9.10.2007

É assustador...

Depois de se ler esta noticia no Semanário Económico fica-se assustado com a enormidade que se prepara...estes numeros são assustadores...enormes....desproporcionados.
Realmente fica-se com a ideia que estas autarcas fazem qualquer coisa para aparecer nos jornais, e nisso Vitor Proença é eximio, fazem qualquer coisa para entrar no barco do "turismo", verdadeira galinha dos ovos de pintados de purpurina dourada, acreditam, ou fingem acreditar nos vendedores de sonhos, como é o caso da Pelicano, um caso sério de abuso ambiental.
Como é possivel acreditar que a planicie do Cercal é um destino de excelência turistica para 15.000 turistas??? que a oferta turistica esta concentrada no Litoral...ele está a falar de quê...da Costa de S. André???...que são 750 ha? ???
Realmente é espantoso como isto é feito às escondidas da população de Santiago do Cacém...e ainda vem com imposturices e conversas para aliciar os mais incautos...
Esperamos que as pessoas acordem..questionem...se indignem...peçam explicações...mas será talvez tarde de mais...


Santiago do Cacém cria novo pólo turístico no Cercal


Turismo - Acordo com Pelicano Investimentos prevê 15.000 novas camas e criação de cinco mil empregos
Santiago do Cacém cria novo pólo turístico no Cercal
Vítor Proença, presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, quer aumentar o peso do turismo no interior do concelho, que diz estar "muito concentrado nas zonas litorais". Assim, prepara-se para arrancar com um projecto que ocupa 1.100 hectares, entre Santiago e Cercal, em parceria com a empresa Pelicano Investimentos Imobiliários. Vítor Proença prevê a criação de cinco mil novos postos de trabalho.
Carlos Caldeira
A Câmara Municipal de Santiago do Cacém está prestes a arrancar com um novo pólo turístico no Cercal e outro na Herdade do Canal. Vítor Proença, presidente da autarquia disse ao "Semanário Económico" ter a informação de que "a aprovação em Conselho de Ministros dos projectos de planos de pormenor, ambientais e de acessibilidades estará para breve". Este responsável adiantou ainda que o projecto abrange uma área total de 1.100 hectares, dos quais apenas 750 ficarão destinados a ocupação turística.
O desenvolvimento deste pólo turístico fica a cargo da Pelicano Investimentos Imobiliários, presidida por Mendes Duarte, e ocupa uma extensão de terreno que vai da parte sul de Santiago do Cacém ao Cereal do Alentejo, prevendo "15.000 novas camas e criação de cinco mil novos postos de trabalho, directa e indirectamente", refere Vítor Proença.
E acrescenta ainda que, com este projecto, "a intenção é transferir uma boa parte da oferta turística para o interior do Concelho, que está muito concentrado no litoral". O autarca diz também que o município está ainda em conversações com outros grupos empresariais que mostraram intenção de investir no Concelho".
O projecto, voltado para o mercado nórdico, que é visto como "ambicioso" pelo presidente da Câmara Municipal, prevê a construção de alojamento de segunda residência.
Os novos pólos turísticos vão contar com sete estabelecimentos hoteleiros - um de cinco estrelas -, três campos de golfe, um centro de estágio de futebol, uma academia de ténis e outra de golfe. Por outro lado, está também prevista a construção de áreas comerciais, de restauração e piscinas, além da abertura de um cinema, um espaço cultural, um ginásio e um mega SPA.
Às entidades envolvidas acordaram ainda desenvolver um plano ambiental relativamente aos impactos previstos, com um corredor composto por solos agrícolas que fará a separação entre os dois pólos turísticos.
"O município de Santiago do Cacém procura cada vez mais afirmar-se do ponto de vista turístico, procurando aproveitar os seus vastos recursos naturais", afirmou Vítor Proença, frisando que a adequação à evolução das condições presentes e futuras será alicerçada nos princípios regentes de desenvolvimento sustentável da sociedade e do Município de Santiago do Cacém", visando a compatibilização entre as "diversas dicotomias perceptíveis através de uma visão multidisciplinar e equilibrada".
Privilegiar as acessibilidades. O Plano de Pormenor da Planície de Cercal do Alentejo prevê ainda, no que diz respeito às acessibilidades, a construção de uma ciclovia, de vários percursos pedestres e de manutenção e áreas de animação nocturna, além de assegurar transportes colectivos internos ao empreendimento e de acesso a praias, centros urbanos (Santiago/Cercal) e património cultural do Concelho.
A área em causa está classificada como área rural, no âmbito do actual Plano Director Municipal de Santiago do Cacém. É uma área predominantemente agrícola e possui algumas bolsas florestais com dimensão significativa.
Entre as razões apresentadas para a oportunidade de realização deste Plano, Vítor Proença aponta os objectivos turísticos para o Alentejo apresentados no Plano de Desenvolvimento Turístico do Alentejo, a dimensão e capacidade de atracção do projecto de investimento a nível internacional, nacional e regional, e uma gestão integrada do território promovendo um equilíbrio entre a ocupação humana e a preservação da paisagem, entre outras.
Pelicano Investimentos aposta no desenvolvimento sustentável
A Pelicano Investimentos Imobiliários, presidida por Mendes Duarte, ambiciona ser um promotor imobiliário de referência nacional e internacional, diferenciando-se "pela qualidade e inovação dos seus projectos. Mais que vender casas, criamos um estilo de vida", segundo fonte institucional da empresa.
A Pelicano considera como sua missão desenvolver projectos imobiliários diferenciadores, respondendo aos seus clientes de modo eficaz, com ênfase a nível da arquitectura moderna e funcional, da oferta de infraestruturas desportivas e de lazer dentro dos seus empreendimentos, e da aplicação de princípios de desenvolvimento sustentável em cada um. A Pelicano é parceira fundadora do One Planet Living, uma iniciativa conjunta da WWF e da britânica BioRegional que se destina a promover o desenvolvimento sustentável.
A empresa tem como áreas de negócio o imobiliário, o turismo e os serviços integrados. A oferta turística traduz-se nos resorts turísticos da Pelicano, através de imobiliário de exploração turística, oferta hoteleira, infra-estruturas desportivas (com destaque para o golfe) e de lazer. "A Pelicano tem como valores base a consciência ambiental, a consciência social, responsabilidade e a confiança", refere a mesma fonte, adiantando que a implementação destes valores é feita dia-a-dia, através de uma "constante preocupação em integrar princípios ambientais em cada projecto", assim como a integração da riqueza humana em todos os processos da empresa.
Tudo procurando capitalizar a experiência de um estilo de vida agradável e tranquilo, de pura descontracção, numa oferta turística diversificada.

31 comentários:

Mokambo disse...

receio que sob a capa do desenvolvimento turístico do concelho a qualquer preço, este projecto seja uma invasão massiva de betão naquela área, para turistas endinheirados e uma especie de reserva de indios vedada à maioria dos municipes. Para já não falar das minhas duvidas sobre esses 5 mil empregos, provavelmente mão-de-obra barata e explorada. Na Comporta e em Troia já temos o que temos, e agora voltam-se para Santiago ?
Não seria preferível um desenvolvimento turistico sustentado nas características da região, respeitando mais a natureza, a identidade do concelho, com projectos devidamente enquadrados e sem provocar grandes impactos ?

Anónimo disse...

como é possivel serem tão crédulos estas pessoas que nos governam....ou são pura e simplesmente mal formados?

Zezinho disse...

É inacreditável...esta autarquia deve querer convencer-nos que o Pai Natal existe...
Muito sinceramente não reconheço capacidade a nenhum elemento deste executivo (nem um só)para projectar e desenvolver este concelho, e os exemplos que o comprovam sucedem-se a toda a hora. Falam por si. As únicas iniciativas de valor que promovem são quase sempre feitas a reboque ou às costas de alguém, como é agora o caso da exposição que sem o Dr Falcão a câmara sozinha nunca a conseguiria organizar. Não tem gente com capacidade para isso, infelizmente.

Compadre disse...

Enquanto este politicos do Litorla Alentejano (bom...nenhum é de cá)não destruirem tudo não descansam...e depois ainda dizem que é para bem das populações.
E pode-se incluir nesta lista a Caixa Agrícola, Porto de Sines, etc ...

compadre disse...

O presidente da Câmara devia explicar à populção o que é isto...ele que tem a mania dos comunicados agora calou-se bem calado...

Santiaguense disse...

associações mais interventivas e forças politicas mais envolvidas que esclareçam as populações nas matérias que os autarcas pouco dizem. E as comissões de utentes ? Não têm nada a dizer dos espaços públicos ? É só para escrutinarem os serviços públicos, e só alguns ?
Então os espaços públicos, este tipo de projectos não devia ser também analizados pelas comissões de utentes ?

Alentejano Arquitecto disse...

Infelizmente isto é o retrato do país que temos.
Os autarcas hipotecam o futuro das regiões, dos seu habitantes, dos seus recursos.
Porque eles vão-se embora e os desastres que promovem ficam...onde está a ideia de serviço publico?
Tal como o património...no ambiente a ideia deve ser a mesma: somos encarregados de o manter e de o passar às gerações futuras...não de o arrasar em nome de uma pretensa evolução e prograsso...

compadre disse...

as pessoas ouvem falar em milhares de empregos e ficam completamente anestesiadas, no futuro é que a factura depois aparece. É mais um projecto que para além de mal explicado, não tem uma discussão séria com as forças vivas. É tudo decidido nas capelinhas habituais nestas coisas. Estranha-se o silêncio dos lideres de opinião da região (não alinhados), salvo uma ou outra excepção.

compadre disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Miguel Goes disse...

Acho que o Vitor Proença e os seus camaradas eleitos deveriam explicar o que ganha a Pelicano com este negócio...acho estranho tanta abnegação e generosidade de uma companhia privada...
Até porque me parece que na Planicie do Cercal não existem Pelicanos...

de cá disse...

Existem outros aspectos em que as entidades autárquicas fazem as suas negociações à margem das populações e das forças vivas...estou a lembrar-me da revisão do PDM que decorrem em Sines e Santiago do cacém e se prepara em Alcácer do Sal.
Mais uma vez somos postos à margem de tudo!

MARIA disse...

Para ser sincera tudo me cheira a coisa um bocado clandestina. Penso que os autarcas deviam facultar toda a informação possível e fazer sessões de esclarecimento com as populações. Quem não deve não teme

Nucleo de Arquitectos do Litoral Alentejano disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Zé Povinho disse...

Santiago, Sines, Grândola, e Alcácer do Sal por este andar vão tornar-se no novo Algarve do país.
Parece que a triste lição do ordenamento do território que o Algarve deu, não surte efeito no Litoral Alentejano. As cabecinhas que estão à frente das autarquias parece que só têm olhos para os impostos, taxas, etc que vão receber através destes projectos. O mexilhão que cá mora é que depois tem de levar com as asneiras que as autarquias fazem.

Anónimo disse...

Este concelho não existe. Agora ve-se um presidente da camara que se diz comunista, mas não larga as saias da igreja. note-se a grande amizade com o dr. falcão, católico devoto, mas que deve gozar com este presidente pelas costas, só pode. Quando o dr. falcão levanta a mão lá se ajoelha o presidente da camara. O partido comunista nao ve isto

Anónimo disse...

Bom...o dr. Falcão de católico devoto não tem muito...pelo menos não se deixa ver nas missas e nas práticas católicas...mas tem feito um bom trabalho.
O presidente da Câmara (e não é o unico) é comunista oportunista...ou seja só é comunista qd lhe dá jeito...para promover e facilitar a vida aos camaradas...mas adora a boa vida, boa roupa, andar na roda dos famosos...enfim...um comunista moderno!

Gervásio disse...

O Dr Falcão precisa da câmara e a câmara precisa do Dr Falcão. E eu acho que Santiago precisaria de mais doutores Falcão. Muitos acusam o homem de só querer enriquecer o curriculum, mas o que é facto é que ele faz coisas que mais ninguém no concelho consegue fazer. Essa é que é essa.A relação com a câmara é pontual, porque o executivo sabe bem o que o Dr Falcão tem dito sobre o abandono e degradação do centro histórico, etc. Quanto a Vitor Proença...é um bon vivant, perito em marketing pessoal, mas que não a capacidade nem a inteligência que este concelho precisa para se relançar. E a restante vereação...enfim, o trabalho fala por eles, e está bem à vista que não só são muito fracos como não têm visão estratégica. Um dia ainda gostava de ver o arqtº Lobo de Vasconcellos no pelouro do urbanismo e o dr Falcão no pelouro da cultura.

crescer disse...

1) Mas o que tem o Núcleo de Arquitectos do Litoral Alentejano a ver com isto? Que eu saiba os Muncípios e a CCDR dispõem nos seus quadros de técnicos para saber avaliar estas situações. Ou para que que se cria os gabinetes técnicos?

2) Tão mal esta a Câmara de Santiago (o seu executivo e os seus técnicos) como a de Alcácer ou a de Grândola.


3) Que se saiba estes projectos são todos aprovados não pelas Autarquias, mas pelo Estado/Governo.

3) Um dos problema que existe é o facto de cada vez mais as Autarquias precisarem de dinheiro para fazer face às necessidades da população, mas a forma de financiamento destas, apesar desta pseudo-reforma em nada modificou o importante, a falta de dinheiro continua e o endividamento esta à vista de todos

4) O real PROBLEMA é que ficamos sem litoral e sem o nosso cantinho à beira mal plantado, porque existem especuladores que estão se nas tintas, para não dizer outra coisa para o desenvolvimento sustentável, querem é o deles. E isto acontece com a permissividade do Estado

5) Nunca ninguém "desenhou"/elaborou uma real estratégia para a nossa sub-região e agora pagamos isso com projectos "verdes" sem o minímo de enquadramento na política de desenvolvimento da região

6) E por último. A planície do Cercal fica a cerca de 20 km da Costa, isto dá que pensar, em especial nas zona serrana. Como é possível quer fazer campos de golf, onde não há água se quer para as populações. É este o país de temos!

Desidério disse...

Também não concordo com este projecto, muito menos com a forma algo encapotada como foi tratado. Mas estas coisas devem-se muito à falta de qualidade dos nossos politicos, no concelho. Os que estão no executivo da câmara, e os candidatos dos outros partidos onde pouco se aproveita. Só ouvimos falar deles nas campanhas eleitorais e pouco mais. Arnaldo Frade (PS), Pedro Ramos (PSD), Filomena Pinela (CDS/PP) entre eles venha o Diabo e escolha. Enfim, até aparecer uma nova fornada de políticos com qualidade e competência para desenvolver este extraordinário concelho, vamos certamente continuar a ver mais borradas como esta da CDU, ou ainda piores.

Dimas disse...

De acordo. Não temos classe politica com qualidade no concelho e na região para empurrar isto para a frente. Os do PS cada um é pior do que o anterior, e os outros partidos alguém tem ouvido falar deles? Estou completamente desacreditado nos politicos da região e já deixei de votar. É tudo farinha do mesmo saco, querem é tacho e o resto é conversa.

Anónimo disse...

Temos gente muito boa, competente, etc, no nosso concelho só que não querem nada com a politica. Quem vai para a politica é para dar nas vistas, e obter fama para depois ganharem dinheiro em profissões liberais, ou subirem nos partidos para outros tachos. Já viram algum politico desinteressado só preocupado com o bem estar dos cidadãos ?

NV disse...

Ao ler todos estes comentários vejo um descontentamento generalizado de uma maioria anónima, que só debate no mundo da blogoesfera, é pena todas estas vozes não se fazerem ouvir publicamente.
Este mau estar é generalizado, mas realmente as alternativas são poucas.
Até a comunicação social é conivente com toda esta situação, são poucas as vozes críticas.
Proponho a criação de um movimento apartidário, de debate para o futuro de Santiago do Cacém.

Anónimo disse...

Falam da capacidade da Câmara...e sabem que tipo de capacidade tem esta empresa Pelicano? Esse sim, é o problema! Vejam os outros "produtos turisticos e imobiliarios" que criam e investiguem o perfil desta empresa. E vejam qual a noção de sustentabilidade e de relação de confiança com os clientes têm. Vão a Palmela Village...

Vicente disse...

Santiago, concelho, necessita mesmo de um movimento de gente independente sem o garrote dos partidos para apresentar uma lista nas próximas eleições. Estamos fartos dos politicos interesseiros, vaidosos e incompetentes que temos em todas as direcções concelhias partidárias. Este projecto Pelicano tem sido bem abafado pelo executivo camarário que tem tido a melhor muleta possível da oposição.

Anónimo disse...

tudo tretas
o Vitor Proença quer novo mandato, vai à missa , fala às pessoas que não gostam dele e também de quem ele não gosta,... coisas de vitor proença! mas ele lá vai seguindo o seu caminho, no PCP, dando um jeitinho aqui, outro ali, dando emprego aos camaradas, sorrindo ao PS, pois porque ele já sorri ao PS!!!, E QUE SORRISO!!, LINDO DE MORRER, COM IRONIA BASTANTE, MAS TAMBÉM COM RECEIO. Ele devia mesmo era resolver os problemas que tem dentro da Câmara, com tanta incapacidade em encontrar soluções, resolver os problemas, olhar para o futuro com outras perspectivas, com outro alento que ele, sim, deveria dar às populações que nele votaram. A inca+pacidade e imcompetência é grande, quer ao nível do atendimento da Câmara Municipal, quer no eencontro das melhores soluções para os enormes problemas que o Concelho tem. Quanto à Vereação, pois, são fracos, porque não sabem fazer: é preciso ter conhecimento e eles não são detentores desse conhecimento. Mas a escolha foi dele e do PCP!

j.f.s. disse...

Vitor Proença não é fraco, é fraquissimo como presidente. A vereadora da cultura, coitada, não dá mais do que o que está à vista. Não tem culpa de ser incapaz. O vereador do urbanismo...enfim, é mau de mais mas até já há quem diga que vai ser o próximo cabeça de lista da CDU quando se esgotar o populismo apimbalhado de V. Proença. Arnaldo Frade, do PS, mal do concelho se um dia chegar à mesa da presidência porque é inculto e mal preparado até dizer chega. Nos restantes partidos, a fasquia ainda baixa para um nível mais inferior em termos de competência e capacidade.

Jesus Navarro disse...

Con sus comentarios se explica el retraso que tiene Portugal con el resto de europa. Quieren permanecer por los siglos de los siglos cuidando cabras? o quieren despertar y comenzar a soñar con un futuro esperanzador ligado al turismo. El litoral alentejano es la franja litoral más despoblada de europa y sus características morfológicas y climatológicas la hacen tener un atractivo turístico de primera importancia, así que si quieren que sus hijos y nietos puedan seguir viviendo en estas tierras, más vale que se actualicen y crean en proyectos que van a traer al Litoral Alentejano grandes inversiones. Olvidense ya de tanto atraso y miren a frente.

de cá disse...

Pois é caro amigo ibérico.
Depois de Espanha ter sido um bom exemplo (Torremolinos, Benidorm...so para citar alguns!!!!) ainda tem o desplante de dar sugestões??
Acho que a sua opinião é a mesma de quem não gosta disto e que vêaqui apenas lucro imediato, que apenas vê cifrões...porque depois de estragarem...vão-se embora e nós ficamos a limpar o lixo

de cá disse...

Pois é caro amigo ibérico.
Depois de Espanha ter sido um bom exemplo (Torremolinos, Benidorm...so para citar alguns!!!!) ainda tem o desplante de dar sugestões??
Acho que a sua opinião é a mesma de quem não gosta disto e que vêaqui apenas lucro imediato, que apenas vê cifrões...porque depois de estragarem...vão-se embora e nós ficamos a limpar o lixo

Anónimo disse...

Vão ver o que se está a passar no Palmela Village e aí sim se vão assustar
Não percebo como estes tipos , se aguentam com a quantidade de asneiras e erros que fazem
Já foi o logro do Montijo Residence, as colinas da arrábida, o Palmela Village , agora este empreendimento.

Vão ver o que se passa no Palmela village, que deve ser o empreedimento em Portugal com mais processos em Tribunal por metro quadrado de construção

Anónimo disse...

ja alguem viu a Pelicano acabar algum sim ALGUM projecto ? Se sim digam-me qual que eu pago um almoço a essa testemunha.
tenho dito !