9.24.2008

Jornadas Europeias do Património

Vão-se realizar, mais uma vez, as Jornadas Europeias do Património.
Com um programa que reflecte bem o "aperto" financeiro em que se encontra o Ministério da Cultura, constata-se que a Cultura não está nas prioridades dos nossos governantes.
Mas o que é confrangedor, ou preocupante, é a pouca oferta no Litoral Alentejano e em especial em Santiago do Cacém!
Para reflectir...

http://www.ippar.pt/pls/dippar/agenda_interior?type=11862943

11 comentários:

santiaguense disse...

É uma tristeza ver que a nossa camara de Santiago não dá qualquer importancia a estas jornadas porque pelo que vi vão fazer-se iniciativas mas é a direcção regional de cultura do alentejo e os Amigos de Miróbriga.
Sines, Grãndola e Odemira também organizam qualquer coisita, muito timidamente, e Álcacer nada desta vez.Uma região destas com tanto património está nisto, para grande tristeza nossa.

Anónimo disse...

realmente é uma tristeza...

Anónimo disse...

Do que é que estavam à espera com um executivo destes em santiago? Se fosse uma pimbalhada qualquer para ganhar votos, agora assim podem esperar sentados.

vilela disse...

Pelos vistos a nossa região tem pouco património. Ou será antes que temos poucos autarcas com capacidade para dar a importância que o nosso património devia merecer?

Anónimo disse...

Toda a razão, esta cãmara de Santiago consegue ser a mais populista e apimbalhada de toda a região. Nem sequer no tempo do Ramiro Beja, se viu algo assim. E muito cuidado com o presidente que tem maus figados, é arrogante até dizer chega, e vingativo. Muito cuidado, muito cuidado.

Anónimo disse...

Faz falta uma estratégia inter-concelhia para muitas coisas no litoral e naturalmente para o património. Esta região tem que ser entendida e desenvolvida como um todo, e não com projectos individuais, concelho a concelho. Mas a politica impede que assim seja, e alguns concelhos estão de costas uns para os outros, e com isso perdemos nós e a região.

Anónimo disse...

É tudo uma questão de politicas que são necessárias introduzir na agenda local. Não faz sentido que em Santiago, com tanto património que tem, só haverem iniciativas pela liga dos amigos de Miróbriga e pela Direcção Regional de Cultura do Alentejo. E a câmara municipal, porque razão está à margem da iniciativa de Miróbriga depois do presidente ter vindo a público protestar pelo esquecimento das ruínas? Alguém que saiba, que explique.

Anónimo disse...

O Dia Nacional dos Centros Históricos passou ao lado do concelho de Santiago.
As Jornadas Europeias do Património passaram ao lado da câmara municipal de Santiago.
O Dia Mundial do Turismo (hoje, dia 27 de Setembro) passou ao lado da câmara municipal de Santiago.
Mais palavras para quê, se está tudo à vista.

Anónimo disse...

PENSO QUE O NOSSO LITORAL ALENTEJANO NÃO DEVIA PERDER ESTAS OPORTUNIDADES PARA MOSTRAR O NOSSO PATRIMÓNIO. HÁ MUITAS COISAS QUE SE PODEM FAZER PARA DAR MAIS VIDA AOS NOSSOS MONUMENTOS ATÉ PORQUE ISSO TAMBÉM É BOA PUBLICIDADE PARA A NOSSA REGIÃO. PUBLICIDADE BOA, NÃO É AS QUEDAS DAS BANCADAS E A TROCA DE ACUSAÇÕES, SACUDIDELAS DE CAPOTES, QUE ISSO SÓ DÁ MÁ PUBLICIDADE DA NOSSA REGIÃO.

Anónimo disse...

A cultura em Santiago resume-se à esperteza da Senhora Margarida!
Vejamos tem lingua para dizer mal mas dar corda aos sapaatos para mexer na gestão da `^amara, tá quieto. Depois cuidado com o Presidente, ele é mesmo vingativo, e do pior, cuidado.
Depois é irónico mas depois é de uma falsidade que até dpi, vejam bem que se deu ao trabalho de convidar a tariz amaericana para vir cá. Ora esta, que nos interessa isso? queremos é ver outra outra qualidade na gestão autárquica

Anónimo disse...

De facto é uma realidade cada vez mais comentada que esta vereadora da cultura de santiago do cacém está a kilómetros de distância daquilo que o concelho precisa, mas isso deve-se essencialmente à sua fraca capacidade e em gerir um pelouro que sempre foi fraquito e com pessoas muito pouco dotadas, do ponto de vista cultural. O concelho há muito que sofre desse mal e com esta vereadora a situação piorou. E em matéria de património cultural, então é um aí Jesus. Pouco se aproveita nem a vereadora é capaz de definir o quer que seja tal é a insuficiência pessoal nestas áreas. O sr vitor proença ainda vai tentando disfarçar mas também ele não dá mais do que isto que temos visto nestes mandatos, pelo que fazia um grande favor a santiago se voltásse rápidamente para onde veio até porque não faz cá falta nenhuma, nem sequer é de cá.