6.09.2008

Santiago do Cacém em grande

A cidade de Santiago do Cacém esteve em foco no passado fim de semana por variadas razões.
A inauguração do novo hotel "Caminhos de Santiago", mais uma edição da "Santiagro", a queda de uma bancada na mesma "Santiagro" e a inauguração no novo Parque da Cidade na Quinta do Chafariz.
O Presidente da Câmara Municipal, Vitor Proença, não deve ter tido um minuto de descanso, entre Secretários de Estado, visitantes, espectáculos e Protecção Civil.
Algumas notas:
O novo hotel, um equipamento que fazia falta a Santiago do Cacém e à região promete dar que falar. Talvez pela sua arquitectura, um maciço negro que alterou a paisagem, já de si fraca, das colinas que envolvem a cidade, pela sua decoração, um misto de mito urbano com um regionalismo algo parôlo ou pela sua cozinha, a cargo de um conhecido autor.
A Santiagro, nada mais que o mesmo, em franco declínio, um mega stand de automóveis,uma falta de rumo e de se encontrar... e este ano prometia uma atracção (não sabemos qual será o futuro ou interesse disto em Portugal), ou seja, um inovador espectáculo de "Rodeo".
Acontece que no meio deste espectáculo a bancada caiu e, por um feliz acaso, um quase milagre, apenas se registaram 60 feridos ligeiros. Uma palavra de felicitações aos meios de socorro e auxilío, que prontamente acorreram, prestando um eficaz apoio a todas as pessoas.
No Domingo, a abertura do Parque da Quinta da Chafariz, mais uma obra de "regime",um equipamento que custou, em dinheiro antigo, meio milhão de contos e que, a nosso ver, fica muito aquem do que se necessitava e esperava, depois de tanta propaganda, tanta participação, tanto entusiasmo.

44 comentários:

LATINHAS disse...

De facto o rodeo é uma coisa verdadeiramente fantástica, mas para entreter hipnotizados. Se era o ponto alto da Santiagro, valha-nos Deus!!! É pena que a feira não tenha outro rumo e não aproveite melhor o grande numero de visitantes para mostrar uma região como ela merece. O hotel novo digo já que gosto pouco daquele caixotão negro, penso que dá um aspecto negativo à paisagem. O parque do Barroso ou Chafariz, é também de um gosto algo duvidoso e pelo dinheiro gasto podia-se ter feito algo mais interessante. Mas o povo estava alegre e feliz pelo que vi no local.

LATINHAS disse...

Foi interessante ainda ver que qualquer coisa negativa que aconteça no recinto da Santiagro não é da responsabilidade nem da cãmara nem da negdal. Como foi o acidente com a bancada. Impressionante. Absolutamente fantástico.

mariazinha disse...

Adoro ver castelos. Onde quer que vou, se houver vou sempre ver. Tenho imensa pena que o nosso bonito castelo de Santiago não posse ter outro aproveitamento, talvez na cultura com espectáculos e no turismo. Lamento muito que se gaste dinheiro em muitas coisas e não se invista mais no nosso castelo para se tirar o cemiterio do interior.

de cá disse...

O novo Parque é uma coisa inacreditável.
Como dinheiro que lá gastaram e sai aquilo??
Não tem uma sombra, a cafetaria é dentro de um edifico com uma porta minuscula, os brinquedos do parque são um perigo e para adultos, acaba numa cerca de tábuas, estamos para ali encafuados, da fonte "cibernática" nem se fala.
Imagino os custos de manutenção daquilo...em meses está tudo um caos, como o Rio da Figueira!

lopes disse...

Inacreditável a reacção dos politicos responsáveis!
Nas horas de crise é que se vê que tem responsabilidade e coragem!

Anónimo disse...

Já estive no parque e achei aquilo fraquito e se dizem que custou isso?? mais fraco é para o dinheiro que lá se gastou e bem preciso é noutras coisas do concelho.

Anónimo disse...

O PCP no seu melhor, a montanha pariu um rato. E por amor de quem quiserem, não chamem FEIRA à santiagro, aquilo é ZERO. Quanto ao novo hotel, cada vez que me lembro que estão inúmeros edifícios a cairem, porque a CM não deixa intervir em nome da manutenção da arquitetura regional..... nem sei o que diga.
A NEGDAL e a CMSC, teêm graves culpas no "cartório" no que toca à bancada. O PS tem vindo a questionar o acontecido, e lamentávelmente, tirando a inevitabilidade do PCP, mais nenhuma força política de Santiago Cacém pôs o assunto em agenda. Só se lembram de nós quando das eleições? Há mais vida política para além dos referendos!

Marina disse...

Realmente aquele caixotão no hotel tem pouco a ver com a arquitectura tradicional da cidade, mas como não entendo nada de arquitectura deixo isso para entende. Mas que não gosto, não gosto. Acho horrível.

Nuno Gomes disse...

Hoje a rádio de Santiago teve uma intervenção do presidente da câmara a atacar forte o Alexandre Rosa por uns comentários que tinham sido feitos no programa que ele tem na semana anterior. Foi triste o que ouvi e pelo que precebi vão-se repetir amanha ao meio dia. Vale muito ouvir porque já fui ouvir o programa anterior e o que esse Alexandre disse foi só verdades. Ainda bem que eu vivo em Grândola e não tenho de aturar mais coisas destas.

Anónimo disse...

O meu total apoio à Mariazinha. Porque não criar em Santiago Cacém um movimento pró-castelo, no sentido da sua recuperação para os vivos, e outro movimento pró-cemitério no sentido de criar novas condições para os nossos mortos?

Alentejo_SW disse...

Seria interessante termos aqui esse "diálogo".
Quem o conseguir reproduzir...agradecemos

Anónimo disse...

Um movimento para pressionar para resolver de vez a situação escabrosa do castelo era talvez um bom empurrão para morder os calcanhares à câmara municipal. Quem avança ? Também tenho interesse em ouvir ou ler essa famosa troca de mimos entre Proença e Alexandre Rosa. Onde é que isso está ?

nuno gomes disse...

Tenho andado a procurar na internet mas não consigo descobrir onde ouvi. No website da Antena Miróbriga não foi.

Francisco Lobo de Vasconcellos disse...

A meu ver, julgo que a retirada do cemitério de dentro do castelo não é fundamental.
Fundamental é recuperar o centro histórico e trazer vida, habitantes, actividade, comércio.
Se for para retirar o cemitário sem um BOM plano de reutilização do interior do castelo...mais vale este lá ficar, porque ao menos trás algumas pessoas e as coisas estão minimamente arranjadas.
Existem outras prioridades esquecidas!

Santiaguense de gema disse...

promessas:
- Revitalizar o centro histórico. Estado da promessa: desconhecido.
- Retirar o cemitério do castelo e devolve-lo à população. Estado da promessa: desconhecido.
- Projecto "Da Castelo Velho ao Castelo Novo". Estado da promessa: desconhecido.
- Museu de Arte Sacra de Santiago do Cacém. Estado da promessa: desconhecido.
Assim não vamos a lado nenhum porque as nossas mais-valias estão ao Deus dará.

João Santos disse...

Têm toda a razão. Não vamos a lado nenhum.
Também gostava de ouvir essas declarações do Proença e do Alexandre Rosa. Ninguem sabe como fazer? Mandei um mail para a Antena Miróbriga mas não me respondem.

Nuno Gomes disse...

Foi aqui nos blogs do sapo

http://noticias.sapo.pt/local/santiago_do_cacem/

peter disse...

O Proença deve ter algum problema com a democracia. Ouvi os programas e acho que ele devia estar calado em vez da algazarra que tem feito sobre a bancada. O Alexandre Rosa até foi muito correcto no tratamento disto por isso não se compreende a reacção. O ataque ao apresentador do programa também é hilariante. Homem, divirta-se nos santos populares.

Silva disse...

Então mas isso de levantar as campas do castelo para o evacuar não era para fazer com o Moita Flores? Parece que há uns tempos tinha ouvido qualquer coisa disso. Mas realmente ultimamente não tenho ouvido mais nada, parece que o assunto também foi sepultado.

Anónimo disse...

Está no blogue do Luis Silva do Ó em http://ooutrolugar.blogspot.com/
Já ouvi e não achei nada de especial. O Proença não gostou e reagiu. Um fait-divers apenas.
Já agora acho que o Luis Silva do Ó sendo socialista e director da Antena Miróbriga devia ser um pouco mais imparcial. Acho bem que tenha o Alexandre Rosas no seu programa mas acho que devia alternar semanalmente com um comentador do PSD, outro do CDS, outro do Bloco e outro do PCP, porque assim só com o Rosas cheira-me a tempo de antena exclusivo ao PS.

de cá disse...

Concordo! A Antena Miróbriga, assim como os jornais locais não podem ser parciais.
São a nossa ligação, são um excelente meio de comunicação e divulgação e deveriam ter mais rubricas de participação publica e comentadores de diferentes areas de actividade e diferentes areas politicas.
Assim ficariamos todos a ganhar.
Por vezes parece que são um veículo de propaganda das Câmaras, da Caixa Agrícola, dos grende empreiteiros da região.

Anónimo disse...

A Antena Miróbriga Rádio tem muito que se lhe diga. De tarde tem um fórum onde quase ninguém fala, quando os temas podiam ser lançados ouvindo pessoas na respectiva área (de acordo com o tema) em paralelo com a opinião dos ouvintes. Depois esse tal programa com o sr Alexandre Rosa, dirigido pelo director de programas da Miróbriga, Luis do Ó, é pura propaganda ao partido socialista. Ouvi uma vez mas como o sr. Alexandre Rosa é um comentador perfeitamente banal e inócuo, nem perco mais tempo a ouvi-lo. O que eu recomendo daqui ao sr Luis do Ó, director de programas da Miróbriga, é que mude o figurino do seu programa e dê voz a outras pessoas que sejam e habitem efectivamente na região, nas mais variadas áreas da nossa vida incluindo a área da politica, da economia, da cultura, do ambiente, do urbanismo, do património, da história, etc, porque não deve ser nada agradável para os ouvintes levarem todas as semanas com as banalidades do sr. Alexandre Rosa. Porque quem está na politica e à frente da direcção de programas de uma rádio, não basta ser sério...é preciso parecê-lo. Já nos basta uma câmara municipal com um programa de rádio e um boletim onde não entram as demais forças politicas do concelho com assento na assembleia municipal.

joão santos disse...

Já ouvi e acho que o Vitor Proença esteve muito mal. O programa é de comentário e é parecido aqueles do Marcelo Rebelo de Sousa. Nunca ouvi um direito de resposta em programas do Marcelo. Aproveitei para ouvir outros mais antigos e o Alexandre Rosa parece-me estar a comentar de maneira imparcial ou pelo menos fala pela sua cabeça e não como dirigente do PS. O que o Vitor Proença fez foi gerar confusão entre os ouvintes porque aquilo não é um programa de debate político. Quanto ao apresentador não vejo nenhuma pergunta estranha. Até acho que a pergunta sobre se o PS se estava a aproveitar politicamente da queda da bancada bastante corajosa. Os amigos socialistas dele devem-se ter aborrecido. Tenho ideia de umas coisas antigas de debates politicos feitas por este Luís do Ó nos tempos do Ramiro Beja e ele era durinho com todos. Tenho ouvido a rádio nos últimos dias e parece-me que os cronistas do programa de manhã são muito parciais porque não falam de questões locais e chamam de tudo ao governo e ao presidente da república. Mas a rádio parece-me estar bastante melhor do que no passado recente. Concordo que ainda falta mais independencia mas essa independencia deve começar pelos dinheiros publicos que entram nas rádios locais. Acho errado aquelas horas do programa da CMSC na rádio, mas deve ser preciso o dinheiro para pagar as contas.
Querem acabar com este ditadura? Façam com que o PSD e o PS juntem as mãos.

nuno gomes disse...

Vocês estão a analisar mal a questão. O Vitor Proença reagiu por instinto e ao abrigo de um argumento a que não teria qualquer direito de usar até porque basta ir ler a lei do direito de resposta para perceber isso.
A rádio deve ter tido medo de se meter com o Vitor Proença e cá vai disto para o ar. Agora o que importa não é ver se o director de programas é socialista ou marreco porque entrevistadores existem para todos os gostos e este programa é muito parecido áquele do Prof. Marcelo e ninguém critica o modelo desse programa. São programas normais e quem gosta ouve quem não gosta não ouve.
Confirmei isto com um amigo que é advogado, o Vitor Proença reage sem ter qualquer direito legal para o fazer e a rádio passa a cassete.
Porque motivo o Vitor Proença faz questão de bater no Alexandre Rosa?
Muito simples, ele só tem medo de um político em Santiago e esse político chama-se Alexandre Rosa.
Agora alguém acha que um político experiente como o Alexandre Rosa teria interesse em ir para Santiago? Fosse uma hipótese aqui em Grândola ainda acreditava porque estamos com imensos projectos e Grândola é neste momento um concelho em grande expansão. Agora para Santiago? Para quê? Para tratar de cemitérios dentro de castelos e para ver os turistas a passarem para Grândola e Vila Nova de Milfontes? O que acho engraçado é que o Vitor Proença está cheio de medo do Alexandre Rosa ser candidato.
Posso estar enganado mas esta é que é a causa de tanto nervosismo em querer bater no Alexandre Rosa. E como está mesmo a jeito e foi candidato numa lista adversária cá vai umas pancadas para o director de programas da rádio. Para disfarçar bate em todos mas ele está preocupado em derrubar esse Alexandre Rosa antes que alguém se lembre de que o pode derrotar.
Entretanto com guerrinhas e outras porcarias Santiago vai perder mais 4 anos porque 80% do povo está farto da CDU mas depois nunca gostam de mais ninguém e votam nos mesmos de sempre.
Querem mudar? Venham viver para Grândola.

latinhas disse...

Por acaso já tenho ouvido algumas vezes esse programa e muitas vezes falam de coisas que não têm nada a ver com o nosso concelho. Só que também falam de vez em quando da gestão da câmara, e A. Rosa não consegue esconder que é socialista, e até defende o governo em várias coisas como é natural de um politico socialista de carreira. Eu também estou de acordo que devia-se também dar oportunidade a outros comentadores do litoral de outros partidos porque realmente fica mal um comentador fixo socialista com um moderador socialista, que ainda por cima é responsável na rádio e devia demonstrar tratamento igual para todos. Isto de instrumentalizar a comunicação social e os audiovisuais é um velho hábito em Portugal e todos os partidos tentam safar-se como podem, mas obviamente que a rádio miróbriga devia dar tratamento igual a todos os partidos caso contrário está a prestar um mau serviço aos ouvintes que são de várias cores politicas. Porque não fazerem um programa tipo mesa redonda como antes havia onde havia um participante de cada partido a comentar assuntos locais e nacionais ?

JPREI disse...

Acho estranho o que dizem, dado que o Luís, meu amigo pessoal, além de não ser militante do PS, foi "politico" (entre-aspas mesmo) durante uns poucos meses é jornalista e imparcial... Podem dizer "Ah mas ele participou pelo PS nas autarquicas", certo! Como INDEPENDENTE! É estranho ver por aí tanta gente de palas!

Joaquim cravo de abril disse...

Acho errado que o director de programas da rádio prefira conversar com o seu colega militante de partido socialista em vez de permitir que existam debates entre os diversos partidos políticos. Também acho que a informação da rádio é muito má. Senhor director de programas veja lá como trata da informação e da programação. Ainda bem que o sr. Presidente da CMSC fez esta declaração de liberdade de Abril na 6ª feira porque assim toda a gente ficou a saber quem é o director de programas.

de cá disse...

Eu acho que tanto as Radios locais como os jornais devem ter comentadoires independentes e também alinhados com as forças politicas...só assim o publico pode escolher e perceber as diferenças.
Mas vivemos numa epoca de controle de informação e nisso a esquerda (PCP, BE e PS) são melhores que a direita.

santiaguense disse...

Comparar o programa do Luis Silva do Ó com o programa do prof. Marcelo Rebelo de Sousa é comparar o cu das calças com a feira de Castro! O prof. Marcelo não faz politica activa, ao contrário do Alexandre Rosa. Marcelo bate forte mesmo no seu partido, quando acha que o deve fazer. Alexandre Rosa aproveita todas as oportunidades para enaltecer o PS, porque é um militante activo e está comprometido com o partido. De isento tem muito pouco, ou nada.
Por isso não comparemos coisas que não são comparáveis. O Luis Silva do Ó tinha vários comentadores para escolher e transmitir uma imagem de isenção. Escolheu Alexandre Rosa. Uma escolha que está longe de ser inocente. E se é director de programas da Rádio Miróbriga, tem que pautar a sua conduta de acordo com o universo dos ouvintes que são seguramente de vários quadrantes partidários. Dai, tem a obrigação e o dever de reformular o programa de modo a dar voz e oportunidade a outros comentadores, de outros quadrantes politicos. Como fazem outras rádios, ouvindo sistemáticamente diversas personalidades. Como fazem as televisões, que têm programas ou com vários comentadores em simultâneo, ou à vez (a SIC Noticias tem vários formatos, a Grande Entrevista de Judite de Sousa, etc). Deixemo-nos de espertismo saloio porque no Litoral Alentejano há mais politica (e politicos) para além do Alexandre Rosa ou do Vitor Proença.

Anónimo disse...

Eu acho que não tem razão para criticar a antena miróbriga que é sem duvida a mais ouvida das radios do alentejo litoral. Tiveram de passar o resposta do Vitor Proença porque é de lá que vem a maioria do dinheiro. Agora em termos de comentarios politicos acho que não dá para se queixarem, secalhar não há comentadores de outros partidos porque têm outras prioridades e não estão dispostos a colaborarem com a mirobriga sem ser na altura das autarquicas.

Vicente disse...

Dantes havia um programa na mirobriga que era bastante interessante que tinha o Baguinho, o Pedro do Ó Ramos, a Filomena e o João Madeira que discutiam questões nacionais e questões locais onde também todos escolhiam um tema por semana e foi pena ter acabado. Realmente também penso que este programa com o A.Rosa não tem interesse nenhum.

Marina disse...

Penso que se deve dar oportunidades iguais para todos os partidos poderem exprimir as suas opiniões e não dar-se só a um. Penso que a Mirobriga é uma boa radio e divulga bastante a região e que este problema será resolvido mais cedo ou mais tarde pelos seus profissionais.

no-name disse...

Dizer mal só por dizer mal é errado. Quero debates na rádio, quero mais comentadores independentes e politicos, quero mais notícias da região e menos Proença a toda a hora na informação, quero uma rádio melhor mas para isso não é com estes comentários que se consegue. Porque não pedem isso mesmo a quem manda na rádio?
O Proença é que parece ser o comentador exclusivo da rádio e ninguém reclama, é porque não ouvem a rádio só pode.

Anónimo disse...

A antena mirobriga é uma grande radio graças a todas as pessoas que ali trabalham mas claro deve procurar sempre ser o mais pluralista possivel porque já sabemos como é isto da politica em que não se consegue agradar a todos e há sempre quem se queixe.Eu também sou a favor de debates não só sobre politica mas sobre outras coisas da região.

anonimo disse...

Independente, interessante, coerente e com grande nível. Nunca tinha ouvido mas com a polémica hoje não perdi. Foi muito agradável e com categoria a resposta ao Vitor Proença. O Alexandre Rosa tem muita classe e é bom orador.

Anónimo disse...

A mirobriga por acaso é a minha rádio e melhorou bastante ultimamente. Mas nunca ninguém está contente com o que tem e pode-se sempre melhorar certas coisas. Uma coisa que acho que podia melhorar era o site mas não se pode ter tudo. A rádio de Sines tem uma site mais bonito mas é uma rádio mais fraca enquanto a Miróbriga é uma rádio muito boa e tem um site um bocado fraco em termos de beleza.

Silva disse...

Antes de se criticar a rádio têm que ter a certeza se há pessoas disponíveis nos partidos da região para se fazerem debates, mas eu sou claramente a favor de debates sem ser só na altura das eleiçoes, se houver comentadores politicos disponíveis e na minha opinião a rádio mudou para melhor mas falta-lhe um programa de debate, mesa redonda ou chamem-lhe o que quiserem.

Rui Jose disse...

Profundamente lamentável a campanha negativa que está a ser realizada para destruir o bom trabalho que Luís Silva do Ó tem realizado na programação da Antena Miróbriga. Parece criminoso um cidadão ter sido candidato a umas eleições autárquicas como independente e nem sequer ter sido eleito. As vozes que se erguem nesta caixa de comentários são os habituais heróis do anonimato pouco interessados em saber se as instituições da região morrem ou não.

Zeca disse...

Ora bem eu não tou a ver nenhuma campanha para destruir ninguém, mas algumas criticas mesmo que sejam injustas na opinião de alguns. Mesmo assim não vejo ofensas nenhumas ou calunias nem nada do outro mundo para tanto ruido. Piores coisas tenho lido sobre outras pessoas e ninguém se queixou ainda, e lógico também sou da opinião que a rádio melhorou com as últimas mudanças e concordo que faz falta debates e uma página na internet mais de acordo com a qualidade da rádio, que foi das poucas coisas que não mudou nas ultimas mudanças.

Anónimo disse...

Ora mas não acham que estão a exagerar nesta discussão? Pelos ultimos comentarios parece ser comum toda a gente dizer que a rádio está melhor. Parece que afinal o director de programas tem justificado o ordenado. :)
Mesmo com essas criticas de ser militante do PS mas afinal é só independente por aquilo que um amigo dele aqui escreveu em tom indignado. Sabem o que acho mesmo? É que nós vivemos num meio muito pequeno e fechado e isso por vezes é mau. Também escuto a rádio e acho que está muito melhor. Começo a ouvir no carro por volta das 7 da manhã e no regresso às 6 da tarde. Até ás 8 da manhã fico com uma ideia do que foi a rádio no dia anterior e do que vai ser nesse dia. O Rui Gomes faz um bom programa que acho que começa ás 6 da manhã. Durante o dia tenho o rádio ligado e vou escutando e acho que está muita coisa melhor, música, vários colaboradores novos, etc. Mesmo assim sinto a falta de debates politicos. A informaçao tem estado melhor e a ideia da rádio ser a estaçao de todo o litoral alentejano é também boa. Faltam mais pessoas a trabalharem, é essa a minha opinião, mas imagino que o dinheiro seja escasso para as necessidades mas com um projecto do litoral alentejano é capaz de ser mais facil arranjar publicidade.
Concordo que o site é fraco mas existe um blog da rádio que tem qualidade e interesse. Um programa que tenho ouvido nas últimas semanas á 4a feira tem feito entrevistas a figuras publicas da regiao. Já apanhei aos sábados uma hora com as noticias mais importantes da semana num programa muito bom. Criticas vão sempre existir e até são boas para melhorar, mas nunca ninguem vai agradar a todos e quem está mais dentro da politica vai sempre achar que o partido a que pertence é prejudicado. A maioria da populaçao é como eu que gosta de saber as novidades mas nao dá demasiada importancia á politica. Sobre o fórum que dá ás tardes acho que não funciona porque as pessoas têm algum receio de dizerem o que pensam. Eu já tive para ligar mas depois nao o fiz por receio de algum cliente meu nao gostar.

Vicente disse...

Embora possa ser um bocado injusto ver algum partidarismo nesse tal programa só porque o luis do ó foi politico ou candidato nas ultimas eleições o que é certo é que ele também contribui para isso ao manter um link ao blog do PS Santiago em Acção no seu blog. Depois o pessoal já se sabe como é que é, não perdoa nada.

a. brito disse...

foi grande a odisseia que fiz para ler todos os comentarios. aqui por lisboa este blog está a ficar conhecido entre os amigos do luis. alguns dos comentários não sao simpaticos mas os blogs sao sempre muito complicados para gerir. o comentario que acho mais interessante é o ultimo.
o vicente tem uma certa razao e eu até telefonei ao luis, mas reparou que o blog de que fala é das autarquicas de 2005 em que o luis esteve envolvido? fosse o blog actual do ps e teria alguma razao apesar de eu nao ver mal nenhum. em portugal quando se fala de politica parece que se está a falar no demónio. mas, pronto, isto digo eu que sou amigo do luis e sei do entusiasmo com que ele escreveu muita coisa para o programa eleitoral de 2005 e não vejo motivo para esconder esse trabalho que até é público e do conhecimento de todos. fosse o link para blogs actuais do ps ou outros links politicos e podia ser estranho para quem procura estas coisas. o que me pareceu estranho nesta questão foi o ataque que o presidente da camara de santiago do cacém produziu contra o luis. percebo o ataque politico a alexandre rosa, mas atacar um jornalista que nao pergunta nada de mais é um bocado estranho. talvez seja eu que compreendo mal o que se vive na vossa terra visto ser de aveiro e estar em lisboa há 30 anos, mas como tenho acompanhado estes comentários e numa altura em que a polemica acalmou nao pude deixar de escrever umas linhas.
um abraço para o vicente.
acho mesmo que a importancia que o presidente da autarquia deu ao programa de rádio foi bastante bom para o programa e até para a rádio porque estas coisas fazem sempre aumentar as audiencias.
saudações e estarei de férias nas maravilhosas praias do litoral alentejano para onde vou desde 98.

Anónimo disse...

quanto a mim a radio mirobriga tem falta de debates, um site novo à altura da radio e o forum da parte da tarde ou fazem alterações ou o melhor é acabar porque as pessoas não telefonam porque isto é um meio pequeno. é os defeitos que acho assim de repente.

Anonimo disse...

O forum acabou vai para um mês.