12.24.2008

Um presente (envenenado) de Natal?

Do jornal "Público" retiramos a seguinte noticia:

"Resíduos de hidrocarbonetos contaminaram solos junto ao aquífero municipal de Sines.
Análises efectuadas à água de captações para o abastecimento às populações levam a autarquia a recorrer às autoridades judiciais.
A Câmara de Sines vai fazer uma participação ao Ministério Público na sequência de uma contaminação de solos junto ao aquífero municipal, anunciou ontem o executivo em nota enviada à imprensa. Em Novembro, a Aicep Global Parques, responsável pela Zona Industrial e Logística de Sines, revelou ao presidente da câmara a existência de deposições de resíduos de hidrocarbonetos que originaram a contaminação dos solos situados junto à Repsol e admitiu ainda uma possível contaminação de águas do aquífero mais próximo do local.

A autarquia garantiu que tomou todas as medidas consideradas adequadas à situação, nomeadamente solicitando à administração das Águas de Santo André (ASA), que gere os sistemas de abastecimento de água de consumo doméstico nos centros urbanos envolventes, a realização de análises à água para consumo humano que vem dos furos de captação próximos do local onde terá ocorrido a contaminação de solos.~
De acordo com o presidente da câmara, Manuel Coelho, o resultado de uma das análises revelou "uma quantidade excessiva de hidrocarbonetos totais". Uma outra análise, cujo resulto foi anteontem conhecido pelo executivo, e que dizia respeito aos valores dos hidrocarbonetos dissolvidos, mostrou valores normais.
Embora o resultado das restantes análises pedidas, e que são mais complexas, ainda não seja conhecido, o executivo decidiu suspender a captação de água nos furos geridos pela autarquia e o abastecimento da cidade de Sines está agora a ser assegurado pela ASA, a partir das suas captações em Santo André, e vai manter-se assim por precaução, enquanto não houver certezas sobre a existência de resíduos de hidrocarbonetos na água para consumo humano da população de Sines.
A Agência Portuguesa do Ambiente, a Inspecção-Geral do Ambiente e do Ordenamento do Território, a Administração Regional Hídrica do Alentejo, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, o Ministério do Ambiente e o Instituto da Água foram as entidades, com competências nesta área, que a autarquia decidiu contactar, com vista ao apuramento de responsabilidades.O presidente da autarquia referiu ainda que pretendem que o Ministério Público tome as diligências necessárias para se saber quem fez os depósitos, quando e há quanto tempo. "

Boas Festas

Boas Festas com algumas belas imagens da nossa região e que urge preservar!


12.22.2008

Haja fartura: Sines aprova plano de pormenor para construção de cidade desportiva e hotel


A Câmara de Sines aprovou um plano de pormenor com vista à criação de uma cidade desportiva que ficará localizada numa área de 20 hectares a norte da cidade. A autarquia deu um parecer favorável ao projecto de licenciamento do equipamento que inclui um conjunto de espaços para a prática desportiva e equipamentos de apoio, "tirando partido do potencial paisagístico e natural do local".

De acordo com a memória descritiva do projecto, os dois principais equipamentos a construir são um pavilhão multiusos e um campo principal para futebol e atletismo. O edifício do pavilhão e a bancada do campo se-rão agrupados, "numa solução arquitectónica original e com vantagens funcionais", refere a autarquia.

Além do campo principal serão cons-truídos dois campos de futebol de 11e de sete, em relva sintética, com uma bancada descoberta para 405 pessoas. Junto a estes campos de futebol situar-se-ão ainda dois campos de vólei de praia. No local será construída ainda uma pista de corridas em patins, um parque radical e uma pista de radiomodelismo, a nordeste, e quatro campos de ténis e dois campos de padell (uma variante do ténis, semelhante ao squash), a sudeste, que completam a lista de espaços desportivos.

A juntar às infra-estruturas desportivas será ainda construído um auditório com 152 lugares sentados e uma área de lojas e restauração. A cidade desportiva será também um parque urbano, estando previsto no projecto a criação de zonas de estadia e descanso conciliadas com percursos pedonais, com circuitos de manutenção equipados com várias estações de treino e circuitos para seniores."É objectivo do programa que o parque verde desportivo venha a ser por si só um pólo atractivo, constituindo-se como um factor promotor das práticas desportivas e de uma vida saudável", afirma a autarquia do litoral alentejano.

Fora do âmbito da cidade desportiva, mas incluído na área do plano de pormenor, está prevista a construção de um hotel com 120 camas, conside-rado "uma mais-valia para a utilização do equipamento para estágios desportivos". A ligação entre as zonas desportivas a norte e a sul da Estrada da Floresta será feita através de três passagens inferiores diferenciadas para peões e veículos. O complexo terá ainda ligações por ciclovia à Avenida de Vasco da Gama, através da futura nova avenida panorâmica da Costa do Norte, e à Ribeira dos Moinhos.

12.12.2008

Foi lido algures que o Eng. António Martins esteve em Sines e foi recebido na Câmara Municipal.
Para quem não sabe o Eng. António Martins foi a face visível do Gabinete da Área de Sines (GAS) e que no inicio da década de 70 deu início à transformação que iria afectar e moldar toda a vivência desta região.
Durante anos o GAS foi um Estado dentro do Estado e o Eng. Martins um exemplo de autoritarismo, prepotência e abuso.
As destruições, as deslocações forçadas, as expropriações selvagens, a distribuição de favores, a insistência num modelo que durante anos se provou que foi um fracasso, consumindo recursos e pessoas.
O Eng. Martins foi alguém que disse que a Câmara de Sines nem deveria existir e a de Santiago do Cacém era apenas um marco do Correio do GAS.
O Eng. Martins foi alguém que expropriou a seu belo prazer e de acordo com uma agenda pessoal.
O Eng.Martins foi alguém que sempre mostrou (e não mudou até hoje) um total desprezo pelos sineenses e pela região.
E cumpre-nos o dever de não esquecermos tal pessoa, de não esquecermos o que se passou, de não branquearmos a sua actuação.
Porque Portugal, estranhamente, sempre recompensou alguém que nos fez perder milhões e milhões: no GAS, na adminstração de Cahora Bassa, no Metro de Lisboa (presidente na altura do túnel do Terreiro do Paço), na JAE (presidente na altura da queda da ponte de Entre-os-Rios) e agora voltou ao activo na questão dos contentores do Porto de Lisboa.
Nós, aqui, não o esqueceremos!

12.10.2008

O Projecto de Regeneração urbana vai avançar em Santo André

Vila Nova de Santo André é a única cidade do Litoral Alentejano a ver a sua candidatura aprovada ao Programa Integrado de Qualificação Urbana, que faz parte do instrumento de política Parcerias para a Regeneração, decorrente da nova Política de Cidades Polis XXI.
O programa será financiado através de recursos do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) ao abrigo do Programa Operacional Regional do Alentejo e cujo montante elegível aprovado é na ordem dos 6,5 milhões de euros, com comparticipação do FEDER de 4,112 milhões de euros. De acordo com o autarca Proença, a aprovação da candidatura que vai requalificar Vila Nova de Santo André nos próximos três anos "significa a persistência da câmara, que nunca desistiu da candidatura e representou pela primeira vez a atribuição de fundos estruturais para Santo André, cidade onde reside a larguíssima maioria dos trabalhadores do Complexo Industrial de Sines".
O protocolo da aprovação da candidatura foi já assinado na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, o que para Jaime Cáceres, presidente da Junta de Santo André, constitui um momento "histórico, tendo em conta que pela primeira vez foram conseguidas verbas comunitárias para regenerar a cidade".
As mudanças esperadas com a utilização destes fundo são muitas e Jaime Cáceres adianta que "o Bairro da Atalaia, Pôr-do-Sol e o Bairro Azul vão ser requalificados, assim como o Parque Central da Cidade".
De igual modo "existirá uma ciclovia muito importante para a mobilidade e será construído uma lar para os idosos com jardim de infância, uma Academia Sénior de Artes e Saberes e um investimento importante no abastecimento de água ao Bairro da Petrogal", disse o autarca.A candidatura liderada pela Câmara de Santiago do Cacém foi entregue a 28 de Agosto e, de acordo com o presidente da autarquia, "tratou-se de uma candidatura bem fundamentada e com fortes parcerias". Ainda assim, o projecto inicial envolvia um montante global de dez milhões de euros, 17 por cento comparticipados pela autarquia, 70 por cento com financiamento comunitário e o restante com financiamento privado, mas a candidatura acabou por sofrer um corte no seu financiamento por um dos projectos não ter sido integrado.
O Programa Integrado de Qualificação Urbana de Vila Nova de Santo André representa o primeiro instrumento de planeamento integrado de que a cidade de Santo André dispõe desde que o Gabinete da Área de Sines (GAS) foi extinto, no final dos anos 80, sendo por isso encarado como estruturante e decisivo para a consolidação da sua trajectória recente de evolução e para a definição de novos rumos e desafios de desenvolvimento.
A grande questão que se põe é a já conhecida falta de competencia e de gosto dos técnicos camarários na elaboração de projectos e de acompnhamneto de obras.
Aguardemos com expectiativa!

12.08.2008

Carlos Beato é o novo vice-presidente da CCDRA

O presidente da CM de Grândola, Carlos Beato, foi eleito vice-presidente da Comissão Permanente do Conselho Regional da Comissão de Coordenação Regional do Alentejo (CCDRA), na passada sexta-feira, 28 de Novembro.
Para a presidência deste órgão foi eleita a presidente da CM de Nisa.
Recorde-se que, nas últimas eleições autárquicas, Carlos Beato foi reeleito presidente do municipio de Grândola como independente nas listas do Partido Socialista.
Será que agora é que vamos ter mais betão na região?
O autarca Beato é especialista nessa área..e os seus parceiros de Governo sempre vão dando uma ajudinha.

12.04.2008

Arqueologia e História de uma Madina do Garb al-Andalus apresentado em Alcácer do Sal

Alcácer do Sal – Arqueologia e História de uma Madina do Garb al-Andalus é o título da obra que a autarquia apresenta esta sexta-feira, pelas 17 horas no auditório da biblioteca municipal.
Reeditada quatro anos depois da 1ªedição - rapidamente esgotada - o livro aborda o período islâmico da história de Alcácer do Sal e dá a conhecer um pouco mais sobre o que terá sido Alcácer do Sal.
Sem tabus ou fases obscuras, o trabalho do gabinete de arqueologia da autarquia desde os anos 90 tem tornado visível a grandeza de Alcácer do Sal durante o período islâmico.
Da autoria de António Rafael Carvalho, João Carlos Faria (entretanto falecido) e Marisol Aires Ferreira, esta 2ª edição, revista e actualizada, é reflexo de novos dados e novas perspectivas de análise e surge em resposta a novas solicitações de investigação que entretanto surgiram.
A obra é dedicada a população do concelho de Alcácer do Sal que fica também assim a conhecer melhor as suas origens.