2.18.2008

Sines e a revisão do PDM


A Câmara Municipal de Sines (CMS) tem revelado uma atitude muito positiva de diálogo, informação e transparência no processo de revisão do PDM.

Ao longo do processo tem aparecido variadas informações sobre o decorrer do mesmo, com convites para a participação popular, chamando a atenção para a pessoas integrarem o processo com ideias, sugestões, dúvidas.

No seguimento deste processo a CMS inciou as Sessões Temáticas com o tema do Turismo, seguindo-se a Protecção Civil, Ambiente, Saneamento, Transporte Urbanos e Mobilidade, Pescas, Transportes Regionais e Nacionais, Floresta e Agricultura e Investimento.

Para uma melhor comunicação lançou também um blogue, onde se pdoe encontar mais detalhes sobre este processo :


Aguardamos que os resultados destas Sessões Temáticas sejam divulgadas, para um melhor conhecimento do Concelho e do que se pretende daqui para a frente.

A equipa do Prof. Costa Lobo terá certamente uma amplo leque de informações para produzir um documento que venha ao encontro das necessidades dos Sineenses e da região.

4 comentários:

Orlando disse...

É de louvar a cãmara de Sines por ter esta postura e que está uns bons passos à frente da cãmara de Santiago em quase tudo. Tem feito muita asneira mas de vez em quando ainda faz umas coisas interessantes ao passe que em Santiago é só fogo de artificio. Já se falou aqui e não demais nunca dizê-lo a cãmara de Santiago finge que ouve as pessoas com os orçamentos participados, que não passa de uma treta ensaiada. É como estas visitas às freguesias que é só charme porque os principais problemas ficam de uns anos para os outros e só vão ver obras da cãmara. Os problemas népia.

escangalhado disse...

Oportunidade unica para Sines inverter a imagem criada nos ultimos 35 anos de "desenvolvimento industrial" e de todos se servirem do concelho e poucos, muito poucos o servirem.
Até o grosso dos impostos das grandes empresas não fica no concelho.
Mas o "esgoto" em que o transformaram não deixa margem para duvidas .
Se for avante a louvável intenção de dar primazia ao desenvolvimento turistico na revisão do PDM, , então rápidamente as forças vivas,as populações, os Sineenses que ainda os há, enfim quem ainda possa mexer com Sines que o faça, que dê contributos,que crie discussão,que dê ideias e que apareça.
Sines não pode viver só de carnavais , de musicas, de fogos de artificio etc, enquanto o céu se enche de fumo e de mau cheiro, o centro histórico se desertifica e fica mais assustador que nunca ,que o pequeno comercio definha,etc etc.

Anónimo disse...

Sines e Santiago são diferentes em tudo, incuindo nas câmaras que de parecido apenas têm o facto de serem geridas pela mesma força partidária. Estou de acordo com o escangalhado, e também penso que Sines tem aqui uma excelente oportunidade para inverter o quadro actual, naquilo que pode ser reversível, nomeadamente no desenvolvimento social, cultural e no turismo. Os diferentes paíneis parecem-me constituidos por pessoas de reconhecidas capacidades, resta ver depois se as recomendações são ou não acolhidas pelo município e pelas entidades do concelho. Para mim, é complicado perceber como é que se pode compatibilizar o desenvolvimento turístico do concelho com os problemas ambientais graves existentes, mas deixo essa análise para os mais conhecedores e entendidos no assunto.
Seria bom também que em Santiago fossem ouvidos, consultados, etc, também alguns especialistas em reordenamento urbano, sociólogos, etc, para se ver o que se pode fazer para melhorar o concelho do ponto de vista urbanístico, relações sociais e de vizinhança nos diversos aglomerados habitacionais, todos eles com características diversas como é o caso de Santo André, os centros históricos, o meio rural, o campo e a frente litoral. É preciso uma visão muito integrada e muito bem alicerçada para desenvlver projectos que vão ao encontro das caracterísicas diversas de cada uma destas frentes urbanas.

de cá disse...

A Câmara de Santiago começou com grande entusiasmo este tema da revisão do PDM...mas está no segredo dos Deuses...se calhar não convém...o proceso está parada numa gaveta qualquer de uma assessora...ou do Presidente.
Realmente Santiago continua a andar para trás.
E deve por os olhos em Sesimbra...atenção aos negócios com o Pelicano...vamos toidos sair a perder...e lá se vão os 5 hotéis no Cercal...ehehehehehe!