9.28.2007

Algumas imagens PERDIDAS do Litoral Alentejano

Foi demolido por estes dias em Santiago do Cacém um interessante edifício Art Deco, com elementos decorativos em betão. A descaracterização e destruição continua...património não são só os monumentos...são edifícios comuns, conjunto urbanos ou rurais, paisagens, documentos e ferramentas, saberes e tradições...mas aqui no Litoral não existe essa noção.
Talvez este blogue possa servir para alertar, para divulgar, para recordar ou preservar algum desse património.
Aqui fica, para memória,o edificio demolido:





9 comentários:

Vicente disse...

Agradecia que alguém me explicásse como é que estas só acontecem em Santiago e qual é a função do GRUP da câmara no meio destas situações.
Porque cada vez percebo menos quais são os criterios do que é importante preservar e o que não tem interesse e pode ser demolido.
Em todo o lado este tipo de construções são consideradas património, nomeadamente de interesse municipal. Aqui nesta nossa santa terrinha, é para deitar abaixo pelo que não percebo que critérios são tidos nestas questões.
Se alguém me puder explicar, agradeço porque sem perceber não consigo ter opinião

Anónimo disse...

É uma pena estas coisas estarem a perder-se e ninguém protestar. Onde é que estão as associações de defesa do património da região ?
Desconhecem ? São coniventes ?
Estão-se nas tintas ?

F. disse...

Lamentável e bem demonstrativo da falta de sensibilidade de quem assinou ou aprovou a demolição.

Anónimo disse...

tb eu gostava de entender como é que este tipo de prédios são deitados abaixo, e depois aparecem autenticos mamarrachos sem qualquer piada em termos estéticos

Zeca disse...

Pois é...realmente ninguém entende o que se passa. Não percebo muito do assunto mas o prédio até tem estilo próprio. Podiam ter mexido só no interior e deixavam ficar a fachada que acho bastante interessante. Só que também acho que deviam haver mais organizações para alertar para estes atentados, e talvez se evitassem outras situações no futuro. Vamos lá a ver se um dia não se resolve deitar o castelo abaixo para se fazer um prédio panorâmico de 10 andares de luxo...

Anónimo disse...

Por falar no castelo onde é que está o tal projecto do itinerário do castelo às ruinas miróbriga que se falou em tempos ?
Nunca mais se ouviu falar disso.
E que ia-se tirar o cemitério do castelo, etc, em que ponto estao esses projectos que eu já não oiço nada há tanto tempo?

Anónimo disse...

Ainda nós havemos de morrer e não vemos o castelo destinado ao turismo, sem lá ter o cemitério porque este executivo só engonha e promete

Silvestre disse...

Não é caso virgem nem vai ser o último. Por todo o concelho, ou melhor por toda a região, vemos muitos ataques destes aos nossos monumentos já para não falar do discuido em muitos deles. E muitas coisas têm desaparecido e que até tinham bastante interesse em preservar. A nossa voz não chega para meter fim a estas barbaridades.

C. Fernandes disse...

É preciso abrir e alargar o debate destes assuntos à sociedade civil. Levar estas problemáticas às pessoas. Esclarecer, informar e pedir contributos a especialistas.
- Modernismo e tradição, de que forma são conciliáveis estes dois diálogos urbanísticos nos centros históricos ?

Nada se faz ou discute sobre estas problemáticas e depois, o que vemos, são pessoas indignadas, mal informadas, e o mais importante são os diversos atentados urbanísticos que vamos assistindo nos nossos centros históricos e em meio rural.