7.17.2006

Turismo e Litoral

Este título certamente dará para muitos artigos, porque hoje em dia está sempre na ordem do dia e não se esgota de uma vez só...
A grande maioria das pessoas e em especial os autarcas chegaram à conclusão que o Litoral Alentejano apenas servia para o Turismo.
Com a excepção do Porto de Sines, a unica actividade que vêem para o Litoral é a actividade turística, mas no seu lado pior, ou pelo menos, que tem sido pior aplicado: a construção.
Se tomarmos em consideração alguns dados que tem aparecido na imprensa do número de camas previstas e consequentemente dos metros quadrados de construção associados temos necesáriamente de ficar assustados...talvez não pelo que está previsto mas porque sabemos que existem maneiras de contornar as leis e de Y metros quadrados passamos para 2 vezes Y, sem se saber como ou porquê, ou porque a qualidade das urbanizações, dos projectos e das construções é geralmente fraca (em Portugal nivela-se por baixo infelizmente) ou porque os autarcas irão bater-se sempre por mais e mais metros quadrados de construção.
E o caso paradigmático é o do Concelho de Grândola...desde que este Presidente chegou ao poder, conseguiu fazer aprovar milhares de m2 de construção: Tróia...Costa Terra...Pinheirinho....todos em conflito com as questões ambientais, com projectos de fraca qualidade, situações que se arrastavam à anos...mas com uma ajudinha dos companheiros de partido no Governo, tudo se resolveu...o antigo ministro ecologista transformou-se no Primeiro ministro urbanista!
Segue-se o Grupo Espírito Santo, na Comporta, com projectos na manga para mais golfes, habitação, urbanizações e afins...já todos sabemos que vão ser aprovados...por obra e graça do Espírito Santo.
E quando se julgava que o o autarca Carlos Beato tinha chegado ao fim dos metros quadrados para construir, eis que tem uma ajuda preciosa, mais uma vez dos companheiros de partido no Governo.
O ministro Costa, da Justiça, anuncia que iria retirar as prisões de dentro das cidades (!) entre elas o Pinheiro da Cruz (!!!!)
Alguém devia levar o ministro Costa ao Pinheiro da Cruz para ver a "cidade" que lá existe...ou então nesta febre de mudança socialista a própria definição de cidade já mudou e não demos por nada!
Ou seja...os amigos são para as ocasiões e o autarca Carlos Beato certamente que agradecerá ao ministro Costa este milhares de m2 que poderá em breve lotear, vender, construir...com grande beneficio(!) para a população de Grândola...
Quanto aos restantes municípios....Sines e Santiago do Cacém estão fora (com grande pena dos próprios que devem pensar em mudar de cor...trocar o comunismo por metros quadrados de construção), Alcácer do Sal não tem mar e Odemira tem o "maldito" Parque Natural....
Como se pode ver....temos aqui assunto para muitos e mais artigos...

2 comentários:

Sérgio disse...

Pois é. Este país está entregue aos construtores civis e aos imobiliários. Claro está que quem ganha com a construção desses projectos turisticos são as camaras municipais e os proprietários desses empreendimentos. Quem perde é o litoral, que vê a sua paisagem natural mudar radicalmente devido aos politicos/empresários que só pensam no lucro fácil. Não tornem a costa alentejana no novo Algarve!!!
Já agora em vez de fazerem mais campos de golfe podiam pensar em modernizar a agricultura...

Jesus Navarro disse...

No estoy de acuerdo con sus comentarios. Creo que la costa Alentejana tiene un gran futuro enfocada al turismo, tanto de playas y golf, como de naturaleza e histórico. Poblaciones como Santiago do Cacem, Alcacer do Sal o Odemira poseen cascos históricos que pueden tener una gran proyección turística a poco que se restauren y se pongan en valor. No quiere decir eso que el turismo tenga que ser exclusivo, puede unirse a la industria y el puerto de Sines, la agricultura ecologia, la cortiça, etc...