1.05.2009

Para 2009....

O ano de 2009 adivinha-se agitado!
Com tantas eleições, a crise geral mundial e em particular o agudizar da crise nacional, a depressão geral, são factores que nos fazem olhar com especial atenção e apreensão para o futuro mais próximo.
Na nossa região, a nosso ver, existem alguns temas que vão, certamente, ocupar as nossas mentes e conversas:
As eleições autárquicas, as grandes obras previstas ou em curso e a falta de estratégia regional.
Sobre as eleições autárquicas não se vislumbram grandes mudanças. Tal como no país, não existem oposições fortes e credíveis, mesmo quando os elencos autárquicos são de fraca qualidade.
Em Alcácer do Sal, tudo aponta para a manutenção, tal como em Grândola. Os actuais autarcas, apoiados em projectos turísticos megalómanos, mas que vão financiando as obras de "regime" e vão dando "pão e circo" aos locais, certamente irão manter-se sem grandes alterações...e enquanto houver costa e terrenos para betonar assim será.
Em Santiago do Cacém tudo aponta para a manutenção, com uma oposição fraca e apagada. A grande dúvida será o nº 2...será que Vitor Proença irá deixar cair a opaca Vereadora da Cultura Santos (que cultura não tem nenhuma) e promover o Vereador Beijinha?
Vamos ver como o autarca que melhor domina a comunicação social irá gerir esta situação.
Em Sines, a oposição é um pouco mais activa, mas ainda assim julgamos que sem um nome à altura para destronar o PCP da Câmara Municipal.
Tempos atrás falou-se da não recandidatura de Manuel Coelho, mas o apelo ao poder é maior que a vontade de retirar e julgamos que irá continuar. Põe-se também o problema do nº 2, com a estrela em ascenção Marisa Santos bem colocada. E os dilemas de Sines continuarão, com o dificil equilíbrio entre a indústria poluidora e o turismo de praia.
Odemira continuará a sua versão de orgulhosamente sós, com uma realidade diferente, tentando evitar que o concelho se transforme numa faixa habitada no litorla e um deserto no interior. Será que o Presidente Manuel Camilo vai conseguir, visto que a oposição também não apresenta alternativas fortes?
Sobre este e os outros temas voltaremos em breve.

5 comentários:

Anónimo disse...

Nunca percebi bem o que é que Margarida Santos está a fazer na câmara de santiago, porque mais fraca não deve haver. Foi mau para o concelho que o V. Proença tivesse deixado o pelouro da cultura e logo passado-o a Margarida. Pode ser que o PS tire a maioria absoluta à CDU, porque ganhar acho que não ganha, logo tendo à frente um tipo como o Frade, que mal a mal servia para presidente de uma junta de freguesia. Dos outros partidos, ou hibernaram ou estão em estágio porque não se ouve nada

Anónimo disse...

não sei se a autarquia de Alcácer vai continuar. Depende de quem o Ps designar. Penso que a população não gosta muito do vice presidente João Massano, lider do Ps local. Se ele continuar não vejo que o Ps venha a ganhar

Anónimo disse...

Sou da mesma opinião quanto à analise politica ou previsões, porque realmente não há oposições fortes para deitar abaixo qualquer dos partidos que estão no poder na região litoral alentejano. Como dizia um, vamos continuar a ter mais do mesmo para continuar a sina que nos está traçada com esta troupe de oportunistas que para cá vieram instalar-se.

Anónimo disse...

É pena que todos critiquem e ninguém actue. Se tudo ficar na mesma somos culpados. Se não há alternativas somos culpados.
Não temos participação política, não intervimos a não ser nestes blogues que têm ainda pouca expressão. Continuamos no "eles falam mas não fazem nada!"
Ainda não é desta que surgem lista de independentes, pelo menos, em Santiago era essencial já que não há mesmo uma alternativa.

João Almeida disse...

"Vamos ver como o autarca que melhor domina a comunicação social irá gerir esta situação."

Que pretendeu dizer com esta afirmação? Vitor Proença domina que comunicação social?