3.31.2008

Um excelente blogue

Aqui vai o link para um excelente blogue sobre um local tão importante no Alentejo Litoral http://santoandre.blogspot.com/

3.15.2008

Demolidos os restaurantes na praia de Melides

Cerca de 600 mil euros vão ser investidos na recuperação da praia, enquanto a lagoa aguarda por melhores dias.
"Senhor engenheiro, pode mandar retomar os trabalhos" de demolição dos restaurantes da praia de Melides, que tinham sido iniciados sem a presença do ministro do Ambiente, Francisco Nunes Correia. A ordem partiu do presidente da Câmara de Grândola, Carlos Beato, que não gostou de ver as máquinas a derrubar as casas antes da chegada do governante que ontem ali se deslocou para assistir "a um acto que nos deve encher de orgulho", sentenciou Nunes Correia.Treze anos após a demolição de mais de 200 barracas construídas clandestinamente entre 1975 e 1995 sobre a duna primária na praia de Melides, chegou a vez dos seis restaurantes instalados entre a praia e a lagoa serem demolidos. Os seus proprietários, que vão ter de construir novas instalações a uma distância de 600 metros do areal, não conseguem esconder a sua apreensão, embora enalteçam o "extraordinário apoio" que tem sido prestado pela câmara na satisfação dos seus interesses.Um dos proprietários, Paulo Caetano, deu a conhecer a sua opinião ao ministro do Ambiente, mal este saiu do carro que o transportava. "Não compreendemos a razão por que se começa a casa pelo telhado" destacou, referindo-se à opção de se demolir primeiro para construir depois os novos restaurantes, quando "devia ser ao contrário". O presidente do Instituto da Água (Inag) também se deslocou a Melides e lembrou que foram realizadas "mais de uma dúzia de reuniões" para discutir a questão "até que se chegou "a uma forma de consenso" que permitiu elaborar um conjunto de intervenções de requalificação do litoral e previstas no Plano de Praia de Melides do Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) Sado-Sines e no Programa de Acção do Litoral 2007/2013 .Estas acções passam pela demolição das construções que ocupam o sistema dunar para requalificar o sistema, assim como os acessos à praia. O projecto, que tem um prazo de execução de oito meses, para estar concluído no próximo mês de Novembro, vai custar mais de 600 mil euros. O Inag apresentou uma candidatura ao Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) para o financiamento desta obra.Após a demolição dos seis restaurantes, serão instaladas uma estrutura de acesso à praia que substituirá o passadiço ali existente, novas zonas de sombreamento nas áreas de estacionamento e espaços verdes com replantação de árvores. Por fim, terá lugar a recomposição do sistema dunar e a construção de um novo apoio de praia.Nunes Correia considerou que "o Portugal de hoje já não é o Portugal dos anos 70" e que até os promotores imobiliários "já perceberam que têm de fazer projectos de qualidade".Falando do papel das câmaras municipais na degradação da costa portuguesa, o ministro do Ambiente acredita que "as autarquias não albergam um bando de malfeitores" embora "o Estado não se possa alhear" da responsabilidade em matéria de fiscalização. Lagoa aguardaSobre a recuperação ambiental da lagoa de Melides, nada foi adiantado para além da informação prestada pelo presidente do Inag que "grande parte" dos esgotos que eram lançados no sistema lagunar " está a ser tratada". Um produtor de arroz, que tem a sua área de cultivo a montante do sistema lagunar, revelou ao PÚBLICO que a CCDR da Região Alentejo lhes propôs a cultura de arroz biológico, para obstar à descarga de águas contaminadas com pesticidas, para a lagoa.Nunes Correia, instado a revelar se estarão programadas mais demolições noutras zonas da costa portuguesa, como por exemplo na urbanização de Soltróia, em Grândola, onde várias vivendas de grande dimensão foram construídas em cima da duna primária, limitou-se a responder que não foi ele que autorizou essas construções. No entanto, adiantou que em 2006 foram demolidas 18 construções clandestinas, em 2007 esse número subiu para 70 e em 2008 "haverá mais", sem precisar quantas. O governante explicou que as demolições nas zonas costeiras são um processo "muito complicado", que chega a levar quatro anos, porque "há procedimentos a respeitar".

3.14.2008

Demolições na praia de Melides começam amanhã

Os bares e restaurantes, localizados perto das dunas, vão ser completamente demolidos para que se possa começar a requalificação da praia. De acordo com o presidente da Câmara de Grândola, Carlos Beato, os edifícios serão reconstruídos "numa zona mais recuada". "Já temos estas intervenções concluídas noutros pontos do Conselho e há dez anos que se arrastavam as negociações na praia de Melides", disse Beato. A primeira fase das obras vai durar cerca de oito meses e tem como principais objectivos a recuperação da zona das dunas, a requalificação do acesso à praia e arranjos exteriores, como a plantação de árvores e instalações eléctricas.
O Plano de Ordenamento da Orla Costeira foi aprovado pelo Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente, em 2003 e prevê a requalificação do litoral, tendo em vista a segurança dos banhistas e a protecção ambiental.

3.10.2008

Criação da Liga dos Amigos de Miróbriga


Vários amigos fizeram-nos chegar este convite.

Mesmo ainda sem sabermos do que se trata exactamente, achamos a iniciativa interessante...ou seja, os cidadãos, nós, envolvermos-nos naquilo que é nosso, no património, na sociedade... todos nós sermos parte activa daquilo que nos rodeia

Esperemos que apareçam mais iniciativas semelhantes e esperamos noticias desta Liga de Amigos e de outras que entendam que devem participar neste blogue!

3.03.2008

Santo Andé: Aprovado plano de pormenor

Mão amiga fez-nos chegar esta notícia.
É estranho o silêncio "ensurdecedor" sobre este assunto. A Câmara Municipal de Santiago do Cacém, habitualmente tão expansiva na propaganda das suas actividades, neste assunto manteve-se estranhamente silenciosa, quando se julgaria que seria uma grande vitória em termos de planeamento urbano com forte cariz turístico.
Será que temos, mais uma vez, e à imagem dos seus vizinhos a norte, "gato escondido com rabo de fora"??
"Os Planos de Pormenor (PP) de Brescos e Costa de Santo André – que visam ordenar a zona costeira do município não só em termos urbanísticos, como também em termos turísticos, foram publicados em Diário da República. Trata-se de dois planos produzidos pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém com objectivos de planeamento urbano em zonas sujeitas a muita pressão urbanística. Após a adjudicação foram dados todos os passos inerentes à elaboração de um Plano de Pormenor, nomeadamente a análise da situação existente, estudos e finalmente a apresentação da proposta. Em comunicado, a autarquia assegura ter ouvido a população e levado a cabo uma assembleia junto dos munícipes que vão ser abrangidos pelos planos, num processo que intitulou como "A decisão junto da população". O plano da Costa de Santo André prevê, entre outras a localização de quatro unidades hoteleiras, diversos apartamentos e um aldeamento turístico, num total de 1200 camas, como também moradias turísticas, apartamentos e aldeamentos turísticos. O documento prevê igualmente a localização de um centro hípico, equipamentos culturais e desportivos, estabelecimentos de restauração e bebidas, comércio, espaços verdes e de estadia, equipamento de ensino, equipamento de saúde, uma sala de espectáculos, galeria de arte e exposições e equipamento para forças de segurança. São criadas medidas de protecção e preventivas, quer no domínio arqueológico, quer na restrição do uso do solo e exploração florestal. Relativamente ao Plano de Pormenor de Brescos o mesmo comporta várias categorias de espaços, particularmente: habitações unifamiliares, edifícios mistos, estabelecimentos de restauração, comércio, equipamentos culturais e desportivos, entre outros. "
In www.noticiasalentejo.pt