4.24.2008

Sines instala Escola de Artes na antiga estação ferroviária


A Câmara de Sines inaugura sexta-feira na antiga estação ferroviária da cidade a nova Escola de Artes, que inicia as suas actividades com o ensino da música em expriência-piloto entre Maio e o final de Julho para, em Setembro, arrancarem as actividades curriculares.O projecto do município do litoral alentejano estender-se-á a outras formas de arte - dança, teatro, artes plásticas -, para se transformar num centro artístico de âmbito regional.

A autarquia adaptou a antiga estação ferroviária, que classifica como "a mais notável construída em Sines" na primeira metade do século XX (1936), projecto da autoria do arquitecto Ernesto Korrodi, e agora pretende apresentar candidatura ao QREN para financiar a construição de um edifício de raiz onde possam ser leccionadas, com outras condições " todas as áreas e actividades previstas no projecto da Escola de Artes de Sines.

Já foram entretanto abertos o curso de jazz, de música clássica, o curso livre (outros géneros musicais, com pacote pais e filhos), infantil (opções jazz e clássico) e o curso de música e tecnologia aplicada à música - gravação, edição, masterização). Além dos cursos, realizam-se actividades complementares no Centro de Artes de Sines, como a musicoterapia (intervenção terapêutica através da música) e a massagem e música para bebés (massagem do bebé com intervenção terapêutica musical, para pais e filhos).

O corpo docente tem formação superior, esperando a autarquia que o Ministério da Educação avalize a sua actividade para que o novo estabelecimento venha a ser incluído na rede de escolas no campo das artes.

4.18.2008

Dia Internacional de Monumentos e Sitios II

Cripta arqueológica do castelo de Alcácer do Sal abre hoje ao público.
Este nosso Litoral Alentejano é um dos mais ricos pedaços do território nacional, tanto do ponto de vista patrimonial, como natural e ecológico e das suas gentes.
É com agrado que se regista mais este equipamento posto ao dispôr da região e do país, fruto de uma descoberta feita em 1993 e que não foi esquecida. Convém registar que a Câmara Municipal de Alcácer do Sal é uma das unicas que tem no seu quadro arqueólogos permanentes e convèm registar também que outras, como Santiago do Cacém, nem sequer colocam essa hipótese!
"A cripta arqueológica do castelo de Alcácer do Sal vai poder ser visitada a partir de hoje, Dia Internacional dos Monumentos e Sítios e em que é inaugurado o museu instalado no piso inferior do monumento, transformado em pousada turística. A galeria subterrânea foi descoberta em 1993, no decorrer das obras, incluindo escavações, para transformar o castelo em pousada, explicou Isabel Vicente, vereadora da cultura na Câmara de Alcácer do Sal. As escavações revelaram vestígios da Idade do Ferro, que remontam ao século VI a.C., e estruturas do período romano e da ocupação islâmica, num espaço onde "convivem" achados com mais de 2500 anos de intervalo entre si. "Foram descobertas esculturas da Idade do Ferro, dos períodos romano, visigótico e islâmico", disse Isabel Vicente, apontando também o caso de objectos do quotidiano das freiras do arruinado Convento de Aracaeli, várias moedas e cerâmicas. A galeria subterrânea no piso inferior do castelo, transformado na Pousada D. Afonso II, apresenta um "singular percurso de visita labiríntico, por entre as fundações do convento". A recuperação das ruínas e respectiva conversão para o turismo foi encabeçada pelo falecido arqueólogo João Carlos Faria, mais tarde eleito vereador do município local. De acordo com a autarquia, a inauguração da cripta arqueológica constitui uma ocasião para "chamar a atenção pública para a protecção e valorização de todos os espaços investidos de valor sagrado pelas respectivas comunidades humanas". in Público

4.16.2008

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Numa altura em que para a Cultura não existem verbas, monumentos e sítios fecham ou trabalham em horário reduzido e com condições precárias...o Ministério da Cultura é inexistente...o IGESPAR inoperacional e a Direcção Regional de Cultura do Alentejo ainda está a perceber para que serve...não devemos deixar de dar atenção aos nossos monumentos e participar nas poucas actividades que decorrem no Alentejo Litoral e de que se destacam as seguintes:
Alcácer do Sal:
http://18deabril.sapo.pt/index.php?mod=detalhe&ref=17&det=39

Grândola:
http://18deabril.sapo.pt/index.php?mod=detalhe&ref=17&det=147

http://18deabril.sapo.pt/index.php?mod=detalhe&ref=17&det=151

http://18deabril.sapo.pt/index.php?mod=detalhe&ref=17&det=150

http://18deabril.sapo.pt/index.php?mod=detalhe&ref=17&det=149

http://18deabril.sapo.pt/index.php?mod=detalhe&ref=17&det=148

Santiago do Cacém:
http://18deabril.sapo.pt/index.php?mod=detalhe&ref=17&det=151

http://18deabril.sapo.pt/index.php?mod=detalhe&ref=17&det=328

4.14.2008

Aprovado Plano de Pormenor de Santo André e de Brescos II

Parece que afinal a história não estava toda contada....
De acordo com o jornal "SOL" o Plano de pormenor de Santo André e de Brescos entra em vigor sem avaliação de impacto ambiental (... parece que, pelos vistos, as avaliações de impacto ambiental são depois dos planos e projectos aprovados...vidé o caso da nova ponte!...sempre se julgou que seria antes...)
"A Quercus denunciou ao SOL a entrada em vigor de um plano para a construção de 1200 camas, quatro hotéis, em área protegida pela Rede Natura, sem a obrigatória avaliação de impacto ambiental. A Câmara de Santiago do Cacém diz que «não afecta» a Rede Natura
O plano de pormenor da Costa de Santo André, no litoral alentejano, entrou em vigor a 29 de Fevereiro, mas sem Avaliação de Impacto Ambiental e sem parecer final do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB), apesar de abranger zonas protegidas pela Rede Natura, denunciou a associação ambientalista Quercus ao SOL, ainda que a Câmara de Santiago do Cacém sustente que o plano «não afecta» a Rede Natura.
Dário Cardador, da associação ambientalista Quercus, contrapõe que «está dentro da área de Rede Natura e os mapas comprovam-no. E diz: «Se afecta ou não, é outra questão».
«Em áreas de rede natura, é obrigatório fazer uma avaliação de impacto ou incidências ambientais», diz Dário Cardador da Quercus explicando que esse processo serve para apurar se o projecto afecta ou não as espécies protegidas.
O local em causa situa-se alegadamente em parte do sítio Comporta/ Galé, integrante da Rede Natura, uma rede de espaços protegidos de importância comunitária.
Com efeito, na Agência Portuguesa do Ambiente, onde se arquivam os processos de avaliação de impacto ou incidências ambientais, não deu entrada qualquer documento relativo a este plano.
O plano prevê quatro hotéis, apartamentos e um aldeamento turístico totalizando 1200 camas, assim como um centro hípico, equipamentos culturais e desportivos e estabelecimentos de restauração, entre outros.
A Câmara de Santiago do Cacém reconhece que no processo não consta nenhum parecer final do ICNB mas não se pronuncia sobre a ausência da avaliação de impacto ambiental.
O autarca Vítor Proença explica ao SOL a ausência do parecer do ICNB: «Esta autarquia remeteu a versão final do estudo para parecer das entidades, nomeadamente para o ICNB que não emitiu o seu parecer no prazo legal, nem nunca se chegou a pronunciar, devendo a falta de resposta ser interpretada como parecer favorável».
O ICNB tinha emitido um parecer em 2002 que impunha alguns condicionalismos à aprovação do plano. Mas, o autarca afirma que as alterações foram adoptadas e os limites do plano deixaram de «afectar» a Rede Natura. "