região com outra linha nova para além do isolamento que pode ficar na relação do interior com o litoral. À linha nova digo - NÃO !

Anónimo disse...

Na minha opinião a melhor opção era a requalificação e ajuste da actual linha mas com uma variante ferroviária à cidade de santiago, porque comboios de alta velocidade a passar onde passa a actual linha dentro dos limites urbanos não seria muito positivo.

de cá disse...

Estive lá.
Casa cheia, as populações unidas, tres concelhos unidos, os Presidentes das Câmaras falaram bem, o Professor também e parabéns a Associação Protectora do Montado, que tão nova e já com bom trabalho.
Não passará esta ferrovia!

Anónimo disse...

Avaliação Ambiental do Traçado Sines/Grândola vai ser suspensa
Governo aceita argumentos do Autarca de Grândola.
O Presidente do Município de Grândola, Carlos Beato, anunciou ontem em Santiago do Cacém, num debate promovido por aquela autarquia sobre o traçado proposto pela Refer para a nova ferrovia de transporte de mercadorias, de bitola europeia, entre Sines e Grândola, que na sequência da audiência que manteve no passado mês de Junho com o Ministro da Obras Públicas, Mário Lino, a Secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, lhe garantiu da disponibilidade do governo de suspender a Avaliação de Impacte Ambiental e serem colocadas outras alternativas para serem estudadas.
Recorde-se que o traçado proposto pela Refer para a nova ferrovia iria abater milhares de sobreiros, com consequências graves para o montado de sobro – uma das riquezas do Concelho e da Região, passaria ao lado de aldeias vocacionadas para o turismo rural, por cima de habitações que têm mais de 50 anos e atravessaria explorações agro-florestais.
Para além de retalhar os Concelhos, o traçado proposto pela Refer compromete ainda a estratégia de desenvolvimento do Município pondo em causa a afirmação do Litoral Alentejano como um novo Destino Turístico de Excelência.

Anónimo disse...

A vergonha não tem limites. Já Sines se insurgia contra o traçado defendendo a ligação a Ermidas e o Proença ignorava o Coelho por questões pessoais. Há cerca de um ano, a Câmara de Sines propôs o traçado para Ermidas no plano de urbanização da zona industrial e tal facto foi ignorado por todos. Se quiserem consultem este plano no site da câmara e depois digam da sua justiça.

Anónimo disse...

Pois... esta nova linha é necessária para o correto funcionamento do porto de sines... vamos ser radicais e impedir a construção desta nova ferrovia? penso que deviamos sim perceber em que pontos esta é projedicial e propor as alterações necessarias... a paisagem pode ser bonita mas não gera riqueza por si so...

Anónimo disse...

Não acredito que este traçado novo vingue! Era mau de mais para a nossa bela região. Bela por enquanto.

Anónimo disse...

Tambem lá estive.Tenho terreno no concelho de Grândola.Grande iniciativa com boas intervenções.A explicação técnica do professor Costa Lobo foi elucidativa.Gostei muito da iniciativa promovida pela câmara de Santiago.Lamento a audencia da secretária de Estado Paula Vitorino pois ao telefonar para o presidente Beato no próprio dia à tarde demonstrou que receia a contestação.Parabens presidente de Santiago.

efernandes disse...

Uma questão que acho que deveria merecer a nossa atenção:
A nova ferrovia será um facto, mais por aqui ou mais por ali.
Iremos TODOS tentar que estrague o menos possível.
Não acham que depois de montada a nova ferrovia e os novos comboios a funcionar que deveríamos lutar por colocar pelo menos uma carruagem de passageiros em cada comboio?
Se o comboio tem que ir e vir e se este é um meio de transporte rápido, confortável e seguro, porque não servir também os cidadãos?
À Atenção dos Srs, presidentes das Câmaras do Litoral, Refer, CP e...

Anónimo disse...

Gosto de ver toda a gente unida numa causa tão importante como esta, é bom para a região. Era bom haver também união para outras causas porque a região iria ganhar muito

Anónimo disse...

Por falar em comboios não seria já tempo de melhorar a rede de transportes publicos no nosso concelho de santiago? Até para o ambiente era bom porque havia menos carros a circular.