12.28.2007

Uma reflexão para 2008...III

Que se repitam os sucessos do Festival Musicas do Mundo em Sines: http://www.fmm.com.pt/index.htm


....e da exposição "No caminho sob as estrelas"

12.27.2007

12.26.2007

Reflexões sobre 2007...I

Iniciamos aqui a"lembrança" um conjunto de frases proferidas em 2007, por algumas figuras públicas da nossa região.
Como se pode ler...é realmente confrangedor... e preocupante.
Esperemos que as figuras da nossa região em 2008 pensem melhor antes de nos brindarem com "pérolas" semelhantes.
Agradecem-se desde já outras contribuições.

"A sub região do Litoral Alentejano é uma sub região socialista"
Arnaldo Frade
...tem pouca noção de geografia...para não falar de outras coisas...

"O Centro Cultural de Santo André trata-se de uma obra estimada em mais de três milhões de euros que procura financiamento, razão suficiente para a autarquia não se envolver em discussão públicas sobre projectos sem sustentação financeira"
Vitor Proença
...tem-se visto essa sustentação financeira nas outras obras camarárias...

Sobre a Rede Natura "ninguém consegue qualificar uma região com esta visão que vai no sentido do despovoamento e desertificação. Mais de metade do município está classificado como área protegida, o que deixa a autarquia de pés e mãos atadas".
Carlos Beato
... pressupôe-se que a Rede Natura o impede de betonar o resto do concelho...obrigado Rede Natura!

"Vamos organizar no Outono, dia 10 de Outubro, uma grande conferência que reúna governantes, autarcas, especialistas, empresários cujo tema central de análise e debate seja o desenvolvimento do Alentejo Litoral desde a agro- industria ao turismo, passando pelos transportes marítimos, terrestres e aéreos, floresta e cultura"
Jorge Nunes
...será em 2008?

Uma reflexão para 2008....I


Será esta imagem o futuro dos pinheiros no Litoral Alentejano em 2008?
Pinheiros mortos e outros a morrer??

12.24.2007

Um Bom Natal

A todos os participantes deste blogue e em especial aqueles e gostam e sentem o Litoral Alentejano...
..............................um Santo e Feliz Natal!

12.18.2007

Um convite...




O 4.ª edição do Festival Terras sem Sombra
de Música Sacra arranca em Mértola, uma iniciativa da Diocese de Beja e da Arte das Musas.
Primeiro espectáculo tem lugar a 15 de Dezembro e traz à nossa região um dos mais importantes ensembles de música antiga do país
O Baixo Alentejo recebe este mês, pela quarta vez consecutiva, o Festival Terras sem Sombra – Festival de Música Sacra do Baixo Alentejo, promovido pelo Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja e pela Arte das Musas, com o apoio da Direcção-Geral das Artes do Ministério da Cultura e de diversos municípios e empresas da região.
Em 2007-2008 o ciclo inicia-se na Igreja Matriz de Nossa Senhora de Entre-as-Vinhas, a antiga mesquita da época almoáda, em Mértola, com um espectáculo do Ensemble Sete Lágrimas, intulado Mediterræ: As Devoções Eruditas e Populares no Eixo Latino Mediterrânico. O espectáculo terá lugar no dia 15 de Dezembro, pelas 21 H 00, com entrada livre.
Fundado em 2000, o Ensemble Sete Lágrimas é um agrupamento de músicos especializados em música antiga e contemporânea dirigido pelos tenores Filipe Faria e Sérgio Peixoto que desenvolve programas onde se combinam o virtuosismo com delicadas composições de melancolia. Dois tenores, duas flautas de bisel, alaúde e tiorba e viola da gamba são a instrumentação base dos programas já apresentados em festivais nacionais como o Festival dos Capuchos, o Festival Terras sem Sombra e os Encontros de Música Antiga de Loulé. Em 2006-2007 o grupo desenvolve diversos projectos de gravação e edição discográfica: para a editora Dialogos, com a encomenda de obras ao compositor inglês, residente em Portugal, Ivan Moody, e para a editora Numérica.


Programa


Sobre a Recercada Segunda de Diego Ortiz

Claude Goudimel (1514?-1572), França (adapt. Sete Lágrimas)
Seigneur écoute ma priére

Tomás Luiz de Victoria (1548-1611), Espanha
O vos omnes

Diogo Dias Melgaz (1638-1700), Portugal
In monte oliveti

Tradicional, Itália (Friuli)
Lusive la lune

Carlo Gesualdo (1566-1613), Itália
O vos omnes

D. João IV (1603-1656) (atribuído), Portugal
Crux fidelis

Tradicional, Espanha (Catalunha)
El noi de la mare

Josquin Desprez (1450?-1521), França
Ave Maria

Guillaume Dufay (1397-1474), França
Ave regina cælorum

Claude Goudimel (1514?-1572), França (adapt. Sete Lágrimas)
Sur ta montagne

Tradicional, Itália (Piemonte)
Fuga in Egitto

Vilancico Anónimo (Século XVI), Portugal
Senhora del mundo

Tradicional, Itália (Piemonte)
Gesu bambin l’è nato

Llibre Vermell de Montserrat (Século XIV), Espanha
Maria Matrem

Juan de Anchieta (1462-1523), Espanha
Con amores la mi madre

Claude Goudimel (1514?-1572), França (adapt. Sete Lágrimas)
O que c’est chose belle

Claude Goudimel (1514?-1572), França (adapt. Sete Lágrimas)
La terre au seigneur appartient

Cancionero de Montecassino (Século XV), Espanha
Adoramus te

Tradicional, Itália (Lobardia)
San Giuseppe e la Madonna

Um exemplo...

Várias mãos amigas enviaram-nos esta notícia...porque será que não se consegue fazer algo semelhante na nossa região?

Norte Alentejano terá guia de património rural transfronteiriço

Um guia com duas dezenas de elementos do património arquitectónico rural de cada um dos 15 concelhos de Portalegre deverá ser editado no início do próximo ano, graças a um projecto transfronteiriço com a Extremadura espanhola.A edição, a cargo da Associação de Municípios do Norte Alentejano, insere-se no projecto Património Rural Transfronteiriço Extremadura - Alentejo (PARTEXAL), iniciado em 2006.A AMNA e a Universidade de Évora são os parceiros portugueses do projecto, co-financiado pela União Europeia, enquanto que, do lado espanhol, estão envolvidos os serviços de desenvolvimento Rural da Junta da Extremadura, entre outras entidades.A primeira fase, que termina no final deste ano, teve como finalidade efectuar o levantamento do património arquitectónico transfronteiriço existente nas zonas rurais dos 15 concelhos do distrito de Portalegre e de oito agrupamentos municipais espanhóis, com um total de 90 municípios.Pontes, moinhos, fontes, celeiros, adegas, manufacturas, bebedouros, tabernas, fornos, pombais, chaminés, estábulos ou palheiros foram alguns dos elementos patrimoniais alvo de levantamento.O seminário de encerramento desta primeira fase do projecto decorreu hoje em Portalegre, tendo sido revelado que a AMNA, no início de 2008, pretende lançar um guia que será composto por 20 elementos arquitectónicos de cada um dos municípios de Portalegre, para dar a conhecer esse património.Em declarações à agência Lusa, Eduardo Figueira, da Universidade de Évora, revelou que a segunda fase do projecto prevê a «reabilitação de alguns dos espaços» inventariados.Além disso, acrescentou, todo esse património será ainda incluído num inventário que «poderá ser consultado no sistema de informação geográfica da AMNA».«Através desta medida, queremos sensibilizar as pessoas para a preservação do património arquitectónico e dar-lhes a conhecer certos e determinados espaços, tanto no Alentejo, como na vizinha Espanha», disse.A inexistência ou o desconhecimento de inventários sobre o património arquitectónico transfronteiriço, mantendo estes recursos no anonimato e dificultando a planificação e coordenação de iniciativas locais para os proteger ou reabilitar, foram os factores que motivaram as várias entidades a desenvolver o PARTEXAL.Inicialmente, destacou Eduardo Figueira, o projecto tinha previsto em orçamento uma verba que rondava um milhão de euros, mas, «sucessivos cortes», dificultaram a elaboração e concretização de algumas acções.A iniciativa foi financiada, até agora, pelo programa comunitário transfronteiriço INTERREG III A, aguardando agora as entidades promotoras pelo novo período de fundos europeus para poderem desenvolver a segunda fase e arrancar com a reabilitação no terreno.«Vamos aguardar. Gostaríamos de reabilitar vários espaços, mas depende da generosidade do próximo orçamento», declarou Eduardo Figueira.
Fonte: Diário Digital / Lusa

12.11.2007

O IP8 - 2ª parte

No "Noticias de Sines" de 7 de Dezembro vem um grande destaque sobre o IP8.
Desta noticia há que reter alguns factos:
De acordo com o mapa na capa do jornal (e até agora a unica imagem do presumível traçado do IP8) este parte do nó das Relvas Verdes, passa a sul de Santiago do Cacém, em direcção à Aldeia dos Chãos, corre paralelo à estrada Abela/Ermidas, Canhestros em direcção a Ferreira do Alentejo.
De acordo com este mapa e confrontado com a palavras do ministro, em que a excepção às portagens do IP 8 se verifica no nó do Roncão (entre Sines e Santiago do Cacém), não se precebe onde o nó do Roncão se insere neste traçado...se o Roncão não mudou de sitio, é muito para Norte, talvez 15 a 20 km do IP 8. Esclarecimentos do ministro aguardam-se...ou será porque aqui no deserto isto é tudo igual e com azo a confusões?
Outro facto vem do esquecimento do Ministro em informar que haveria portagens...será do sol do deserto, de julgar que os autarcas eram miragens ou somos todos camelos?
Ainda se pode reter o alinhamento contra portagens dos autarcas PCP ( e tem razão) e dos alinhamento a favor dos autarcas PS...com destaque para as extraordinárias palavras do autarca Beato " Só há portagens onde há obra,s e nãohouvesse obra, não havia portagens"...faz lembrar a Lili Caneças: " O contrário de estar vivo é estar morto"...e que deixa no ar a hipótese de em Grândola virem serem cobradas portagens em cada obra municipal...ou não...talvez sejam cobradas portagens no Pinheirinho ou em Costa Terra???...Realmente estes autarcas não deixam de ser supreendentes!
Também não se entende o porquê da construção da ER 261-5 entre Sines e Vila Nova de Santo André...a via rápida não serve?...faz-se uma ao lado da outra...sabemos que este governo tem de evitar o descalabro das contas publicas com obras e mais obras publicas....mas se calhar é demais....(continua)

12.06.2007

O IP8 - 1ª parte

Tem sido fonte de variadas noticias o lançamento do concurso para o novo IP8...e as reacções que tiveram os autarcas da região sobre a existência de portagens.
Sem nos alongarmos...e porque o assunto é importante a ele certamente voltaremos....mas aqui deixamos algumas questões.
Em Outubro de 2007 foi assinado com grande pompa a rectificação do traçado da ER 261 entre Santiago do Cacém e o Hospital....que "tira curvas" a essa estrada. Esteve na C M de Santiago do Cacém o Secretário de Estado Paulo Campos, na assinatura do contrato e falou no novo traçado do IP8...pelo vistos esqueceu-se de dizer a Vitor Proença que haveria portagens...ou Vitor Proença ouviu e esqueceu-se logo a seguir...pois congratulou-se com estes projectos: "É um projecto de importância capital..." mas depende do que iremos pagar!
Da correcção da ER 261 não se conhecem projectos...que irá acontecer aos Escatelares...às Quintas... às hortas...irá a Câmara conseguir destruir o que tentou em 2003?...Acabar com uma paisagem unica?
Ninguém viu o traçado do IP 8....será que é tudo feito às escondidas dos nossos autarcas?...fala-se para os vários organismos, pesquisa-se na net, pergunta-se nas Câmaras...mistério...ninguém sabe onde passa...como vai ser...o que irá acontecer.
Será que um dia acordamos e está a IP 8 à nossa porta...e a pagar!
Mesmo esta questão das portagens deixa algumas dúvidas...aguardemos.
Não deixa de ser preocupante esta obcessão dos nossos autarcas e figuras semi publicas pelas estradas...ou seja...o território que não betonam....alcatroam!
Deixamos aqui alguma (pouca) informação sobre este assunto e quem souber mais...que nos ajude a informar os milhares que nada sabem!
http://www.iambiente.pt/IPAMB_DPP/docs/DIA1252.pdf
http://www.iambiente.pt/IPAMB_DPP/docs/SE171.pdf
http://clix.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/182177
http://www.setubalnarede.pt/content/index.php?action=articlesDetailFo&rec=7378
(esta tem graça... a opinião da eminência parda do Litoral Alentejano...será que a CA vai financiar?)
http://www.setubalnarede.pt/content/index.php?action=articlesDetailFo&rec=8876
(ainda actual)

11.24.2007

AMLA e REGI parte II

Realmente, pelo que se tem visto de acusações e contra acusações pelos autarcas das duas cores politicas envolvidas nesta luta, a verdade salta logo à vista...é uma questão de favores, "tachos", ambições pessoais, e em que a região e o serviço publico passa para segundo plano.
Será que Alentejo Litoral e os que realmente gostam desta região merecem isto?

11.19.2007

O Nemátodo e o Alentejo Litoral

Como é do conhecimento de quase todos, Portugal foi atacado por uma praga: o Nemátodo, um insecto que ataca principalmente os pinheiro bravos.
Esta praga leva à morte das árvores em pouco tempo, sendo altamente contagiosa e sem cura.
O principal foco de incidência deu-se a sul da foz do Sado.
A estratégia adoptada pelo Governo foi de estabelecer uma zona tampão, que incluí quase todos os concelhos do Alentejo Litoral e estende-se até ao Ribatejo, cortando todas as árvores numa faixa (cordão sanitário) ao longo da "fronteira", de modo a evitar a propagação, e eliminando as árvores doentes dentro da zona afectada.
Aqui se pode ver mais informação: http://www.logistica-florestal.pt/files/281.pdf ou em http://www.confagri.pt/Floresta/Documentos/doc17.htm
Como se tem visto, a praga não tem diminuído dentro desta zona, antes tem aumentado, com um número crescente e preocupante de árvores mortas ou infectadas.
É assustador o evoluir desta situação e muito inquietante os resultados serem muito incertos.
Outro aspecto a ter em nota é o facto de os responsáveis politicos, autarcas nomeadamente, se terem remetido ao silêncio, e nunca terem emitido opinião ou pelo menos exigido das autoridades responsáveis por este combate, respostas, resultados, explicações...
É um problema que irá afectar irremediavelmente a nossa paisagem e com graves consequências a nivel económico, agrícola e florestal....
Não é uma imagem agradável ver os pinhais de Alcácer do Sal, ou entre Sines e Santo André, por exemplo, secos e com as árvores castanhas....ou sem árvores!

10.30.2007

Novos métodos eleitorais

No jornal "Expresso" do passado Sábado vinha um interessante artigo sobre os políticos e as agências de comunicação.
Em caixa vinha um destaque sobre o autarca de Santiago do Cacém, Vitor Proença, que, pelos vistos, recorreu a uma agência de comunicação para ganhar as ultimas eleições autárquicas.
Que se sabia que era um politico nova geração, com uma apetência especial pela imagem, pela comunicação, bem falante, bem vestido, muita aparência e pouca essência, não é novidade.
Mas o recurso a agência de comunicação é uma novidade...chegámos a um novo estádio na politica...
Pelos vistos Vitor Proença não acreditou no trabalho desenvolvido...e isso é preocupante.
E preocupante pela comunicação que foi passada...será genuína?
E interessante pela côr politica...pelos visto o PCP já se adaptou aos novos tempos (em algumas coisas só!)...ou será uma tentativa desesperada de manter um poder que está a escorregar pelos dedos?
Será também que toda a prolífica comunicação emanada de Vitor Proença é de acordo com a agência de comunicação, é ditada pela sua agenda pessoal?
Muitas interrogações e dúvida ficam no ar... e alguma desconfiança.

10.29.2007

Sines e a revisão do PDM

A Câmara Municipal de Sines iniciou o processo de revisão do PDM, um documento que já se encontra desactualizado em função dos novos tempos que Sines e o Litoral Alentejano atravessam.
É uma excelente ocasião para todos os que se interessam por Sines e que acham que tem algo que pode contribuir para a melhoria desta zona participarem e enviarem sugestões e ideias.
Toda a informação em
http://www.mun-sines.pt/especiais/revisaopdm/index.htm
Aproveitamos a ocasião para abrir este espaço a quem quiser também tornar publicas as suas sugestões e ideias...pode-se criar aqui um espaço de debate enriquecedor.
Aguardamos aqui as vossas sugestões.

10.25.2007

Algumas imagens do Litoral Alentejano...e alguma ironia

AMLA....REGI...

Gostaríamos de saber exactamente o que é a AMLA?....o que é a REGI?
Quais os objectivos... o que pretendem...para que servem...quais as suas realizações...
Muito se tem falado, mas pouco se tem visto...
Mais parecem um clube de comadres, para onde vão alguns "reformados" ilustres, onde se passa mais tempo em guerras de poder do que em coisas concretas para a região.
Como é que se articulam com outras associações (ADL por exemplo) ou com o verdadeiro poder na região (a Caixa Agrícola de Santiago do Cacém)?
Será que são realmente necessárias?
Aguardamos por um debate interessante.

10.16.2007

Feira do emprego e empreendedorismo em Sines

Está de parabéns a Câmara Municipal de Sines pela iniciativa da "1ªFeira do emprego, formação e empreendedorismo do litoral alentejano", que decorreu de 10 a 15 de Outubro.
Com um programa interessante, em que se conjugou a parte expositiva com worshops temáticos e em que se reflectiu sobre o mercado de trabalho e empreendedorismo no Litoral Alentejano.
Como temas em volta do Mercado de Trabalho do Alentejo Litoral, debateram-se a "Industria, Energia e Logística", o "Empreendedorismo e Qualificação" e o "Turismo".
Foi bom ver responsáveis autárquicos, responsáveis empresariais, pessoas com responsablidade social, agentes de formação, promotores, jovens envolverem-se nesta iniciativa.
Tiveram lugar intervenções de extrema importância, em que se podem destacar a do Professor Augusto Mateus, responsável pelo futuro "Plano Estratégico do Alentejo Litoral" (vamos estar atentos) e do Professor Costa Lobo, responsável pela equipa que irá elaborar a revisão do PDM de Sines...dois documentos que irão alterar o panorama local e regional.
Duas notas:
O local da exposição - o Centro de Artes de Sines - talvez não seja o mais apropriado, pela sua estrutura labiríntica e que fragmentou muito a mostra e, segunda nota, a ausência das outras autarquias do Litoral Alentejano.
Um evento desta importância deveria ser mais participado pelos outros municípios....deve...ou antes tem de haver uma convergência neste aspecto fundamental da economia regional.

10.08.2007

O nome Litoral Alentejano

Parece que a ultima moda é não se gostar dos nomes, a pretexto de um qualquer obscuro motivo comercial e promocional....
Começou com o ALLGARVE e agora viraram-se para o Alentejo Litoral.
Surgiu a ideia peregrina que se deve encontrar um nome mais apelativo para o Litoral Alentejano...
O que não deixa de ser curioso é que quem sugere isto, a "Associação de resorts do Litoral Alentejano", que não conseguiu encontrar uma palavra portuguesa para "resorts" (é pena...) e que são pessoas que não nasceram aqui, no Alentejo, no Litoral...neste conjunto unico de paisagens, saberes e pessoas.
Que não sentem esta zona como locais, como pessoas que aqui nasceram, viveram e aqui esperam acabar a vida...ou como quem vem para cá viver....pela específicidade do Alentejo Litoral.
E logo as reacções não se deixaram de ouvir...com os habituais a favor e os habituais contra...
Pena é que alguns responsáveis vão atrás deste fogo de artifício e que apenas pensem na aparência, na propaganda, nos sound bytes e que mais uma vez vão atrás de coisas irrelevantes para a região.
Não consta que os espanhóis alguma vez tenham mudado o nome a uma das suas regiões, ou que as regiões daCroácia e Turquia, agora na moda e com nomes quase impronunciáveis, ou zonas do Brasil, com os originais nomes índios, sejam alteradas em função de uma qualquer conveniência comercial.
O que eles tem para oferecer é a sua identidade, a sua essência, a sua originalidade e é isso que torna essas e outras zonas destinos turísticos por excelência....tal como o Alentejo Litoral.
Os milhares de pessoas que nos visitam é por isso, não é pela fonética ou por gostarem muito do nome!
E para terminar....depois do triste espectáculo que foi a novela da "marca Alentejo Litoral" protagonizada pela ADL e Caixa Agrícola, com outras entidades no enredo...não nos parece que seja uma boa ideia!

10.01.2007

É assustador mais uma vez...

A Câmara Municipal de Alcácer do Sal aprovou, em reunião extraordinária (... é extraordinário realmente...), o Plano de Pormenor da Área de Desenvolvimento 2 da Comporta.
É mais um projecto para o nosso Litoral, que propõe o conceito de "resort de golfe na mata" (uma imaginação fértil...o que mais irão inventar!).
E vamos aos números: 346, 7 hectares, 3467 camas turísticas e 1470 camas residenciais ou seja um total de cerca de 5000 camas, com campos de golfe e um quilómetro de praia, dois hotéis, dois hotéis apartamentos, três aldeamentos turísticos e turismo residencial (outro conceito imaginativo mas uma contradição: turismo e residencial....alguém pode explicar) e 139,3 ha de golfe.
E estão previstos 6 mil posto de trabalho (!)...ou seja 1,2 postos de trabalho por cama..mais que no hotel de 6 estrelas no Dubai....ficamos mais descansados...pena que depois não sejam nem 6000 nem 5000 nem 4000...e fiquem muito aquém das promesas necessárias para os autarcas ficarem anestesiados!
E o autarca Paredes pode ficar mais descansado... já pode começar a rivalizar com o autarca Beato ( que leva grande avanço mas com o território a esgotar-se)...os autarcas Coelho e Proença poem pé no acelerador e fazem das tripas coração para um lugar no pódio do betão.
O autarca Camilo coitado, vai de bicicleta (maldito Parque Natural!)

9.28.2007

Algumas imagens PERDIDAS do Litoral Alentejano

Foi demolido por estes dias em Santiago do Cacém um interessante edifício Art Deco, com elementos decorativos em betão. A descaracterização e destruição continua...património não são só os monumentos...são edifícios comuns, conjunto urbanos ou rurais, paisagens, documentos e ferramentas, saberes e tradições...mas aqui no Litoral não existe essa noção.
Talvez este blogue possa servir para alertar, para divulgar, para recordar ou preservar algum desse património.
Aqui fica, para memória,o edificio demolido:





9.25.2007

Algumas imagens do Litoral Alentejano




A barragem do Lousal

Apareceu na comunicação social algumas notícias sobre uma fenda no paredão da barragem das Minas do Lousal.
Nessas notícias era referido, além do perigo que tal representava, que a CCDRA tinha ordenado que a mesma fosse despejada, que o ICN não sabia que fazer aos peixes e lagostins, porque a CCDRA não os tinham informado, e que se poderia colocar um problema ambiental, que a Câmara Municipal de Grândola não sabia de nada e que o Presidente da Junta sabia de tudo.
Assim se pode ver o bom relacionamento entre algumas entidades da nossa zona!

9.24.2007

Os partidos e o Litoral Alentejano

Tem aparecido vários comentários sobre a ineficácia dos partidos politicos no Litoral Alentejano: tantos os executivos autárquicos como as oposições.
Será talvez a altura de os cidadãos se organizarem e criarem movimentos reais, desinteressados mas interessantes, de levantarem as vozes, questionarem, proporem alternativas, soluções...criticarem criativamente, mostrarem que podem ser alternativas credíveis,denunciar os abusos e o que está mau.
Pode ser que os partidos tomem consciência da realidade e voltem a ser hipóteses válidas, que sintam que não podem fazer as coisas impunemente, que se apercebam que devem tudo aos eleitores, à população!
Antes que seja tarde...

9.18.2007

Alvalade Medieval

Mais uma vez a vila de Alvalade organiza as festas de "Alvalade Medieval".

De ano para ano o programa melhora e é cada vez mais um ponto alto do Litoral Alentejano este evento, em que as várias entidades Alvaldenses e o seus habitantes se juntam para quatro dias plenos de acontecimentos.

É um exemplo de como esta vila conseguiu criar um elemento de união, de animação e de promoção...tomara que outras localidades seguissem o exemplo e criassem eventos com os mesmos propósitos.

Aconselhamos a visita e partucupação num programa que se adivinha cheio e bastante animado.

Podem saber mais em:

http://alvalademedieval.no.sapo.pt/ e em http://www.alvalade.info/ um excelente site sobre Alvalade, com variadas informações sobre esta interessante localidade.

9.14.2007

Jornadas Europeias da Cultura em Miróbriga


Recebemos esta comunicação do IGESPAR, que divulgamos de seguida:

"Esta Direcção Regional da Cultura vai aderir às Jornadas Europeias da Cultura, promovidas pelo IGESPAR, através de várias iniciativas.
Assim, pode escolher o Litoral Alentejano para nos visitar no fim de semana de 28 e 29 de Setembro.
Em Miróbriga, no dia 28 de Setembro, pelas 16h, haverá um encontro com o escritor João Aguiar que nos falará da herança romana, o Doutor Filipe Themundo Barata e o Arquitecto Francisco Lobo de Vasconcellos.
Estarão presentes o Senhor Director Regional da Cultura do Alentejo e responsáveis pelo Sítio Arqueológico.
A 29 de Sembro, por iniciativa da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, no Museu Municipal, vai inaugurar, pelas 16h uma exposição que conta com a colaboração desta Direcção Regional, sobre «Miróbriga: o Tempo ao longo do Tempo - História e Historiografia».
Espero que nos visitem, aproveitem para visitar Miróbriga, o Museu de Santiago do Cacém e ver o Litoral Alentejano"

9.10.2007

É assustador...

Depois de se ler esta noticia no Semanário Económico fica-se assustado com a enormidade que se prepara...estes numeros são assustadores...enormes....desproporcionados.
Realmente fica-se com a ideia que estas autarcas fazem qualquer coisa para aparecer nos jornais, e nisso Vitor Proença é eximio, fazem qualquer coisa para entrar no barco do "turismo", verdadeira galinha dos ovos de pintados de purpurina dourada, acreditam, ou fingem acreditar nos vendedores de sonhos, como é o caso da Pelicano, um caso sério de abuso ambiental.
Como é possivel acreditar que a planicie do Cercal é um destino de excelência turistica para 15.000 turistas??? que a oferta turistica esta concentrada no Litoral...ele está a falar de quê...da Costa de S. André???...que são 750 ha? ???
Realmente é espantoso como isto é feito às escondidas da população de Santiago do Cacém...e ainda vem com imposturices e conversas para aliciar os mais incautos...
Esperamos que as pessoas acordem..questionem...se indignem...peçam explicações...mas será talvez tarde de mais...


Santiago do Cacém cria novo pólo turístico no Cercal


Turismo - Acordo com Pelicano Investimentos prevê 15.000 novas camas e criação de cinco mil empregos
Santiago do Cacém cria novo pólo turístico no Cercal
Vítor Proença, presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, quer aumentar o peso do turismo no interior do concelho, que diz estar "muito concentrado nas zonas litorais". Assim, prepara-se para arrancar com um projecto que ocupa 1.100 hectares, entre Santiago e Cercal, em parceria com a empresa Pelicano Investimentos Imobiliários. Vítor Proença prevê a criação de cinco mil novos postos de trabalho.
Carlos Caldeira
A Câmara Municipal de Santiago do Cacém está prestes a arrancar com um novo pólo turístico no Cercal e outro na Herdade do Canal. Vítor Proença, presidente da autarquia disse ao "Semanário Económico" ter a informação de que "a aprovação em Conselho de Ministros dos projectos de planos de pormenor, ambientais e de acessibilidades estará para breve". Este responsável adiantou ainda que o projecto abrange uma área total de 1.100 hectares, dos quais apenas 750 ficarão destinados a ocupação turística.
O desenvolvimento deste pólo turístico fica a cargo da Pelicano Investimentos Imobiliários, presidida por Mendes Duarte, e ocupa uma extensão de terreno que vai da parte sul de Santiago do Cacém ao Cereal do Alentejo, prevendo "15.000 novas camas e criação de cinco mil novos postos de trabalho, directa e indirectamente", refere Vítor Proença.
E acrescenta ainda que, com este projecto, "a intenção é transferir uma boa parte da oferta turística para o interior do Concelho, que está muito concentrado no litoral". O autarca diz também que o município está ainda em conversações com outros grupos empresariais que mostraram intenção de investir no Concelho".
O projecto, voltado para o mercado nórdico, que é visto como "ambicioso" pelo presidente da Câmara Municipal, prevê a construção de alojamento de segunda residência.
Os novos pólos turísticos vão contar com sete estabelecimentos hoteleiros - um de cinco estrelas -, três campos de golfe, um centro de estágio de futebol, uma academia de ténis e outra de golfe. Por outro lado, está também prevista a construção de áreas comerciais, de restauração e piscinas, além da abertura de um cinema, um espaço cultural, um ginásio e um mega SPA.
Às entidades envolvidas acordaram ainda desenvolver um plano ambiental relativamente aos impactos previstos, com um corredor composto por solos agrícolas que fará a separação entre os dois pólos turísticos.
"O município de Santiago do Cacém procura cada vez mais afirmar-se do ponto de vista turístico, procurando aproveitar os seus vastos recursos naturais", afirmou Vítor Proença, frisando que a adequação à evolução das condições presentes e futuras será alicerçada nos princípios regentes de desenvolvimento sustentável da sociedade e do Município de Santiago do Cacém", visando a compatibilização entre as "diversas dicotomias perceptíveis através de uma visão multidisciplinar e equilibrada".
Privilegiar as acessibilidades. O Plano de Pormenor da Planície de Cercal do Alentejo prevê ainda, no que diz respeito às acessibilidades, a construção de uma ciclovia, de vários percursos pedestres e de manutenção e áreas de animação nocturna, além de assegurar transportes colectivos internos ao empreendimento e de acesso a praias, centros urbanos (Santiago/Cercal) e património cultural do Concelho.
A área em causa está classificada como área rural, no âmbito do actual Plano Director Municipal de Santiago do Cacém. É uma área predominantemente agrícola e possui algumas bolsas florestais com dimensão significativa.
Entre as razões apresentadas para a oportunidade de realização deste Plano, Vítor Proença aponta os objectivos turísticos para o Alentejo apresentados no Plano de Desenvolvimento Turístico do Alentejo, a dimensão e capacidade de atracção do projecto de investimento a nível internacional, nacional e regional, e uma gestão integrada do território promovendo um equilíbrio entre a ocupação humana e a preservação da paisagem, entre outras.
Pelicano Investimentos aposta no desenvolvimento sustentável
A Pelicano Investimentos Imobiliários, presidida por Mendes Duarte, ambiciona ser um promotor imobiliário de referência nacional e internacional, diferenciando-se "pela qualidade e inovação dos seus projectos. Mais que vender casas, criamos um estilo de vida", segundo fonte institucional da empresa.
A Pelicano considera como sua missão desenvolver projectos imobiliários diferenciadores, respondendo aos seus clientes de modo eficaz, com ênfase a nível da arquitectura moderna e funcional, da oferta de infraestruturas desportivas e de lazer dentro dos seus empreendimentos, e da aplicação de princípios de desenvolvimento sustentável em cada um. A Pelicano é parceira fundadora do One Planet Living, uma iniciativa conjunta da WWF e da britânica BioRegional que se destina a promover o desenvolvimento sustentável.
A empresa tem como áreas de negócio o imobiliário, o turismo e os serviços integrados. A oferta turística traduz-se nos resorts turísticos da Pelicano, através de imobiliário de exploração turística, oferta hoteleira, infra-estruturas desportivas (com destaque para o golfe) e de lazer. "A Pelicano tem como valores base a consciência ambiental, a consciência social, responsabilidade e a confiança", refere a mesma fonte, adiantando que a implementação destes valores é feita dia-a-dia, através de uma "constante preocupação em integrar princípios ambientais em cada projecto", assim como a integração da riqueza humana em todos os processos da empresa.
Tudo procurando capitalizar a experiência de um estilo de vida agradável e tranquilo, de pura descontracção, numa oferta turística diversificada.

José Benedito Hidalgo de Vilhena III






Mais algumas fotografias de José Benedito Hidalgo de Vilhena que mão amiga nos fez chegar.



É realmente premente (e justa) uma exposição restrospectiva e de homenagem a este grande fotógrafo.



Precisa-se de voluntários...de mecenas...de entidades...







9.05.2007

José Benedito Hidalgo de Vilhena II

Mão amiga fez-nos chegar algumas fotos deste excelente fotógrafo de Santiago do Cacém.

Os nossos agradecimentos e esperamos que o repto que alguém lançou tenha seguimento.

As primeiras duas fotos:



Feiras IV


Aqui está um interessante artigo publicado em 1921...é interessante que nada mudou...nada evoluiu.

Interessante ou preocupante?

9.04.2007

Feiras III/José Benedito Hidalgo de Vilhena

Esteve patente na edição deste ano da Feira do Monte em Santiago do Cacém uma mostra de fotografias antigas, em comparação com fotografias actuais tiradas nos mesmos locais.
Além de uma interessante reflexão sobre a evolução urbana e que merecia aprofundar, estavam patentes várias fotografias de José Benedito Hidalgo de Vilhena.
Aqui fica o repto para duas iniciativas possíveis: uma exposição sobre Hidalgo de Vilhena (já sugerida anteriormente) e os painéis que estiveram expostos voltarem a ser patentes ao público...talvez associados a um debate sobre a evolução e desenvolvimento urbano em Santiago do Cacém.

8.30.2007

Feiras II




Algumas imagens da Feira do Monte à 100 anos atrás...por José Benedito Hidalgo de Vilhena...um grande fotógrafo local algo esquecido.

8.29.2007

Feiras

Depois da grande feira de Grândola segue-se no próximo fim de semana a Feira do Monte, em Santiago do Cacém.
Um programa recheado entre actividades culturais e recreativas, que mostram que as feiras deixaram de ser um local de trocas comerciais, de negócio, para serem um local de lazer e divertimento.
Merecerá uma reflexão mais aprofundada quando terminar a "época" das feiras e mercados.

8.28.2007

As praias

As praias do Alentejo Litoral estiveram bastante cheias, sendo claro que são cada vez mais um destino procurado por muitas pessoas.
E de modo geral a qualidade foi boa, os serviços disponiveis funcionaram e a qualidade dos apoios (bares, limpezas, estacionamento etc) tem vindo a melhorar.
E em boa hora isso aconteceu....pois só assim se pode atrair visitantes de qualidade.

8.27.2007

Inqualificável II

Não se compreende como é possível terem autorizado a "marquise" na Estação da CP de Santiago do Cacém!
Que seja transformada em bar, entende-se...há que racionalizar os custos...revitalizar património.
Mas daí a estragar um edifício tão caraterístico....bonito...com uns azulejos esplêndidos, onde se podem ver aspectos da vida em Santiago do Cacém hà cinquenta anos atrás (alguns deles já desaparecidos) pode ser demais....
Alguém acode antes que seja tarde de mais?

8.25.2007

Inqualificável I

Inqualificável a ideia da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, a pretexto da exposição "No Caminho sob as Estrelas" ter apoiado um encontro motard na cidade de Santiago do Cacém, nas principais artérias e no centro histórico até à Igreja Matriz.
Durante parte da noite de Sexta feira, dia 24 de Agosto, o barulho tomou conta da cidade...as acelerações, as travagens, os raters, o incómodo foram companhia dos Santiaguenses.
Julgamos que existem melhores maneiras de promover a excelente mostra sobre Santiago e o "caminho"... que não consta que fosse feito de mota!

8.23.2007

Procissão da Senhora das Salas em Sines

É com gosto que se vê, ano após ano, a procissão da Senhora das Salas percorrer as ruas e encher a baía de Sines com barcos que querem demostrar a devoção à grande figura religiosa de Sines.
Ainda bem que algumas localidades do Litoral Alentejano conseguem manter intactos os hábitos e tradições....aliás...é isso que as torna especiais.

8.22.2007

Quinta do Chafariz em Santiago do Cacém

Alguém saberá porque pararam as obras no Parque Urbano da Quinta do Chafariz?
Será que a Câmara Municipal de Santaigo do Cacém esgotou o dinheiro na Exposição dos Caminhos de Santiago?
Será que as toneladas de xisto do horroroso projecto esgotaram os recursos?
Imaginamos que recriar uma aldeia de xisto do Norte de Portugal seja caro...complicado...mas havia necessidade de estragar...de aplicar naquele vale fértil e verdejante aquelas toneladas de betão, de xisto....uma pretenciosa fonte cibernética tipo Expo 98...aquelas réplicas das cabanas da Praia de Mira?
Não se sabe...a não ser que a ideia seja fazer um novo Portugal dos Pequenitos.

8.17.2007

Pontos altos

Durante este Verão aconteceram no Litoral Alentejano variados eventos que confirmam a excelência desta zona e a a qualidade da organização maioritáriamente local.
Falamos por exemplo dos Festival Musicas do Mundo (FMM), unanimente considerado o melhor festival de World Music realizado em Portugal, que este ano provou mais uma vez ser um sucesso, com uma fórmula alargada e grande envolvimento da população sineese.
Falamos da FACECO, que cada vez mais é uma referência neste tipo de organização, com grande qualidade de expositores, afluência de publico e que vai tomando o lugar de melhor certame deste género do Sul do Alentejo.
Falamos do Festival do Sudoeste, eleito o melhor festival de Verão e que atrai cada vez mais público de jovens e menos jovens, que fornecem um colorido especial á zona da Zambujeira do Mar.
E muitos mais eventos poderão existir...basta haver vontade e imaginação.

8.16.2007

Desculpas

Pedimos desculpas aos nosso leitores...mas a agitação da vida moderna impede uma contribuição regular como todos gostaríamos.
Vamos tentar voltar a uma regularidade que permita cumprir o desìgnio inicial...transformar este espaço num local de debate, informação, troca de ideias, alertas...sobre o Alentejo Litoral.
E voltamos a dizer que estamos abertos à participação de todos os interessados pelo Litoral Alentejano através do comentários neste blogue ou através do mail alentejo_sw@hotmail.com.
E muito haverá para comentar...O Festival Musicas do Mundo, a Exposição sobre os Caminhos de Santiago em Santiago do Cacém, a FACECO, os avanços da construção no Litoral, as revisões do PDM de Sines, Alcácer e Santiago do Cacém, a constituição da Liga dos Amigos do Sitio Arqueológico de Miróbriga...e tantos quantos se acharem convenientes para este espaço.
Ate breve.

5.04.2007

Um artigo da imprensa regional

Foi-nos enviado um artigo, já publicado na imprensa regional ( no NOTÍCIAS DO LITORAL), que tem alguma relação com os recentes posts que foram aqui colocados.
Ao seu autor, Arq. Francisco Lobo de Vasconcellos, agradecemos o envio e a possibilidade de enriquecer este debate e ao NOTÍCIAS DO LITORAL curvamo-nos pelo vosso papel de meio de comunicação regional, um papel sempre complicado e muitas vezes semo retorno desejado, esperando que continuem a publicar os vossos interessantes artigos e opiniões.
"Com o aproximar do Verão voltam a surgir na imprensa artigos sobre aquilo que será o tema mais importante relacionado com o Litoral Alentejano…a crescente pressão urbanístico/turística na costa alentejana.
Com cerca de 200 km de costa repartidos por quatro concelhos, mas que na realidade são cinco, porque o Concelho de Alcácer do Sal é também parte integrante desta realidade geográfica e social, o Litoral Alentejano está a converter-se no pedaço mais apetecível do território português para os grandes investimentos imobiliários ligados ao turismo.
E sobre esta assunto não haveria muito a dizer se vivêssemos num país conhecido pelo seu bom planeamento, pela sua clara estratégia de desenvolvimento, pelas transparentes relações entre os interesses imobiliários e os interesses políticos e pelo conhecimento das “agendas pessoais” dos intervenientes nos processos decisórios.
No entanto tal não acontece e a historia tem-nos demonstrado que devemos ter algumas dúvidas e muita apreensão acerca do apregoado desenvolvimento da Costa Alentejana.
Um dos aspectos que deveria merecer a maior reflexão será a diferença na abordagem ao planeamento e ao ordenamento do território nos cinco concelhos e as suas consequências.
Senão vejamos, para o Concelho de Grândola, estão previstos 4 PIN’s, com vários milhões de euros de investimento, a presumível criação de vários postos de trabalho e que irão gerar mais de 30 mil (!) camas turísticas.
Será interessante reflectir e comparar com o Concelho de Odemira, todo ele com a sua faixa litoral integrada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina ou com os concelhos de Santiago do Cacém ou Sines…já para não falar nas diferenças entre litoral e interior.
À primeira vista ficamos com a impressão que um território com uma identidade única, forte, consistente, irá ficar fortemente assimétrico, com uma irregular distribuição de riqueza e de oportunidades, centrado em apenas um factor de desenvolvimento, e que a breve trecho perderá as características particulares que fazem dele um local de excepção.
Acho que esta breve consideração, e que será a primeira de muitas sobre este tema, permite concluir que nunca foi feito um debate, uma reflexão, uma discussão alargada, como um todo, nunca se pensou globalmente e estrategicamente sobre o Litoral Alentejano, de Tróia a Odeceixe, do interior ao mar, sobre Turismo e Agricultura, Industria e Património, sobre as aspectos sociais, históricos, sobre o planeamento e ordenamento do território…destes mais de 550 mil hectares de território que devemos preservar e deixar para as gerações futuras."

4.29.2007

Um sinal de Alarme

Um post recente de um AA (Alentejano Arquitecto) chamo-nos a atenção para algo que apareceu subrepticiamente e que pelos vistos é dado adquirido: O Plano de Pormenor da Planìcie do Cercal do Alentejo.
Para iniciar a discussão transcrevemos um excerto do que vem exposto no site do Município de Santiago do Cacém (www.cm-santiago-do-cacem.pt):
O Plano de Gestão Ambiental da Planície do Cercal (PGAPC), previsto no Acordo entre a Câmara Municipal de Santiago do Cacém e a Pelicano, SA para o Plano de Pormenor do Parque da Cidade e Plano de Pormenor da Planície do Cercal engloba a área total dos dois Planos de Pormenor, bem como áreas de continuidade que pelas suas características ambientais lhes são afins.
Como se pode ver, a combinação já está feita entre e o Municipio e uma sociedade imobiliária que tem usado de estratagemas e conluios para betonizar parte do país (veja-se a Mata de Sesimbra e o Pinheirinho) e ao que parece avança sobre o Cercal e ainda sobre Porches,no Concelho de Alcácer do Sal.
É um grave sinal de alarme...devemos exigir explicações e justificações...antes que seja tarde de mais.
Apetece gritar...SOCORRO!


PS: Voltaremos a isto

4.23.2007

Os Ministros e o alvará de construção

Conhecemos muitos arquitectos, bastantes promotores imobiliários, muitas pessoas que fazem obras de construção e recuperação, que investem no seu património imobiliário e imensos empreiteiros.
Não conhecemos nenhum que tenha recebido o alvará de construção de dois ministros (Economia e Ambiente), sob o sorriso beatífico do autarca Beato e o beneplácito de outros autarcas e das chamadas "forças vivas" da região.
È uma coisa extraordinária...resta saber se para um alvará para a alteração de uma casa de banho em Azinheira do Barros teremos o mesmo aparato, com tenda montada e comunicação social...
Isto passou-se em Portugal, no Concelho de Grândola, para um projecto chamado Costa Terra, um apelidado PIN, um projecto de péssima qualidade urbanística, ambiental, arquitectónica...mas que na cabeça destes senhores representa o melhor deste país...
Estranhos conceitos...estranhas decisões...como dizia um poeta latino " O tempora O mores"

4.20.2007

O encerramento do SADU

É realmente lamentável o encerramento do SADU de Santiago do Cacém...é apenas mais um ponto de centralização dos serviços, do caracter economicista da gestão actual e do total desrespeito pelas populações locais.
Isto juntar-se ao encerramento de escolas nas freguesias rurais...para não falar do que se suspeita em relação aos tribunais...repartições...a venda do Estabelecimento Prisional do Pinheiro da Cruz...etc.
Infelizmente os nossos autarcas do Litoral estão mais preocupados em negociar a possibilidade de aumentar os m2 de construção nos seu concelhos do que a evitar estes encerramentos e deslocações...

4.16.2007

De volta


De volta depois de mais algumas semanas de ausência e desta vez esperamos que seja para continuar....a vida, os afazeres profissionais e pessoais impedem, por vezes, uma contribuição mais regular e mais intensa.

Mas um espaço como este não deve morrer e lá iremos continuando.

Brevemente algumas noticias ou somentários sobre o que se tem passado no Litoral Alentejano: as confusões acerca da marca "Alentejo Litoral", mais um alvará de construção para um PIN - Costa Terra, os novos instrumentos de planeamento na "cabeça" de alguns municipios, os acontecimentos culturais previstos, e todas as noticias que achem por bem enviar para Alentejo_sw@hotmail.com.

Até breve